Linha de maior declive: relações poético-críticas do caminhar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2175234612262020013

Palavras-chave:

linha, caminhar, cidade, ação poético-crítica

Resumo

O presente artigo trata do caminhar/deslocar-se como linha e sua potência na ativação do contexto da cidade, ambos pensados a partir do fenômeno artístico contemporâneo. Partindo de um breve levantamento e recorte histórico de como a linha vem sendo discutida na história da arte até chegar ao caminhar como procedimento prático e método criativo, o artigo, a partir daí, problematiza seu objeto na relação contextual entre arte, indivíduo e presença poético-crítica na cidade. Neste fim, toma-se como principal referencial artístico a ação Se Hace Camino al Andar, da artista espanhola Esther Ferrer, em sua realização junto à Plataforma Salvem El Cabanyal, na cidade de Valência/Espanha. Para construir suas argumentações, o artigo utiliza como aportes teóricos os escritos dos movimentos da década de 1960/70, Situacionismo e Fluxus, bem como aos estudos sobre a cidade de Michel de Certeau e sobre linha e deslocamento de Tim Ingold.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jéssica Becker, Federal University of Rio Grande do Sul

Instituto de Artes/Departamento de Artes Visuais/Área: Desenho.

Referências

AAUGÉ. Marc. Não Lugares: Introdução a uma antropologia da supermodernidade. SP: Papirus, 2012.

BECKER, Jéssica. Arte de Acción. Dissertação. Espanha: Universidad Politécnica de Valencia, 2010.

______________. Cotidiano Experimentado: o processo criativo na prática de ações. Dissertação. Porto Alegre: PPGAV-IA/UFRGS, 2011.

______________. O Eu e o Outro: Alteridade e Identidade na Construção do Proces-so Criativo. Tese. Porto Alegre: PPGAV-IA/UFRGS, 2017.

CERTEAU, Michel. A invenção do cotidiano: 1. Artes do Fazer (1990). RJ: Editora Vo-zes, 11ª Edição, 2005.

DEBORD, Guy. Introdução a uma crítica da geografia urbana. IN: JACQUES, Paola Berenstein. Apologia da Deriva: Escritos Situacionistas sobre a cidade. RJ: Casa da Palavra, 2003. P.39-41.

DERDIK, Edith. Disegno. Desenho. Desígnio. SP: Senac, 2007.

Festival of Fantastic - Fluxus. 1985. Arquivo on line. Dinamarca: Museum of Contem-porary Art, 2019. Disponível em: http://www.festivaloffantastics.com/. Acesso em: 28/06/2019.

FILLIOU, Robert. Teaching and Learning as Performing Arts. Nova Iorque: Kasper Kö-nig, 1970.

_____________. El Arte es lo que hace la vida más interesante que el arte. Canadá: Inter Editeur, 2003.

FLOREZ, Fernando Castro. Robert Smithson. El dibujo en el campo expandido. In: MOLINA, Juan José Gómez. Estrategias del dibujo en el arte contemporânea. Madri: Cátedra, 1999.

HENDRICKS, Jon. O que é Fluxus? O que não é! O por quê. Brasília: Centro cultural Banco do Brasil, 2002.

INGOLD, Tim. Líneas: uma breve história. Barcelona: Editorial Gedisa, 2015. E-book (não paginado). Disponível em: www.livrariacultura.com.br. Acessado em: desde abril de 2019.

JACQUES, Paola Berenstein. Apologia da Deriva: Escritos Situacionistas sobre a cida-de. RJ: Casa da Palavra, 2003.KANDINSKY, Wassily. Ponto e Linha sobre Plano (1926). São Paulo: Martins Fontes, 2005.

KLEE, Paul. Diários (1961). São Paulo: Martins Fontes, 1990.

KRAUSS, Rosalind. La Originalidad de la Vanguardia y Otros Mitos. Madri: Alianza Edi-torial, 2006.

LONG, Richard. Walking the Line. Londres: Thames & Hudson, 2005.

MICHELI, Mário de. As Vanguardas Artísticas. SP: Martins Fontes, 2004.

MOLINA, Juan José Gómez. Estrategias del dibujo en el arte contemporaneo. Madri: Cátedra, 1999.

Downloads

Publicado

2020-01-01

Como Citar

BECKER, Jéssica. Linha de maior declive: relações poético-críticas do caminhar. Palíndromo, Florianópolis, v. 12, n. 26, p. 013–024, 2020. DOI: 10.5965/2175234612262020013. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/palindromo/article/view/16421. Acesso em: 25 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos Seção temática