Internacionalização, humanismo e ética

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2525530404022019059

Palavras-chave:

internacionalização, humanismo, expectativa de honestidade, ética

Resumo

Este artigo traz apontamentos a respeito do processo de internacionalização nas universidades públicas do Brasil, com foco na internacionalização dos programas de pós-graduação, além de serem discutidos os objetivos intencionados com a realização de cooperações internacionais. A seguir, tendo como base a experiência adquirida em projetos de colaboração internacional, proponho repensar o processo de internacionalização à luz de uma perspectiva humanista, na qual as relações interpessoais são redimensionadas e arroladas como resultados objetivados nas cooperações interinstituicionais. O resultado esperado com a adoção desse aporte humanista é a transformação ética dos envolvidos em experiências de mobilidade acadêmica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antenor Ferreira Correa, Universidade de Brasília

Professor associado do departamento de música da Universidade de Brasília.

 

Referências

ADORNO, Theodor. Minima Moralia. Tradução de Artur Morão. Lisboa: Edições 70, 1951.

ARISTÓLES. Ética a Nicômano. Tradução de Leonel Vallandro e Gerd Bornheim. São Paulo: Nova Cultural, 1991. Disponível em: https://abdet.com.br/site/wp-content/uploads/2014/12/%C3%89tica-a-Nic%C3%B4maco.pdf.

BAKER, Patrick. Italian Renaissance Humanismin the Mirror. Cambridge: Cambridge University Press, 2015.

CAPES. Programa Institucional de Internacionalização Capes-PrInt. Edital nº 41/2017. Brasília: Capes, 2017a. Disponível em: http://www.capes.gov.br/images/stories/download/editais/10112017-Edital-41-2017-Internacionalizacao-PrInt-2.pdf.

CAPES. A internacionalização na Universidade Brasileira: resultados do questionário aplicado pela Capes. Brasília: Capes, 2017b. Disponível em: https://www.capes.gov.br/images/stories/download/diversos/A-internacionalizacao-nas-IES-brasileiras.pdf.

CARVALHO, José Sérgio Fonseca de. Os ideais da formação humanista e o sentido da experiência escolar. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 43, n. 4, p. 1023-1034, 2017.

CORRÊA, Antenor Ferreira. A Humanist Perspective Within Higher Education Internationalization Process. In: Music in an Intercultural Perspective. Brasília: Strong Edições, 2016. p. 85-92.

DAMÁSIO, António. Ao encontro de Espinosa: as emoções sociais e a neurologia do sentir. Lisboa: Publicações Europa-América, 2003.

FEICHAS, Heloisa. Espiritualidade crítica: desenvolvendo alguns conceitos para uma educação musical humanizadora. In: CORRÊA, Antenor Ferreira; NARITA, Flávia M. Ensino e pesquisa em Artes: experiências no âmbito do ProfArtes. Goiânia: Ed. UFG, 2019. (no prelo).

GAZZOLA, Ana Lucia. Entrevista publicada no site do Instituto Internacional para la Educación Superior en América Latina y el Caribe (IESALC/Unesco), 2018. Disponível em: http://www.iesalc.unesco.org/2018/06/08/ana-lucia-gazzola-a-cres-2018-deveressignificar-os-principios-que-orientaram-a-reforma-universitaria/.

GIUSTINIANI, Vito R. Homo, Humanus, and the meanings of “humanism”. Journal of the History of Ideas, v. 46, n. 2, p.167-195, 1985.

GOERGEN, Pedro. A internacionalização dos programas de pós-graduação. REP - Revista Espaço Pedagógico, Passo Fundo, v. 19, n. 2, p. 247-257, jul./dez. 2012. Disponível em: http://www.upf.br/seer/index.php/rep/article/view/3111/2125.

JOLY, Ilza Z. L.; SEVERINO, Natália B. (Org.). Processos educativos e práticas sociais em Música: um olhar para educação humanizadora - pesquisas em educação musical. Curitiba: CRV, 2016.

MARRARA, Thiago. Internacionalização da Pós-Graduação: objetivos, formas e avaliação. Revista Brasileira de Pós-graduação, v. 4, n. 8, p.245-262, 2007. Disponível

em: http://ojs.rbpg.capes.gov.br/index.php/rbpg/article/view/132/126.

OLIVEIRA, Pedro Augusto Dutra de. Por uma educação musical humanizadora: o ensino coletivo de música a várias mãos. 2014. 136 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2014.

PINTO, Angelo C.; ANDRADE, Jailson B. de. Fator de Impacto de Revistas Científicas: qual o significado deste parâmetro? Química Nova, v. 22, n. 3, p. 448-453, 1999.

UFC. Plano de Internacionalização da Universidade Federal do Ceará. Fortaleza: PróReitoria de Relações Internacionais, Universidade Federal do Ceará, 2017. Disponível em: http://www.ufc.br/images/_files/a_universidade/plano-internacionalizacao-ufc/plano-internacionalizacao-ufc.pdf.

UFRGS. Plano Institucional de Internacionalização da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: UFRGS, 2017. Disponível em: http://www.ufrgs.br/propg/print-ufrgs/arquivos/plano-institucional.

UFSC. Plano de Internacionalização da Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis: Secretaria de Relações Internacionais, Universidade Federal de Santa Catarina, 2018. Disponível em: http://novaprpg.paginas.ufsc.br/files/2019/02/PROPOSTA-DE-PLANO-INSTITUCIONAL-DEINTERNACIONALIZAC%CC%A7A%CC%83O-Final-Aprovada.pdf.

UNB. Plano de Internacionalização da Universidade de Brasília. Brasília: UnB, 2018. Disponível em: http://www.int.unb.br/br/institucional/plano-de-internacionalizacao.

UNOESC. Plano de Internacionalização da Universidade do Oeste de Santa Catarina. Joaçaba: Editora Unoesc, [s.d.]. Disponível em: https://www.unoesc.edu.br/images/uploads/atendimento/Plano_de_Internacionalizac%cc%a7a%cc%83o_(1).pdf.

Downloads

Publicado

2019-12-20

Como Citar

CORREA, A. F. Internacionalização, humanismo e ética. Orfeu, Florianópolis, v. 4, n. 2, p. 59-78, 2019. DOI: 10.5965/2525530404022019059. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/orfeu/article/view/1059652525530404022019059. Acesso em: 4 fev. 2023.