Diálogos desclassificados: a música e a voz por trás da teoria da desclassificação, segundo passo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2525530406012021e0019

Resumo

O conceito de desclassificação tem vindo a ser edificado e consolidado pelo epistemólogo espanhol Antonio García Gutiérrez, desde 2006. Centrada numa perspectiva epistemológica que postula a diversidade dos mundos, da história, da cultura e de nossa própria vida, a desclassificação é um fermento de luta contra a imutabilidade que as categorias e as suas respectivas ordenações impõem amplamente a existência das diferenças. Entre o plano teórico-analítico e o plano prático das vivências e dos afetos, o presente escrito traz a exposição de experiências pessoais narradas numa entrevista concedida pelo próprio autor.
Professor por mais de quatro décadas nas universidades de Madri e Sevilha, García Gutiérrez é investigador visitante em vários centros latino-americanos, consultor de instituições internacionais e autor de prestigiadas obras no campo da desclassificação do conhecimento. Baseado na experiência deste livre-pensador o presente artigo procura dar luz à voz por trás da teoria da desclassificação. O objetivo central é oferecer subsídios teóricos e analíticos para o debate acerca dos desafios epistemológicos da desclassificação no domínio da Música, explorando possibilidades e variados modos de interlocução. Na entrevista, optamos por utilizar todo o conteúdo das respostas na sua forma original e em língua espanhola. O intuito principal é não distorcer a voz, conservar expressões, preservar todo o conteúdo em essência e, as suas possibilidades de sentido, o que provavelmente qualquer tradução violentaria. Mantivemos, sem qualquer alteração, a ordem como o nosso interlocutor preferiu agrupar questões e respostas. Incluindo-se, na seção final, fragmentos selecionados e partilhados pelo próprio Gutiérrez, remetendo à suas obras, mais especificamente Frentes Digitales (2016).

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Klênio Barros, Universidade de Aveiro

Klênio Barros é Técnico em Música (2005), Bacharel em Música (2009) e pós-graduado em Música (2011) - Práticas Interpretativas do Século XX e XXI -, pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN/Brasil). É mestre em Música (2014), numa articulação entre os Estudos em Performance e a Etnomusicologia, pela Universidade de Aveiro (Portugal). Atualmente, é aluno do Programa Doutoral em Música da Universidade de Aveiro, no ramo da Etnomusicologia. Possui trabalhos acadêmicos publicados e apresentados na área de análise musical e intertextual, da Etnomusicologia, dos Estudos em Performance e em Música Popular, em eventos acadêmicos nacionais e internacionais. 

Referências

GUTIÉRREZ, Antonio García. En Pedazos. El sentido de la desclasificación. Madrid: ACCI Ediciones, 2018.

GUTIÉRREZ, Antonio García. Cientificamente favelados: uma visão crítica do conhecimento a partir daepistemografia. Transinformação, Campinas, v. 18, n. 2, may/ aug. 2006. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-37862006000200002 Acesso em: 20 dez. 2019.

GUTIÉRREZ, Antonio García. Desclasificados: pluralismo lógico y violencia de la clasifi-cación. Barce-lona: Anthropos, 2007.

GUTIÉRREZ, Antonio García. La identidad excesiva. Madrid: Biblioteca Nueva, 2009.

GUTIÉRREZ, Antonio García. Pensar en la transcultura. Madri: Plaza y Valdés Editores, 2011.

GUTIÉRREZ, Antonio García. La organización del conocimiento en el nuevo orden trans-cultural: del totalitarismo a la desclasificación. Brazilian Journal of Information Science, v. 8, n. 1-2, parte I: 19, parte II:34, 2014. Disponível em: http://revistas.marilia.unesp.br/revistas/in-dex.php/bjis/is-sue/view/289 Acesso em: 1 jan. 2020.

GUTIÉRREZ, Antonio García. Frentes digitales: totalitarismo tecnológico y transcultura. 1 Ed. Sala-manca, España: Comunicación social ediciones, 2016.

GUTIÉRREZ, Antonio García. A ojos de la arena: ejercicios de desclasificacíon. Madrid: ACCI Ediciones, 2020.

LIMA, Erickinson Bezerra de; BARROS, Klênio. DIÁLOGOS DESCLASSIFICADOS Música e corpo-arquivo na construção de um saber inacabado primeiros passos. ORFEU - Revista do Programa de Pós-Gradua-ção em Música da UDESC, v. 5, n. 2, p. 01-21, 2020.

QUEIROZ, Luis Ricardo Silva. Traços de colonialidade na educação superior em música do Brasil: análi-ses a partir de uma trajetória de epistemicídios musicais e exclusões. Revista da Abem, Londrina v. 25, n. 39, p. 132-159, 2017. Disponível em: http://www.abemeducacaomusical.com.br/revistas/re-vistaabem/index.php/revistaabem/article/view/726. Acesso em: 04 mar. 2021.

RORTY, Richard. Education, philosophy and politics. England: Rowman & Littlefild Publishers, 2001.

Downloads

Publicado

2021-09-12

Como Citar

LIMA, E. B. de; BARROS, K. Diálogos desclassificados: a música e a voz por trás da teoria da desclassificação, segundo passo. Orfeu, Florianópolis, v. 6, n. 1, 2021. DOI: 10.5965/2525530406012021e0019. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/orfeu/article/view/19805. Acesso em: 31 jan. 2023.

Edição

Seção

Resenhas, Ensaios e Entrevistas