Experimentação e ressignificação de elementos composicionais do Clube da Esquina no processo de criação de dois arranjos vocais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2525530405032020249

Palavras-chave:

Arranjo vocal, Clube da Esquina, canção, análise estilística

Resumo

Este artigo apresenta os resultados das experimentações realizadas no processo de criação de dois arranjos vocais que tiveram como principais alimentadores os elementos composicionais levantados durante o processo de análise estilística dos álbuns fonográficos do grupo de músicos conhecidos pelo termo Clube da Esquina. Assim, visa expor as possibilidades artísticas que podem emergir a partir da exploração da ideia de que a análise estilística também pode se inserir como recurso relevante dentro da dinâmica de apreensão e experimentação dos parâmetros de estruturação musical inerentes ao processo de criação de arranjos para grupos vocais. O primeiro arranjo foi o da canção Milagre dos Peixes, de Milton Nascimento e Fernando Brant, e o segundo da canção Chovendo na Roseira, de Tom Jobim. Por fim, é apresentada uma breve discussão de cunho teórico-reflexivo acerca das possibilidades que tal abordagem pôde oferecer nesta pesquisa e perspectivas sobre processos criativos no âmbito do arranjo vocal de repertório da música popular urbana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Roberto Ferreira Menezes Junior, Universidade Federal de Uberlandia

É professor efetivo do curso de graduação em música da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) atuando na área de música popular (harmonia, arranjo e história), e na área de música e novas tecnologias. Doutor em música pela ECA/USP na área de processos de criação musical. Mestre na área de inteligência artificial / computação sônica pela UFU (conclusão em julho de 2007). Pós-graduado (lato senso) no curso de especialização em música do século XX com área de concentração em computação sônica em 2001 pela UFU. possui graduação em Música - Bacharelado em Violão pela UFU (2002), graduação em Educação Artística / Licenciatura Plena em música pela UFU (2003) e graduação em Engenharia Mecânica pela UFU (1997). Tem experiência como professor, compositor, arranjador, violonista, cantor e regente de coral. Atuando principalmente nos seguintes temas: musica popular, arranjo vocal, violão, canto, composição, produção musical, arranjo, computação musical, música eletroacústica. Membro do Núcleo de Música e Tecnologia (NUMUT) da UFU. Fundador e integrante do quarteto vocal VagaMundo como cantor, violonista e arranjador.

Marco Antonio da Silva Ramos, Universidade de São Paulo

Professor Titular em Regência Coral no Depto. de Música da ECA-USP. Possui graduação em Música (Composição) pela Universidade de São Paulo (1979); mestrado em Artes pela Escola de Comunicações e Artes (1989) com a dissertação "Canto Coral: do repertório temático à construção do programa"; doutorado em Artes pela ECA-USP (1996) com a tese "Missa Guaimi: Três discursos sobre composição musical"; Livre-docência junto à ECA-USP com a tese "O ensino da regência coral" (2003) , Prof. Titular em Regência Coral (2011). Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Regência Coral, atuando principalmente nos seguintes temas: regência coral, canto, análise musical para performance, composição, música brasileira e o Uso musical do silêncio. Na pós-graduação seu foco é a análise para performance e o uso musical do silêncio, orientando também em ensino do canto e da regência coral e musicologia (repertório coral brasileiro). Tem atuado como professor convidado em cursos e workshops no Brasil e exterior (Hungria, EUA, Portugal, Espanha, Colômbia, Argentina). Como regente coral apresentou-se em diversos Estados brasileiros e também internacionalmente (Argentina, Colômbia, Hungria, Portugal, Espanha, Áustria, EUA). Fundou e dirigiu os coros: Coral do Museu Lasar Segall, Studio Coral-vozes femininas, Madrigal do Depto de Música da ECA-USP. Trabalhou com coros escolares: do Jardim São Luís, do Colégio Rainha da Paz e do Colégio Nossa Senhora das Graças. Atualmente é regente titular do Coral da ECA-USP e coordena o Comunicantus: Laboratório Coral do Departamento de Música da ECA/USP, que agrega 6 diferentes corais-laboratório. Atualmente é Diretor do CORALUSP. Coral da Universidade de São Paulo.

Referências

ACERVO DIGITAL CHIQUINHA GONZAGA. Disponível em: http://www.chiquinhagonzaga.com/acervo/. Acesso em: 01 set 2015.

ALMADA, C. Arranjo. Campinas: Editora da UNICAMP, 2000.

BAIA, S F. A historiografia da música popular no Brasil (1971 - 1999). 2010. 279 f. Tese (Doutorado em História Social) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

CHEDIAK, Almir. Harmonia e Improvisação. Rio de Janeiro: Editora Lumiar, 1986.

DINIZ, E. Lua Branca. In: ACERVO DIGITAL CHIQUINHA GONZAGA. s.d. Disponível em: http://www.chiquinhagonzaga.com/acervo/?musica=lua-branca. Acesso em: 01 set. 2015.

DINIZ, S. C. “Nuvem Cigana”: a trajetória do Clube da Esquina no campo da MPB. 2012. 231f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2012.

GUEST, I. Arranjo: método prático. Rio de Janeiro: Lumiar, 1996. v. 1, 2 e 3.

INSTITUTO ANTÔNIO CARLOS JOBIM. Disponível em: <http://www.jobim.org>. Acesso em: 01 mar. 2016.

MOLINA, S. A composição de música popular cantada: a construção de sonoridades e a montagem dos álbuns no pós-década de 1960. 2014. 152 f. Tese (Doutorado em Música) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

NASCIMENTO, H. G. Recriatura de Cyro Pereira: arranjo e interpoética na música popular. 2011. 239 f. Tese (Doutorado em Música) – Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2011.

PERSICHETTI, Vincent. Harmonia no século XX: Aspectos criativos e prática. Tradução de Dorotea Kerr. São Paulo: Via Lettera, 2012.

RAMOS, M. A. da S. O ensino da Regência Coral. 2003. 107 f. Tese (Livre Docência) –Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.

TAGG, Philip. Everyday Tonality II - towards a tonal theory of what most people hear. New York & Huddersfield: The Mass Media Scholar´s Press, 2014.

WILLIAMS, R. Cultura. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

WILLIAMS, R. Marxismo e literatura. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.

Downloads

Publicado

2020-12-16

Como Citar

MENEZES JUNIOR, Carlos Roberto Ferreira; RAMOS, Marco Antonio da Silva. Experimentação e ressignificação de elementos composicionais do Clube da Esquina no processo de criação de dois arranjos vocais. Orfeu, Florianópolis, v. 5, n. 3, 2020. DOI: 10.5965/2525530405032020249. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/orfeu/article/view/17869. Acesso em: 24 maio. 2024.