A internacionalização na perspectiva da educação patrimonial: um projeto no campo da educação musical latino-americana

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2525530406012021e0017

Palavras-chave:

patrimônio cultural, projetos internacionais, arte e educação, prática musical, prática artística

Resumo

Este texto apresenta reflexões emersas da análise das ações de um projeto de internacionalização desenvolvido em parceria entre duas instituições de ensino superior de dois países latino-americanos: Brasil e Chile, entre 2018 e 2019. Tanto as proposições quanto as discussões apresentadas tomaram como fundamento os princípios da educação patrimonial contemporânea e a ideia de internacionalização proposta por Kertz-Welzel (2018). Como resultado, a análise das ações permite dizer que a internacionalização, quando parte de planejamento colaborativo e integrado com as comunidades participantes, se consolida num processo educativo de construção, identificação e valorização de patrimônios que rompem fronteiras, visando à construção de comunidades de práticas artísticas culturalmente sensíveis e mundialmente conectadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andréia Veber, Universidade Estadual de Maringá

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Maringá. Mestre em Música - Educação Musical pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Licenciada em Música pela Universidade do Estado de Santa Catarina. Docente no departamento de Música da Universidade Estadual de Maringá. É integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas em Escola, Família e Sociedade (GEPEFS).

Solange Franci Raimundo Yaegashi, Universidade Estadual de Maringá

Pós-Doutora em Psicologia pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP). Doutora e Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Graduação em Psicologia pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Docente do Departamento de Teoria e Prática da Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Maringám (UEM). Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Escola, Família e Sociedade (GEPEFS).

Paulina Alejandra Reyes Díaz, Universidade Estadual de Maringá

Mestranda em Educação na Universidade Estadual de Maringá. Possui graduação em Pedagogia en Educacion Basica, Licenciada en Educacion pela Universidad Austral de Chile (2007). Possui conhecimentos e estudos na área artística / musical, narração oral, contação de histórias e promoção da leitura.

Referências

BRANDELLERO, A. et al. Popular music as cultural heritage: scoping out the field of practice. Inter-national Journal of Heritage Studies, v. 20, n. 3, p. 224-240, 2013. Disponível em: http://bit.ly/2YpurC9. Acesso em: 30 abr. 2019.

CALAF, R.; FONTAL MERILLAS, O. (coord.). Miradas al patrimonio. Gijón: Ediciones Trea, 2006. Dis-ponível em: http://bit.ly/2Oj82GB. Acesso em: 12 jun. 2019.

CANTÓN, V. La Educación Patrimonial, como estrategia para la formación ciudadana. Correo del Maestro, Monterey, México, n. 154, marzo 2009. Disponível em: http://bit.ly/2QQ0hr5. Acesso em: 15 jul. 2019.

CASTRO, J. R. B. As festas em louvor a São João Batista na Bahia: práticas devocionais e elementos míticos na interface sagrado/ profano. In: SERPA, A. (org.). Espaços culturais: vivências, imaginações e representações. Salvador: EDUFBA, 2008. p. 181-197.

DUSSEL, E. Transmodernidade e interculturalidade: interpretação a partir da filosofia da libertação. Revista Sociedade e Estado, v. 31, n. 1, p. 51-73, jan./abr. 2016.

FLORÊNCIO, S. R. R. Educação patrimonial: um processo de mediação. In: TOLENTINO, Á. B. Educa-ção patrimonial: reflexões e práticas. João Pessoa: IPHAN, 2012. p. 22-29.

FONTAL MERILLAS, O. Educación patrimonial: retrospectiva y prospectivas para la próxima década. Estudios Pedagógicos, v. 42, n. 2, p. 415-436, 2016. Disponível em: http://bit.ly/2SFt80z. Acesso em: 20 maio 2019.

FONTAL MERILLAS, O. (coord.). La Educación Patrimonial: del patrimonio a las personas. Gijón: Edi-ciones Trea, 2013. Disponível em: https://bit.ly/2Tdkbw4. Acesso em: 14 jun. 2019.

GARCÍA VALECILLO, Z. La educación patrimonial: Retos y pautas para educar a la ciudadanía desde lo patrimonial en Latinoamérica. CABÁS, n. 14, p. 58-73, 2015. Disponível em: http://bit.ly/2JTNPmq. Acesso em: 19 jun. 2019.

GOMES, N. L. O Movimento Negro e a intelectualidade negra descolonizando os currículos. In: BER-NARDINO-COSTA, J.; MALDONADO-TORRES, N.; GROSFOGUEL, R. (org.). Decolonialidade e pensa-mento afrodiáspórico. Belo Horizonte: Autêntica, 2018. p. 223-246.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. 4. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

HALL, S. El trabajo de la representación. Lima: IEP – Instituto de Estudios Peruanos, 2002.

IBARRA, M. Patrimônio e comunidade. Perspectiva da educação patrimonial Chilena (1970-2015). Mouseion, Canoas, n. 23, p. 15-40, abr. 2016. Disponível em: https://revistas.unilasalle.edu.br/in-dex.php/Mouseion/article/view/2788. Acesso em: 20 mar. 2019.

IBARRA, M.; BONOMO, U.; RAMIREZ, C. El patrimonio como objeto de estudio interdisciplinario: Reflexiones desde la educación formal chilena. Polis, Santiago, v. 13, n. 39, p. 373-391, dic. 2014. Disponível em: http://bit.ly/30XjLvU. Acesso em: 12 mar. 2019.

JODELET. D. Representações sociais e mundos de vida. São Paulo: Fundação Carlos Chagas; Curitiba: PUCPress, 2017.

KERTZ-WELZEL, A. Globalizing Music Educacion: A Framework. 1 ed. Indiana: Indiana University Press, 2018.

LANDER, E. et al. A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: CLACSO, 2005.

MALDONADO-TORRES, N. Sobre la colonialidad del ser: contribuciones al desarrollo de un con-cepto. In: CASTRO-GÓMEZ, S.; GROSFOGUEL, R. El giro decolonial. Reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global. Colombia: Siglo del Hombre, 2007. p. 127-167.

MIRANDA, C. Clandestinización y re-existencia diaspórica: horizontes expedicionários e insurgencia en afroamérica. In: SEPTIEN, R. C.; BIDASECA, K. et al. Más allá del decenio de los pueblos afrodes-cendentes. Buenos Aires: CLACSO, 2017.

QUIJANO, Aníbal (ed.). Des/colonialidad y bien vivir: un nuevo debate en America Latina. Lima: Editorial Universitaria, 2014.

SANTOS, B. de S. A crítica da razão indolente: contra o desperdício da experiência. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

TOLENTINO, Á. B. Educação Patrimonial decolonial: perspectivas e entraves nas práticas de patri-monialização federal. Revista Sillogés, v. 1, n. 1, p. 41-60, jan./jul. 2018. Disponível em: https://bit.ly/3noMvsr. Acesso em: 10 dez. 2020.

WALSH, C. Pedagogías decoloniales: prácticas insurgentes de resistir, (re)existir y (re)vivir. Tomo II. Quito, Ecuador: Abya-Yala, 2017. Disponível em: https://ayalaboratorio.com/2018/03/31/catherine-walsh-pedagogias-decoloniales-praticas-insurgentes-de-resistir-reexistir-e-reviver/. Acesso em: 10 dez. 2020.

WALSH, C. Interculturalidad y (de)colonialidad: perspectivas críticas y politicas. Visão Global, Joa-çaba, v. 15, n. 1-2, p. 61-74, 2012. Disponível em: http://bit.ly/2K8Em9R. Acesso em: 16 jan. 2019.

WALSH, C. Interculturalidad, Estado, Sociedad: luchas (de)coloniales de nuestra época. Quito: Uni-versidad Andina Simón Bolívar; Abya-Yala, 2009.

Downloads

Publicado

2021-09-11

Como Citar

VEBER, A.; YAEGASHI, S. F. R.; REYES DÍAZ, P. A. A internacionalização na perspectiva da educação patrimonial: um projeto no campo da educação musical latino-americana. Orfeu, Florianópolis, v. 6, n. 1, 2021. DOI: 10.5965/2525530406012021e0017. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/orfeu/article/view/19472. Acesso em: 31 jan. 2023.