Experimentação como interseção entre composição e performance na criação musical: uma experiência de colaboração

Autores

  • Heitor Martins Oliveira Universidade Federal do Tocantins https://orcid.org/0000-0003-0211-2789
  • Dario Rodrigues Silva
  • Gina Arantxa Arbeláez Hernández Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Renan Colombo Simões Universidade Estadual do Rio Grande do Norte
  • Sabrina Souza Gomes Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.5965/2525530405012020177

Palavras-chave:

Criação musical, colaboração, indeterminação, experimentação, processo criativo

Resumo

O artigo aborda o papel da experimentação na colaboração criativa ‒ composição e performance ‒ do Coletivo N·S·L·O. A investigação é construída a partir dos registros colecionados ao longo do processo criativo e de relatos produzidos pelos(as) próprios(as) integrantes. Assim, a discussão considera as perspectivas particulares de cada um(a), até a consolidação dos produtos musicais. Nesse processo, a experimentação cria um espaço em que compositor e intérpretes atuam juntos de maneira decisiva para o resultado criativo alcançado. Os resultados das experimentações são incorporados à composição, por meio da escrita indeterminada, e à construção da performance, por meio de jogos constituídos por materiais musicais, ações e interações. A colaboração, embora preserve a divisão de papéis, assume caráter horizontal e flexível. A proposta estética abarca os aspectos de teatralidade e jogo como resultado da dinâmica entre escrita indeterminada e performance.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Heitor Martins Oliveira, Universidade Federal do Tocantins

Professor adjunto da Universidade Federal do Tocantins. Possui bacharelado em Música (Regência) e licenciatura em Educação Artística pela Universidade de Brasília (2002 e 2006), mestrado em Música (Composição) - Texas State University - San Marcos (EUA) (2004), título reconhecido no Brasil pela Universidade Federal de Goiás (2008), e doutorado em Música (Composição) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2018).

Dario Rodrigues Silva

Doutor em Música - Práticas Interpretativas, piano - pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), bolsista CAPES sob a orientação da Prof.ª Dr.ª Catarina Leite Domenici. Em 2015, graduou-se Mestre em Música, bolsista CNPq na mesma instituição (UFRGS), sob a orientação da Prof.ª Dr.ª Catarina L. Domenicci. Em 2013, graduou-se Bacharel em Música Instrumento: Piano na Universidade de São Paulo (USP), campus Ribeirão Preto, sob a orientação do Prof. Dr. Fernando Crespo Corvisier. Iniciou seus estudos de piano aos treze anos na Escola Municipal de Música, Artes Plásticas e Cênicas Maestro Fêgo Camargo, em Taubaté, interior de São Paulo, sob a orientação do prof. Fábio Augusto Ferreira. Apresentou-se em recitais solo e com grupos de câmara por cidades do interior do estado de São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraíba, Rio Grande do Norte e, no exterior, Colômbia. Participou de masterclasses com professores de renome no cenário nacional e internacional como Fábio Luz, Fátima Monteiro, Cláudio Soares (Japão-Brasil), Eduardo Monteiro, Gilberto Tinetti, Luciana Sayuri, Jerzy Tosik-Warszawiak (Polônia), Ana Cervantes (México), Ricardo Kubala, Maria Vischnia (Uruguai - Brasil), Marie Triplet (França), Julian Tryczynski (Polônia-Brasil), Ney Fialkow, Cristina Capparelli Gerling e Cláudio Cruz. Possui artigos publicados no Seminário Nacional de Pesquisa em Música em Goiânia/GO (SEMPEM 2009 e 2010), Congressos da ANPPOM (2011 e 2012) onde também realizou apresentações artísticas de obras de Almeida Prado e na 1ª e 2ª Semana Jovens Pesquisadores do Departamento de Música de Ribeirão Preto (USP). Foi articulista da Revista Movimento Vivace, veículo oficial de divulgação da Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto, para a qual escreveu notas de concertos e artigos sobre arte. De 2013 á 2018 atuou como professor de piano no curso de extensão da UFRGS. Desde 2017 é participante do "Coletivo N-S-L-O: colaboração compositor-intérpretes na criação musical contemporânea", projeto contemplado no programa Rumos 2017-2018 do Instituto Itaú Cultural.

Gina Arantxa Arbeláez Hernández, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Possui graduação em Interpretación Musical pelo Instituto Departamental de Bellas Artes - Cali (2013). Atualmente é Doutoranda no PPG em Música da UFRGS e flautista da Orquestra de Sopros de Novo Hamburgo. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Performance Musical e Educação. Nasceu em Santiago de Cali (Valle del Cauca - Colômbia). Em 2013 completou os seus estudos de Graduação no Conservatório "Antonio María Valéncia" do Instituto Departamental de Bellas Artes, sob a orientação do Professor Remo Ceccato. Foi selecionada em 2005 e 2014 no concurso "Jóvenes Intérpretes" da Biblioteca "Luis Ángel Arango" do Banco da República de Colômbia, também no "Concurso Jóvenes Solistas XI 2012" da Orquestra Filarmônica de Cali, assim como bolsista do Cartagena VIII Festival Internacional de Música 2014, no Festival Internacional Sesc de Música Pelotas 2016‏ e 2018, no 47° Festival de Inverno Campos do Jordão 2016 assim como no IV Gramado in Concert 2018. Teve master classes com professores colombianos como Jorge Zabala, León Alberto Giraldo e Elizabeth Rengifo. Também com Etienne Plasman (Bélgica), Immanuel Davis (EUA), Gilles Burgos (França), Bruno Lombardi (Itália), Rubem Schuenck (Brasil), Raúl Costa (Brasil), Fernando Pacífico (Brasil), André Mendes (Brasil), Chirstine Beard (EUA), Jessica Dalsant (Italia), Claudia do Nascimento (Brasil), Wally Hase (Alemanha), Ransom Wilson (EUA), Marcelo Barboza (Brasil), Christopher Lee (Canadá), Alexandre Eisenberg (Brasil) Sergio Barrenechea (Brasil), Mauricio Freire (Brasil), Jorge Salgado Correia (Portugal), Lucas Robatto (Brasil) e Adriana Ferreira (Portugal). Tem sido flautista ativa em vários grupos de música de câmara como o "Duo Aeris -Corda" de flauta e violão, "ArsVitam" conjunto de música colombiana, ?Trio Sonata? de flauta, violoncelo e piano, entre outros. Tem sido também musicista convidada da Banda Departamental do Valle del Cauca, da Orquestra Filarmônica de Cali, da Orquestra de Câmara "Leon J. Simar" , da Orquesta Sinfônica da Universidade de Caxias do Sul - OSUCS, da Orquestra de Câmara da Universidade de Santa Cruz do Sul - UNISC e da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre - OSPA. Atualmente cursa o segundo ano do Doutorado em Práticas Interpretativas no Programa de Pós-Graduação em Música da UFRGS sob a orientação do Professor Dr. Leonardo L. Winter e flautista na Orquestra de Sopros de Novo Hamburgo - OSNH.

Renan Colombo Simões, Universidade Estadual do Rio Grande do Norte

Professor Adjunto II da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), Doutor e Mestre em Música (Práticas Interpretativas - Violão) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), orientado por Daniel Wolff e Leonardo Winter, bacharel em Música (Habilitação - Violão) pela Faculdade de Música do Espírito Santo (FAMES), orientado por Fabiano Mayer, e especialista em Arte e Educação pelo Instituto Superior de Educação e Cultura Ulysses Boyd. Sua produção fonográfica solo abarca quatro lançamentos: o EP autoral de violão solo "Suíte Pop/ Quatro Miniaturas" (2014, Independente), o CD "Renan Simões Interpreta Compositores do Espírito Santo" (2014, FAMES), o CD duplo "Capixaba" (2015, SECULT-ES) e o EP homônimo da banda Nankimm (2016). Em 2014, atuou como coordenador da Camerata Fames de Violões e do Duo Fames de Violões. Entre 2010 e 2011, atuou como instrutor do Laboratório de Alta Performance em Instrumento (LAPI) na FAMES. Integra o Duo Capixaba de Violões e o Coletivo NSLO, de criação e performance musical. Apresentou recitais solo e em duo nos estados do Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná, Rio Grande do Norte, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, e em Portugal e Argentina, além de concertos à frente da Orquestra de Câmara da FAMES, Orquestra Camerata Sesi e Orquestra Sinfônica da Universidade Federal de Alagoas (OSUFAL). Em concursos competitivos, recebeu vinte e duas premiações como solista, destacando-se o 1° lugar e Melhor Intérprete Capixaba no IX Concurso Nacional Villa-Lobos (Vitória/ES), 1° lugar no XXVII Concurso Latino Americano Rosa Mística (Curitiba/PR), 1° lugar no IV Concurso de Violão Erudito do Conservatório Musical Villa-Lobos (Osasco/SP), 1° lugar e Melhor Intérprete de Música Brasileira no V Concurso Áurea Adnet de Música Erudita (Vitória/ES), 1° lugar e Melhor Intérprete de Fred Schneiter no IV Concurso de Violão Fred Schneiter (Niterói/RJ), e 1° lugar e Melhor Intérprete de Obra Portuguesa no XI Concurso Internacional Cidade do Fundão (Portugal). Recebeu, em 2010, o prêmio de Honra ao Mérito da FAMES, por ser o músico mais premiado da história dessa instituição.

Sabrina Souza Gomes, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Sabrina Souza é Mestre em Música (Práticas Interpretativas) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS); Bacharel em Música com habilitação em Violão pela Faculdade de Música do Espírito Santo ?Maurício de Oliveira? (FAMES), e atua como professora substituta na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) nos cursos de Bacharelado e Técnico em Violão. Integra o Duo Capixaba de Violões, que em 2015 teve a oportunidade de gravar nove músicas no CD Capixaba, de Renan Simões, projeto no qual realizou uma série de 22 pinturas, representando as obras gravadas no CD e paisagens do Espírito Santo. No mesmo ano, o Duo apresentou-se na Mostra SESC de Música de Câmara (SESC Glória, Vitória/ES), no Auditorium Tasso Correa do Instituto de Artes da UFRGS (Porto Alegre/RS), na Universidade de Caxias do Sul (RS), na Série Café Concerto (RJ) e no congresso PERFORMA ?15 ? International Conference on Musical Performance (Aveiro, Portugal). O Duo notabilizou-se também pela obtenção do 3º Lugar no Concurso Violão Sem Fronteiras, da Semana Assad (São João da Boa Vista/SP), concurso aberto a todos os gêneros instrumentais, com 109 candidatos de 51 cidades brasileiras, além de candidatos da Bélgica, França, Argentina e Costa Rica. Também participa do grupo de colaboração e criação musical intitulado Coletivo N.S.L.O, contemplado no Edital "Rumos" promovido pelo Itaú Cultural. Juntamente com o compositor Heitor Oliveira, o pianista Dario Rodrigues, a flautista Gina Arantxa, e o violonista Renan Simões, realiza um circuito artístico que prevê recitais, masterclasses e mesa-redondas nas cidades de Porto Alegre (RS), Mossoró (RN), Ribeirão Preto (SP), Palmas (TO), e Cali (Colômbia).

Referências

Referências

BORÉM, F. Lucípherez de Eduardo Bértola: a colaboração compositor-performer e a escrita idiomática para contrabaixo. Opus, Rio de Janeiro, v. 5, n. 5, p. 48-75, 1998.

BORÉM, F. Perfect partners: a performer-composer collaboration in Andersen Viana’s Double bass Sonata. Double Bassist, London, n. 8, p. 18-21, 1999.

BOULEZ, Pierre. Troisième Sonate pour piano (1955-1957). Paavali Jumppanen. 1 vídeo (25 min). Publicado pelo canal meekojarvi. [S. l.: s. n.], 2014. Disponível em: https://youtu.be/_99N6QudZx8. Acesso em: Jul. 2020.

CAGE, John. TV Köln (1958). New York: Henmar Press Inc., 1960. 1 partitura. Disponível em: http://exhibitions.nypl.org/johncage/node/244. Acesso em: Jul. 2020.

CAGE, John. TV Köln: Elif Önal (1958). Ankara: [s. n.], 22 nov. 2012. 1 vídeo (3 min). Publicado pelo canal Bilkent Composition, 2012. Disponível em: https://youtu.be/w-WM30H5D4s. Acesso em: Jul. 2020.

CANONNE, Clément. Enseigner l’improvisation ? Entretien avec Alain Savouret. Tracés, Revue de Sciences humaines, v. 18, 2010. Disponível em: http://journals.openedition.org/traces/4626. Acesso em: Jul. 2020.

CARDASSI, L. Meu rosto mudou: time and place within a performer-composer collaboration. Sonic Ideas/Ideas Sonicas CMMAS, v. 4, n. 1, p. 31-38, 2011.

COSTA, R. L. M. Música errante: o jogo da improvisação livre. São Paulo: Perspectiva, 2016.

DOMENICI, C. L. O intérprete em colaboração com o compositor: uma pesquisa autoetnográfica. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM MÚSICA (ANPPOM), 20., 2010, Florianópolis. Anais […]. Florianópolis: Anppom, 2010. p. 1142-1147.

DOMENICI, C. L. Beyond notation: the oral memory of Confini. In: PERFORMA, ENCONTROS DE INVESTIGAÇÃO EM PERFORMANCE, 5., 2011, Aveiro. Anais […]. Aveiro: Universidade de Aveiro, 2011. p. 1-14.

DOMENICI, C. L. It takes two to tango: a prática colaborativa na música contemporânea. Revista do Conservatório de Música da UFPel, Pelotas, n. 6, p. 1-14, 2013.

DONIN, Nicolas. Empirical and historical musicologies of compositional processes: towards a cross-fertilisation. In: COLLINS, Dave (ed.). The act of musical composition: studies in the creative process. Surrey: Ashgate, 2012. p. 1-26.

DONIN, Nicolas. Composer. Écritures musicales... sur le vif. Genesis, v. 31, 2010.

Disponível em: http://journals.openedition.org/genesis/821. Acesso em: Jul. 2020.

FORTIN, Sylvie; GOSSELIN, Pierre. Considerações metodológicas para a pesquisa em arte no meio acadêmico. Art Research Journal, Brasil, v. 1, n. 1, p. 1-17, 2014.

GOMES, S. S. A reelaboração de passagens não idiomáticas do estudo n. 10 para violão solo de Marcelo Rauta por meio da colaboração intérprete-compositor. 2017. 134 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2017.

IDDON, Martin. John Cage and David Tudor: correspondence on interpretation and performance. Cambridge: Cambridge University Press, 2013.

ISHIZAKI, Y. B. M.; MACHADO, M. A. A colaboração entre compositor e intérprete no processo criativo de Arcontes. Revista do Conservatório de Música da UFPel, Pelotas, n. 6, p. 71-102, 2013.

KOELLREUTTER, H. J. Wu-li: um ensaio de música experimental. Estudos Avançados, São Paulo, v. 4, n. 10, 1990. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40141990000300011. Acesso em: Mar. 2020.

MATHON, Geneviève. Poétiques de l’aléa. In: DONIN, Nicolas; FENEYROU, Laurent. Théories de la composition musicale au XXe siècle. Lyon: Symétrie, 2015. V. 2. p. 1213-1238.

LIMA, Paulo Costa. Composicionalidade: teoria e prática do compor no horizonte da atualidade. In: VOLPE, Maria Alice (ed.). Teoria, crítica e música na atualidade. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro, Escola de Música, Programa de Pós-Graduação em Música, 2012. p. 117-132.

MORAES, Tharcísio V. Ludum, uma composição “jogo” ‒ Técnicas de Áudio Dinâmico para Games aplicadas em outro contexto. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE JOGOS E ENTRETENIMENTO DIGITAL (SBGAMES), 14., 2014, Teresina. Anais […]. Teresina: SBGames 2015, 2014. p. 730-733.

NESRALA, Arthur. A improvisação como processo criativo: uma abordagem barroca e contemporânea. 2019. 93 f. Trabalho de Projeto de Mestrado – Instituto Politécnico de Castelo Branco, Castelo Branco, 2019.

ÖSTERSJÖ, S. Shut up ‘n’ play! Negotiating the musical work. 2008. 409 f. Tese (Doutorado) – Malmö Academies of Performing Arts, Lund University, Malmö, 2008.

PUIG, D. Complexidade e metapadrões: composição com improvisação. In: CONGRESSO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM MÚSICA (ANPPOM), 23., 2013, Natal. Anais […]. Natal: Anppom, 2013.

RADICCHI, J. M.; ASSIS, A. C. Inflexões para flauta solo: um estudo sobre a colaboração compositor-intérprete. In: CONGRESSO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE

PERFORMANCE MUSICAL (ABRAPEM), 2., 2014, Vitória. Anais […]. Vitória: Abrapem,

V. 1. p. 202-210.

RAY, S. Breve reflexão sobre a performance da obra Movimento para contrabaixo e orquestra. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓSGRADUAÇÃO EM MÚSICA (ANPPOM), 13., 2001, Belo Horizonte. Anais […].Belo Horizonte: Anppom, 2001. V. 2. p. 523-530.

REBSTOCK, Matthias. Composed Theatre: mapping the field. In: REBSTOCK, Matthias;

ROESNER, David (org.). Composed Theatre: aesthetics, practices, processes. Kindle Edition. Bristol, UK; Chicago, USA: Intellect, 2012a. Chapter 1.

REBSTOCK, Matthias. “Ça devient du théâtre, mais ça vient de la musique”: the music theatre of Georges Aperghis. In:

REBSTOCK, Matthias; ROESNER, David (org.). Composed Theatre: aesthetics, practices, processes. Kindle Edition. Bristol, UK; Chicago, USA: Intellect, 2012b. Chapter 11.

ROESNER, David. Introduction: Composed Theatre in context. In: REBSTOCK, Matthias; ROESNER, David. Composed Theatre: aesthetics, practices, processes. Kindle Edition. Bristol, UK; Chicago, USA: Intellect, 2012.

ROSA, A.; TOFFOLO, R. B. G. O resto no copo: colaboração compositor-intérprete. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM MÚSICA (ANPPOM), 21., 2011, Uberlândia. Anais […]. Uberlândia: Anppom, 2011. V. 1. p. 1139-1144.

SILVA, D. R. Processos criativos colaborativos na música contemporânea: dois estudos

de caso. 2019. 378 f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2019.

SILVA, D. R. A obra pianística de Marisa Rezende: processo de construção da performance através da interação entre intérprete e compositora. 2015. 191 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

STOCKHAUSEN, K. Aus den sieben Tagen (1968). Vienna: Universal Edition, 1968. 1

partitura. Disponível em: https://soundartarchive.net/articles/Lina_Lapelyte-2008-Aus.pdf. Acesso em: Jul. 2020.

TOKESHI, E.; COPPETTI, R. Técnica expandida para violino na música brasileira: um levantamento de material didático. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE PESQUISA EM MÚSICA, 4., 2004, Goiânia. Anais […]. Goiânia: PPG Música da UFG, 2004.

Downloads

Publicado

2020-10-18

Como Citar

OLIVEIRA, H. M.; SILVA, D. R.; ARBELÁEZ HERNÁNDEZ, G. A.; SIMÕES, R. C.; GOMES, S. S. Experimentação como interseção entre composição e performance na criação musical: uma experiência de colaboração. Orfeu, Florianópolis, v. 5, n. 1, 2020. DOI: 10.5965/2525530405012020177. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/orfeu/article/view/17529. Acesso em: 31 jan. 2023.