Berimbau: instâncias de decisão compartilhada em uma composição colaborativa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2525530405012020106

Palavras-chave:

composição colaborativa, instâncias de decisão, colaboração compositor-performer

Resumo

O presente artigo apresenta uma reflexão sobre a composição colaborativa da obra Berimbau para piano, voz e sons eletroacústicos. Os objetivos intentados foram: a) oferecer um panorama do estado da arte da pesquisa em colaboração artística (JOHN-STEINER, 2000; BARRET, 2014) e da criatividade distribuída (CLARKE; DOFFMAN, 2017); b) descrever brevemente as teorias da composição desenvolvidas por Laske (1991) e Reynolds (2002), iluminadas por Rios Filho (2010); e, a partir delas, c) propor uma reflexão sobre instâncias de decisão compartilhada entre colaboradores com o objetivo de compor uma obra musical. Para tanto, utilizamos episódios do processo colaborativo da obra Berimbau para exemplificar as diversas fases e instâncias de decisão propostas no esquema. Acreditamos que o presente artigo possa ser somado às iniciativas de reflexão acerca da colaboração artística e oferecer alternativas para a compreensão e estudo de como os processos colaborativos podem ser desenvolvidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Mascarenhas Espinheira, Universidade Federal da Bahia

Alexandre é mestre e doutor em música (composição) pela Universidade Federal da Bahia, onde leciona desde 2017. Compôs pouco mais de 70 obras tocadas em diversas cidades no país e fora dele. Tem interesse na fricção entre música de concerto contemporânea e cultura popular. Sua pesquisa atual envolve teoria pós-tonal e poética a partir do background cultural de instrumentos tradicionais.

Luciane Aparecida Cardassi, UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

Professora Visitante do PPGMUS-UFBA, Luciane Cardassi é Doutora em Performance da Música Contemporânea pela Universidade da Califórnia, SanDiego (UCSD), Mestre em Música pela UFRGS e Bacharel em Música pela USP.  É pesquisadora na área de Performance Musical e Colaboração com Compositores

Referências

BARRETT, Margaret S. Collaborative creative thought and practice in music. SEMPRE Studies in The Psychology of Music. Surrey: Ashgate, 2014.

BERTISSOLO, Guilherme. Composição e Capoeira: dinâmicas do compor entre música e capoeira. Tese (Doutorado) – UFBA, Salvador, 2013.

BERTISSOLO, Guilherme. O pato-coelho da criação em música: intencionalidade, experiência e intersubjetividade. In: LIMA, Paulo Costa (org.). Pesquisa em música e diálogos com produção artística, ensino, memória e sociedade. Vol. 1. Salvador: EDUFBA, 2016. p. 221-236. (Série Paralaxe).

CARDASSI, Luciane. [Sugestão de palmas]. WhatsApp: [Troca de mensagens com Alexandre Espinheira]. 26 fev. 2019. 9:39. 1 mensagem de WhatsApp.

CARDASSI, Luciane. [Voz, palmas, clusters e a combinação desses elementos em um gesto novo na Cavalaria]. WhatsApp: [Troca de mensagens com Alexandre Espinheira]. 26 fev. 2019. 9:50. 1 mensagem de WhatsApp.

CARDASSI, Luciane; BERTISSOLO, Guilherme. Colaboração compositor-performer: uma proposta de metodologia. In: CONGRESSO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM MÚSICA, 29., 2019, Pelotas. Anais […]. Pelotas: UFPel, 2019.

CARDASSI, Luciane; BERTISSOLO, Guilherme. Shared musical creativity: teaching composer-performer collaboration. Vórtex, Curitiba, v. 8, n. 1, 2020. DOI: 10.33871/23179937.2020.8.1.13

CHAFFIN, Roger; LISBOA, Tania. Practicing perfection: how concert soloists prepare for performance. Ictus, Salvador, v. 9, n. 2, 2008.

CHAVES, Celso G. Loureiro. Processo criativo e composição musical: proposta para uma crítica genética em música. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DA ASSOCIAÇÃO DE PESQUISADORES EM CRÍTICA GENÉTICA, 10., 2012, Porto Alegre. Anais […]. Porto Alegre: PUCRS, 2012. Disponível em: http://ebooks.pucrs.br/ edipucrs/anais/apcg/edicao10/Celso.Chaves.pdf. Acesso em: 15 ago. 2019.

CLARKE, Eric; DOFFMAN, Mark. Distributed Creativity: collaboration and improvisation in Contemporary Music. New York: Oxford University Press, 2017.

COOK, Nicholas. Entre o processo e o produto: música e/enquanto performance. Trad. F. Borém. Per Musi, Belo Horizonte, n. 14, p. 5-22, 2006.

DOFFMAN, Mark; CALVIN, Jean-Philippe. Contemporary Music in Action: performercomposer

collaboration within the conservatoire. In: CLARKE, Eric; DOFFMAN, Mark. Distributed Creativity: collaboration and improvisation in contemporary music. New York: Oxford University Press, 2017.

DOMENICI, Catarina Leite. It takes two to tango: a prática colaborativa na música contemporânea. Revista do Conservatório de Música da UFPel, Pelotas, n. 6, p. 1-14,

ESPINHEIRA, Alexandre. A teoria pós-tonal aplicada à composição: um guia de sugestões compositivas. Tese (Doutorado) – UFBA, Salvador, 2011.

ESPINHEIRA, Alexandre. [A voz imitando o berimbau no gesto novo na Cavalaria]. WhatsApp: [Troca de mensagens com Luciane Cardassi]. 26 fev. 2019. 9:46. 1 mensagem de WhatsApp.

FORTIN, Sylvie. Contribuições possíveis da etnografia e da autoetnografia para a pesquisa na prática artística. Trad. Helena Mello. Cena, Porto Alegre, n. 7, p. 77-88, 2009.

FRUNGILLO, Mário D. Dicionário de percussão. São Paulo: Ed. Unesp, Imprensa Oficial do Estado, 2003.

HAYDEN, Sam; WINDSOR, Luke. Collaboration and the composer: case studies from the end of the 20th century. Tempo, Cambridge, v. 61, n. 240, p. 28-39, 2007.

JÄHNICHEN, Gisa. Field note: musical instruments used in rituals of the Alak in Laos. Asian Ethnology, v. 72, n. 1, p. 119-142, 2013.

JOHN-STEINER, Vera. Creative Collaboration. New York: Oxford University Press, 2000.

LASKE, Otto. Toward an epistemology of composition. Interface-Journal of New Music Research, n. 20 (3-4), p. 235-269, 1991.

NEUENFELDT, Karl. Notes on Old Instruments in New Contexts. The World of Music, v. 40, n. 2, p. 5-8, 1998.

PAREYSON, Luigi. Os problemas da estética. Trad. Maria Helena Nery Garcez. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

REYNOLDS, Roger. Form and method: composing music. New York, London: Routledge, 2002.

RIOS FILHO, Paulo. Hibridação cultural como horizonte metodológico para a criação de música contemporânea. Dissertação (Mestrado) – UFBA, Salvador, 2010.

RIOS FILHO, Paulo. Um compor emaranhado: composição, teoria e análise ao longo de linhas. Tese (Doutorado) – UFBA, Salvador, 2015.

SALLES, Cecilia A. Crítica genética: uma (nova) introdução. 2. ed. São Paulo: Educ, 2000.

SALLES, Cecilia A. Gesto inacabado: processo de criação artística. 5. ed. ver. e ampl. São Paulo: Annablume, 2014.

STRAUS, Joseph N. Introdução à Teoria Pós-tonal. Trad. Ricardo Mazzini Bordini. Salvador: UNESP/EDUFBA, 2013.

Downloads

Publicado

2020-10-18

Como Citar

ESPINHEIRA, A. M.; CARDASSI, L. A. Berimbau: instâncias de decisão compartilhada em uma composição colaborativa. Orfeu, Florianópolis, v. 5, n. 1, 2020. DOI: 10.5965/2525530405012020106. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/orfeu/article/view/17312. Acesso em: 31 jan. 2023.