“No coração, minha terra, no coração do Brasil”: Tocantins, discursos identitários, canções

Autores

  • Heitor Martins Oliveira Universidade Federal do Tocantins

DOI:

https://doi.org/10.5965/2525530401012016002

Palavras-chave:

canção, regionalismo na música, identidade cultural, Tocantins

Resumo

As canções regionalistas são uma modalidade privilegiada de produção (ou reprodução) simbólica de discursos identitários no Tocantins, estado brasileiro criado em 1989. Revisão de estudos sobre identidade cultural tocantinense, entrevistas com ouvintes qualificados e análise de fonogramas fundamentam uma discussão do processo de trocas e significações relacionadas à inserção deste repertório na dinâmica cultural de negociação simbólica de identidades. As tensões e contradições resultantes podem ser sintetizadas em dois polos: de um lado, o território da política, alinhado à legitimação de autonomia administrativa e de poder; de outro lado, a política do território, em que a ideia de identidade surge como expressão de experiências culturais compartilhadas.

Referências

ALENCAR, Maria Amélia Garcia de. A canção regionalista em tempos de modernidade. In: CONGRESSO LATINO-AMERICANO DA ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL PARA O ESTUDO DA MÚSICA POPULAR, V, Anais, Rio de Janeiro: Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, 2004.,

ALENCAR, Maria Amélia Garcia de. Cultura e Identidade nos Sertões do Brasil: representações na música popular, In: Congreso Latinoamericano de la Asociación Internacional para el Estudio de la Música Popular, III, Actas (IASPM), 2000.

ARAÚJO, Marcilene de Assis Alves. Linguagem e identidade cultural: uma abordagem sociolinguística. Sociodialeto, n. 3, 2011. Disponível em <http://www.sociodialeto.com.br/edicoes/8/09052011091540.pdf>, acesso em abr. 2012.

BONILLA, Marcus Facchin. Disseram que o samba voltou americanizado. DAPesquisa, n. 8. Florianópolis: Universidade do Estado de Santa Catarina, ago. 2010 - jul. 2011, p. 502-515.

CANCLINI, Nestor García. Culturas Híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006.

CAVALCANTE, Maria do Espírito Santo Rosa. Fronteiras de identidade regional no sertão do Brasil central. In: INTERNATIONAL CONGRESS OF THE LATIN AMERICAN STUDIES ASSOCIATION, XXIII, Proceedings... Washington, DC, 2001.

COELHO, Márcio Luiz Gusmão. O arranjo como elemento orgânico ligado à canção popular brasileira: uma proposta de análise semiótica. Tese (Doutorado em Semiótica). São Paulo: USP, 2007.

FINNEGAN, Ruth. O que vem primeiro: o texto, a música ou a performance? Tradução: Fernanda Teixeira de Medeiros. In: MATOS, Cláudia Neiva de; TRAVASSOS, Elizabeth; MEDEIROS, Fernanda Teixeira (Org.). Palavra cantada: ensaios sobre poesia, música e voz. Rio de Janeiro: 7Letras, 2008, p. 15-43.

FLORES, Kátia Maia. Caminhos que andam: o rio Tocantins e a navegação fluvial dos sertões. Goiânia: Ed. da UCG, 2009.

FUNDAÇÃO CULTURAL DO TOCANTINS. Selection de Chansons Regionales - Tocantins. CD. (Coletânea de vários autores e intérpretes). Palmas: FCT, 2005.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 11a. ed. Rio de Janeiro: DP&Editora, 2006.

MESSIAS, Noeci Carvalho. Águas mortas: reflexões sobre a memória de um patrimônio cultural perdido. In: ENCONTRO ESTADUAL DE HISTÓRIA - ANPUH-BA, IV. História: sujeitos, saberes e práticas. Vitória da Conquista: Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, 2008.

NAPOLITANO, Marcos; WASSERMAN, Maria Clara. Desde que o samba é samba: a questão das origens no debate historiográfico sobre a música popular brasileira. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 20, n. 39, 2000, p.167-189.

OLIVEIRA, Maria de Fátima. Rio Tocantins: lugar de memórias e identidades. Revista Mosaico, v. 1, n. 2, 2008, p. 163-168.

RODRIGUES, Jean Carlos. Experiência, identidade e a criação do Tocantins. Revista Formação Online, v. 1, n. 18, p. 24-38, jan./jun., 2011.

RODRIGUES, Jean Carlos. Política e religião na Nova Geografia Cultural: o caso da criação do estado do Tocantins. Revista de Estudos da Religião, Ano 9, junho, p. 51-72, 2009.

SANTOS Júnior, Hemerson Ferreira dos. Identidade e distinção: a MPB em Goiás. Dissertação, Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Faculdade de Ciências Sociais da Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2010.

TATIT, Luiz. O século da canção. Cotia: Ateliê Editorial, 2004.

TRAVASSOS, Elizabeth. Pontos de escuta da música popular no Brasil. In: ULHÔA, Martha; OCHOA, Ana Maria (org.). Música popular na América Latina: pontos de escuta. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2005, p. 94-111.

TROTTA, Felipe da Costa; LOPES, Ibrantina Guedes de Carvalho. Mídia, memória e música popular: cultura e identidade no forró “pé de serra” atual. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOCIOLOGIA, XIV, Anais, Rio de Janeiro, 2009.

TROTTA, Felipe; CASTRO, João Paulo M. A construção da ideia de tradição no samba. Cadernos do Colóquio, p. 62-74, dezembro de 2001.

ULHÔA, Martha Tubinambá de. Pertinência e música popular: em busca de categorias para análise da música brasileira popular. Cadernos do Colóquio, dez. 2001, p. 50-61.

ULHÔA, Martha Tubinambá de. Nova história, velhos sons: notas para ouvir e pensar a música brasileira popular. Debates, v. 1, n. 1, 1997, p. 80-101.

ZAN, José Roberto. Música popular brasileira, indústria cultural e identidade. EccoS Revista Científica, São Paulo, UNINOVE, v. 3, n. 1, 2001, p. 105-122.

Downloads

Publicado

2016-07-12

Como Citar

Oliveira, H. M. (2016). “No coração, minha terra, no coração do Brasil”: Tocantins, discursos identitários, canções. Orfeu, 1(1), 002-024. https://doi.org/10.5965/2525530401012016002