Vendo, sentindo e tocando: processos de musicalização de crianças surdas

Autores

  • Regina Finck Schambeck Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

DOI:

https://doi.org/10.5965/2525530402022017114

Palavras-chave:

Educação musical, Crianças surdas, Inclusão

Resumo

Para evidenciar o processo de aprendizagem musical de crianças surdas no contexto inclusivo, este artigo compartilha princípios educativos que orientaram uma prática pedagógica de musicalização. Com ênfase na pesquisa-ação e a partir da adaptação de materiais e recursos pedagógicos, a aprendizagem musical significativa foi proporcionada para alunos surdos e ouvintes, em um mesmo ambiente educativo. Para orientar essas práticas, foram selecionados autores que levassem em conta os processos cognitivos diferenciados dos alunos surdos, ou seja, que considerassem que as atividades musicais devem ser desenvolvidas com ênfase nos processos de ver, ouvir/sentir e tocar, o que remete aos estímulos acústicos, vibratórios, táteis, emocionais e sociais. Ao adaptar as atividades musicais, caminhos alternativos foram seguidos para instigar o crescimento musical dos alunos com surdez. A análise dos dados demonstrou que as práticas contribuíram para ampliar as discussões sobre aprendizagens musicais das crianças surdas. Ao mesmo tempo, a pesquisa apontou alguns parâmetros de ação inclusiva que podem ser incluídos nos cursos de Licenciatura em Música e na formação continuada de professores, tal como já é preconizado nos documentos normativos de formação, estabelecidos pelas políticas públicas brasileiras. É dever das instituições formadoras prever ações de qualificação dos profissionais envolvidos tanto nos aspectos da educação musical, como, também, da instrução dos conteúdos de formação humanística e relativos à educação especial como um todo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Regina Finck Schambeck, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Professora do Programa de Pós-Graduação em Música e do Curso de Licenciatura em Música da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Brasil. Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Referências

BENARI, Naomi. Inner Rhythm: Dance Training for the Deaf. Performing Arts Studies, v. 3. Harwood Academic Publishers GmbH. Great Britain: Routledge, 2004.

BROWN, Kristi; DENNEY, Le Ann. Music Use in Elementary and Middle School Classrooms for the Deaf. The University of Tennessee, april 4, 1997. Disponível em: <http://www.deafed.net/PublishedDocs/970723b.htm>. Acesso em: 31 ago. 2017.

CRUZ, A. L. de C. Music For The Deaf: a qualitative approach. In: LABBO, L. D.; FIELD, S. L. (Eds.). 1997. Conference Proceedings of the Qualitative Interest Group. Disponível em: <http://www.coe.uga.edu/quig/Cruz.html>. Acesso em: 29 mar. 2007.

DARROW, A. A.; SCHUNK, H. Music therapy for learners who are deaf/hard- of-hearing. In: WILSON, B. (Ed.). Models of Music Therapy Intervention in School Settings: from institutions to inclusion. Silver Spring, MD: American Music Therapy Association. 1996. p. 200-223. [on line]. Disponível em: <http://musictherapy.fsu.edu/research/darrow.html>. Acesso em: 7 mar. 2007.

DARROW, Alice-Ann. Teaching Students with Hearing Losses. v. 20, n. 2, p. 27-30, January 1, 2007. DOI: https://doi.org/10.1177/10483713070200020107. Disponível em: <http://journals.sagepub.com/doi/pdf/10.1177/10483713070200020107> Acesso em: 29 ago. 2017.

______. Music educators’ perceptions regarding the inclusion of students with severe disabilities in music classrooms. Journal of Music Therapy, Universidade do Kansas, v. 36, n. 4, p. 254-273, 1999. Disponível em: <http://apt.allenpress.com/aptonline/?request=get-abstract&issn=0022-2917&volume=036>. Acesso em: 7 mar. 2007.

EDWARDS, Eleanor M. Music Education for the Deaf. Maine, USA: Merrian-Eddy Company, 1974.

FINCK, Regina. Ensinando música ao aluno surdo: perspectivas para a ação pedagógica inclusiva. 2009. 234 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

______. O fazer criativo em música: um estudo sobre o processo da construção do conhecimento a partir da criação musical. 2001. 148 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2001.

GLENNIE, Evelin. Preface. In: SALMON, Shirley (Org.). Hören – Spüren – Spielen: Musikund Bewegungmitgehörlosen und schwerhörigenKindern. Tradução Diomara Ziller. Germany: ZeitpunktMusik, 2006. p. 7-10.

______. Entrevista concedida a Shirley Salomon. In: SALOMON, Shirley. Spiellieder in der multi-sensorischen Förderung von Kindern mit Hörbeeinträchtigungen. Diplomarbeit zur Erlangung eines Magistergrades der Philosophie an der Geisteswissenschaftlichen Fakultät der Leopold-Franzens-Universität Innsbruck, eingereicht bei: a.o. Univ. Prof. Dr. Volker Schönwiese am Institut für Erziehungswissenschaften der Universität Innsbruck, Oktober 2003. Disponível em: <http://bidok.uibk.ac.at/library/salmon-dipl-hoerbeeintraechtigung.html#id2767859>. Acesso em: 15 ago. 2017.

______. The Hearing Essay. 2015. [online]. Disponível em: <https://www.evelyn.co.uk/hearing-essay/>. Acesso em: 03 set. 2017.

HAGUIARA–CERVELLINI, Nadir. A musicalidade do surdo, representação e estigma. São Paulo: Plexus Editora, 2003.

______. A criança deficiente auditiva e suas reações à música. Dissertação (Mestrado em Ciências – Audiologia) – PUC/SP, São Paulo, 1983.

HASH, Phillip M. Teaching Instrumental Music to Deaf and Hard of Hearing Students. Research and Issues in Music Education, University of Illinois at Urbana/Champaign , v. 1, n. 1, September 2003. Disponível em: <http://www.stthomas.edu/rimeonline/vol1/hash1.htm>. Acesso em: 6 jul. 2007.

KELLER, Helen. A história de minha vida. Tradução J. Espínola Veiga. Edições Waldorf. Comentários John Macy. São Paulo: Antroposófica, 2001.

LOURO, Viviane S.; ALONSO, Luís G.; ANDRADE, Alex F. de. Educação Musical e deficiência: propostas pedagógicas. São José dos Campos, 2006.

PEREIRA, Sariata Araújo. A utilização de tecnologia para ampliar a experiência sonora/vibratória de surdos. 2016. 117 f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Artes) – Instituto de Artes da Universidade Federal de Uberlândia, 2016.

______. O surdo: caminho para a educação musical. In: 13º Congresso Anual da Associação Brasileira de Educação Musical. Anais... ABEM, Rio de Janeiro, 2004. p. 966-970.

ROBBINS, Clive; ROBBINS, Carol. Music for the Hearing Impaired. A resource manual and curriculum guide. St. Louis/Missouri, USA: Magnamusic-Baton, 1980.

SACKS, Oliver. Vendo Vozes: uma viagem ao mundo dos surdos. 5. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

SALMON, Shirley (Org.). Hören - Spüren – Spielen: Musikund Bewegungmitgehörlosen und schwerhörigen Kindern. Trad. Diomara Ziller. Germany: Zeitpunkt Musik, 2006.

______. Spiellieder in der multi-sensorischen Förderung von Kindern mit Hörbeeinträchtigungen. Diplomarbeit zur Erlangung eines Magistergrades der Philosophie an der Geisteswissenschaftlichen Fakultät der Leopold-Franzens-Universität Innsbruck, eingereicht bei: a.o. Univ. Prof. Dr. Volker Schönwiese am Institut für Erziehungswissenschaften der Universität Innsbruck, Oktober, 2003. Disponível em: <http://bidok.uibk.ac.at/library/salmon-dipl-hoerbeeintraechtigung.html#id2767859>. Acesso em: 15 mar. 2007.

Downloads

Publicado

2017-12-19

Como Citar

SCHAMBECK, R. F. Vendo, sentindo e tocando: processos de musicalização de crianças surdas. Orfeu, Florianópolis, v. 2, n. 2, p. 114-132, 2017. DOI: 10.5965/2525530402022017114. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/orfeu/article/view/1059652525530402022017114. Acesso em: 1 fev. 2023.