Iniciação ao violão através de práticas musicais coletivas: aspectos para a produção de arranjos didáticos

Autores

  • Tamires Lemos Rampinelli Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)
  • Clayton Daunis Vetromilla Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

DOI:

https://doi.org/10.5965/2525530404012019101

Palavras-chave:

Iniciação ao violão, Práticas musicais coletivas, Arranjos didáticos, Processo de musicalização através do violão

Resumo

Este estudo apresenta aspectos do projeto de pesquisa que está sendo desenvolvido no Programa de Mestrado Profissional em Música (Proemus) da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio). Depois de breve categorização de uma amostragem da produção pedagógica de violonistas brasileiros renomados (ZANON, 2006), discutimos aspectos pertinentes à elaboração de arranjos didáticos visando o contexto de aulas coletivas de instrumento. Finalmente, são apresentadas duas versões instrumentais para a canção folclórica O cravo brigou com a rosa, que contemplam os temas discutidos anteriormente. Do ponto de vista teórico, confrontamos França e Swanwick (2002) ao propor um estudo da performance instrumental que contempla criatividade, expressividade e consistência estilística.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tamires Lemos Rampinelli, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

Possui graduação em Música pela Universidade Federal de São João Del-Rei (2017). Atualmente é mestranda em Música na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Música, atuando principalmente nos seguintes temas: Violão, Performance e Educação Musical.

Clayton Daunis Vetromilla, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

Professor no Instituto Villa-Lobos da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (RJ, 2004), tendo trabalhado anteriormente no Conservatório de Música da Universidade Federal de Pelotas (RS, 1997) e na Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG, 1996). Doutor em Música pelo Programa de Pós-Graduação em Música da Unirio (2011) com estágio de doutoramento (bolsa Capes - PDEE) na Universidade de Aveiro, Portugal. Possui mestrado em Música pela UFRJ (2002) e bacharelado em Violão pela UFMG (1994), além de graduação em Letras pela PUC-RS (1984). Estudou também com Edelton Gloeden (1996/1997, São Paulo) e Eduardo Isaac (1998/1999, Argentina). Trabalhou com o compositor Rufo Herrera, do qual estreou várias obras (1992-1996). Leciona Violão, Música de Câmara, Recital, Violão Complementar e Processos de musicalização: iniciação ao violão (nos cursos de Bacharelado e Licenciatura em Música da Unirio) e Tópicos especiais: Performance (no Curso de Mestrado do PPGM da Unirio). Desenvolve a pesquisa: Guerra-Peixe e o violão. música de câmara. Atualmente desenvolve trabalhos com o tenor Ricardo Tuttmann. o flautista Sérgio Barrenechea e o grupo Belle Epoque. Como intérprete e pesquisador, desenvolve trabalhos principalmente em relação às obras de Heitor Villa-Lobos e César Guerra-Peixe bem como sobre a música erudita brasileira para violão dos anos 1970.

Referências

AFFONSO, Guilherme de Camargo Barros. A guitarra dos séculos XVII e XVIII em seus aspectos técnicos e estilístico-históricos através da tradução comentada e análise do Instruccion de musica sobre la guitarra española de Gaspar Sanz, 1697. 2015. Tese (Doutorado em Processos de Criação Musical) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/27/27158/tde-29102010-125844/pt-br.php. Acesso em: 14 jan. 2018.

ALFONSO, Sandra Mara. O violão, da marginalidade à academia: trajetória de Jodacil Damaceno. Uberlândia, MG: EDUFU, 2009.

ALMEIDA, Renato da Silva. Do intimismo à grandiloqüência: trajetória e estética do concerto para violão e orquestra: das raízes até a primeira metade do século XX em torno de Segovia e Heitor Villa Lobos. 2006. 167f. Dissertação (Mestrado em Musicologia) - USP - Escola de Comunicações e Artes, São Paulo, 2006. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/27/27140/tde-14082009-171602/pt-br.

php. Acesso em: 05 mar. 2019.

BARTOLONI, Giacomo. O violão na cidade de São Paulo no período de 1900 a 1950. 1995. 222f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Estadual Paulista, Instituto de Artes, 1995. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/99650. Acesso em: 20 fev. 2019.

BECKER, Zé [José] Paulo. Levadas brasileiras para violão: samba, choro, bossa nova. 2. ed. Rio de Janeiro: Edição do autor, 2013. (Livro, partituras e áudio on-line). 56p.

BELLINATI, Paulo. Jongo for 2 Guitars (1989). San Francisco: Guitar Solo Publications, 1993. 1 partitura (20 p.).

BERNARDINI, Attilio. Lições preparatórias: a nova técnica do violão (baseada na Escola de Tárrega). São Paulo: Irmãos Vitale, 1942. 22p.

BOLÃO, Oscar. Batuque é um privilégio. São Paulo: Irmãos Vitale, 2010. 161p.

CARDOSO, João Henrique Correa. A técnica violonística: um estudo das convergências e divergências nos métodos de ensino no decorrer da história do violão. 2015. 157 f. Dissertação (Mestrado em Música) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2015. Disponível em: https://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/4769. Acesso em: 7 dez. 2018.

CARVALHO, Guilherme Paiva de. Música e literatura na sociedade de corte em transição. Revista dEsEnrEdoS, Teresina, n. 19, p. 2-20, 2013. Disponível em: http://desenredos.dominiotemporario.com/doc/19-Artigo-SociedadeCorte-GuilhermePaiva.pdf. Acesso em: 12 jan. 2019.

CORREA, Adriano Palma. Sobre os “diagramas” no ensino do violão: uma introdução. 2015. 49 f. TCC (Graduação) – Curso de Licenciatura em Música, Educação Musical, Unirio, Rio de Janeiro, 2015.

DAMACENO, Jodacil Caetano; MACHADO, André Campos. Uma sugestão para iniciação ao violão. 2. ed. rev. Uberlândia: EDUFU, 2010. Caderno pedagógico. 114p.

DUDEQUE, Norton Eloy. História do violão. Curitiba: Ed. da UFPR, 1994. 113p. (Pesquisa n. 13)

FRANÇA, Cecília Cavalieri; SWANWICK, Keith. Composição, apreciação e performance na educação musical: teoria, pesquisa e prática. Em pauta, Rio de Janeiro, v. 13, n. 21, p. 5-41, 2002. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/EmPauta/article/view/8526/4948. Acesso em: 9 mar. 2019.

HARDER, Rejane. Algumas considerações a respeito do ensino de instrumento: trajetória e realidade. Opus, Goiânia, v. 14, n. 1, p. 127-142, jun. 2008.

LIMA, Fanuel Maciel. A elaboração de arranjos de canções populares para violão solo. 200 f. Dissertação (Mestrado) – Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, 2003. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/284828. Acesso em: 14 mar. 2019.

MACHADO, André Campos. Minhas primeiras cordas. Uberlândia: EDUFU, 2007. 66p.

MARIANI, Silvana. O equilibrista das seis cordas: método de violão para crianças. 1. ed. rev. Curitiba: Editora UFPR, 2009. 131p.

MESQUITA, Tayro Louzeiro. Violão para criança: opinião de professores sobre métodos e materiais didáticos. 2015. 58 f. TCC (Graduação) – Curso de Licenciatura em Música, UnB, Brasília, 2015. Disponível em: http://bdm.unb.br/bitstream/10483/13067/1/2015_TayroLouzeiroMesquita.pdf. Acesso em: 23 mar. 2019.

NICÁCIO, Ricardo Matias. Processos de musicalização: métodos de ensino do violão. In: JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 11., 2012, Rio de Janeiro. Semana de integração acadêmica, 15 a 21 de outubro de 2012. Rio de Janeiro: Unirio, 2012. p. 1-3. CD-ROM.

OLIVEIRA, Victor Matos. A escolha do repertório no ensino coletivo de instrumentos: uma experiência vivida no Projeto “Orquestra de Violões nas Escolas”. Anais do SIMPOM, v. 3, n. 3, 2015.

OROSCO, Maurício Tadeu dos Santos. O compositor Isaias Sávio e sua obra para violão. 273 f. Tese (Doutorado) – Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, 2001. Disponível em: https://bdpi.usp.br/item/001211632. Acesso em: 20 fev. 2019.

PAZ, Ermelinda Azevedo. 500 canções brasileiras. Rio de Janeiro: Luiz Bogo Editor, 1989.

PINTO, Henrique. Iniciação ao violão: princípios básicos e elementares para principiantes. São Paulo: Ricordi, 1978. 63p.

PINTO, Henrique. Ciranda das seis cordas. São Paulo: Ricordi, 1985. 107p.

RICCIO, Maxwell. O violão entrou na roda: um guia prático para iniciantes. Rio de Janeiro: Irmãos Vitale, 2018. 72p.

ROCHA FILHO, Othon Gomes. da. Minhas primeiras notas ao violão. 9. ed. Rio de Janeiro: Irmãos Vitale, 1966. Volume 1. 99p.

SÁVIO, Isaías. Escola moderna do violão: técnica do mecanismo. Vol. 1. São Paulo: Ricordi, 1945. 55p.

SÁVIO, Isaías. Vamos estudar violão: iniciação. São Paulo: Ricordi, 1972. 14p.

SALUSTINO, José Joelson da Costa. Educação musical nos ambientes não formais: um olhar sob o Centro de Apoio à Criança. 2013. 46. Monografia (Graduação) – Curso de Licenciatura em Música, Educação Musical, UFRN, Natal, 2013.

SILVA, Priscilla Hygino Rodrigues da. Os métodos brasileiros de violão para público infantojuvenil e o ensino coletivo de violão na infância. 2013. 42 f. TCC (Graduação) – Curso de Licenciatura em Música, Educação Musical, Unirio, Rio de Janeiro, 2013.

SWANWICK, Keith. Permanecendo fiel à música. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MUSICAL, 2., 1993, Porto Alegre. Anais […]. Porto Alegre, 1993, p. 19-32.

SWANWICK, Keith. Ensinando música musicalmente. São Paulo: Moderna, 2010. 128p., il., música; 23cm. (Formação e atuação em educação musical).

TEIXEIRA NETO, Moacyr. Música contemporânea brasileira para violão. Vitoria: Grafica e Editora A1, [199-]. 75p.

TOURINHO, Cristina. Ensino Coletivo de Instrumentos Musicais: crenças, mitos, princípios e um pouco de história. In: CONGRESSO REGIONAL DA ISME NA AMÉRICA LATINA; ENCONTRO ANUAL DA ABEM, 16., 2007, Campo Grande. Anais […]. Campo Grande, 2007, p. 1-12. CD-ROM.

VASCONCELLOS, Daniel Murray Santana. Técnicas estendidas para violão: hibridização e parametrização de maneiras de tocar. 2013. 179 p. Dissertação (Mestrado) – Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP. Disponível em: http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/285299. Acesso em: 24 ago. 2018.

VIEIRA, Gabriel; RAY, Sonia. Ensino coletivo de violão: técnicas de arranjo para o desenvolvimento pedagógico. In: CONGRESSO REGIONAL DA ISME NA AMÉRICA LATINA; ENCONTRO ANUAL DA ABEM, 16., 2007, Campo Grande. Anais […]. Campo Grande, 2007, p. 1-12. CD-ROM.

ZANON, Fábio. O violão no Brasil depois de Villa-Lobos. Textos do Brasil. V. 12. Brasília: Ministério das Relações Exteriores, Assessoria de Comunicação Social, p. 78-85, 2006. Disponível em: http://dc.itamaraty.gov.br/publicacoes/textos/portugues/revista12.pdf. Acesso em: 7 fev. 2019.

Downloads

Publicado

2019-09-11

Como Citar

RAMPINELLI, T. L.; VETROMILLA, C. D. Iniciação ao violão através de práticas musicais coletivas: aspectos para a produção de arranjos didáticos. Orfeu, Florianópolis, v. 4, n. 1, p. 101-119, 2019. DOI: 10.5965/2525530404012019101. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/orfeu/article/view/1059652525530404012019101. Acesso em: 5 fev. 2023.