Na cartola de um mágico: práticas criativas e relações raciais em uma oficina de samba

Autores

  • Eloisa Costa Gonzaga UDESC
  • Carlos Eduardo Romão UDESC
  • Viviane Beineke Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) http://orcid.org/0000-0003-2056-8149
  • Camila da Costa Zanetta Prefeitura Municipal de Florianópolis/SC

DOI:

https://doi.org/10.5965/2358092521222019178

Palavras-chave:

educação musical, relações raciais, práticas criativas, oficina de samba

Resumo

O artigo focaliza o processo de composição e gravação do samba-enredo Na Cartola de um Mágico, numa Oficina de Samba para crianças. Além da prática musical, o objetivo do trabalho foi compreender as matrizes do samba por meio de artistas que são referência nesse gênero musical, dando visibilidade a sambistas negros e negras e problematizando o seu contexto histórico e social. O tema para a composição foi escolhido coletivamente pelas crianças, que decidiram homenagear Angenor de Oliveira, o “Cartola”, grande referência do samba brasileiro. No processo de composição, as crianças puderam vivenciar práticas criativas interagindo com questões étnico-raciais, valorizando suas compreensões e diálogos nas tomadas de decisão. Acreditamos que processos pedagógico-musicais dessa natureza permitam transformar olhares para as relações étnico-raciais na Escola Básica e na Universidade, em trabalho construído com base em posicionamentos políticos de superação do racismo e das desigualdades raciais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eloisa Costa Gonzaga, UDESC

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Música da Universidade do Estado de Santa Catarina/UDESC.

Carlos Eduardo Romão, UDESC

Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Música da Universidade do Estado de Santa Catarina/UDESC.

Viviane Beineke, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Professora do Departamento de Música e Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Música da UDESC. Bolsista de Produtividade pelo CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico). Mestra e doutora em Música pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Realizou Pós-Doutorado na Ludwig-Maximilians-Universität München (LMU), na Alemanha. É editora da Revista Música na Educação Básica, da Associação Brasileira de Educação Musical. Autora da coleção Canções do mundo para tocar e do livro/CD/CD-Rom para crianças Lenga la Lenga: jogos de mãos e copos, publicado no Brasil, Portugal e Uruguai. Desenvolve pesquisas sobre práticas musicais criativas, metodologias do ensino de música e produção de material didático.

Camila da Costa Zanetta, Prefeitura Municipal de Florianópolis/SC

Professora de Música na Prefeitura Municipal de Florianópolis/SC.

Referências

BATISTA. Leonardo. M. Educação Musical, relações étnico- raciais e decoloneidade: tensões, perspectivas e interações para a Educação Básica. Orfeu, v.3, n.2, p. 111-135, 2018.

BRITO, Teca Alencar de. Hans-Joachim Koellreutter: Por quê? In: JORDÃO, Gisele; MOLINA, Sérgio. (Org.). A Música na Escola. São Paulo: Editora Allucci & Associados Comunicações, 2012. p 101-103.

CARVALHO, José Jorge de. O Encontro de Saberes como uma contribuição à Etnomusicologia e à Educação Musical. In: LÜHNING, Angela; TUGNY, Rosângela Pereira de. et al. Etnomusicologia no Brasil. Salvador: EDUFBA, 2016. p. 199-236.

GOMES, Nilma Lino. Educação, relações étnico-raciais e a Lei nº 10.639/03: breves reflexões. In: BRANDÃO, Ana Paula (Org.). et al. A Cor da Cultura – Saberes e Fazeres – Modos de fazer: caderno de atividades, saberes e fazeres. Rio de Janeiro: Fundação Roberto Marinho, 2010. p. 19-25.

GOMES. Rodrigo. C. S. Educação das Relações Étnico-Raciais e o Ensino de Música: notas sobre a operacionalização do conhecimento étnico nas práticas escolares. Orfeu, v.3, n.2, p. 96-110, 2018.

LOPES, Nei; SIMAS, Luis Antonio. Dicionário da história social do samba. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015.

LUCAS, Glaura. Culturas musicais afro-brasileiras: perspectivas para concepções e práticas etnoeducativas em música. In: LÜHNING, Angela; TUGNY, Rosângela Pereira de. et al. Etnomusicologia no Brasil. Salvador: EDUFBA, 2016. p. 236-276.

PRASS, Luciana. Saberes musicais em uma bateria de escola de samba: ou por que “ninguém aprende samba no colégio”. Em Pauta, Porto Alegre, v.14/15, p. 5-18, 1998/1999.

QUEIROZ, Luis R. S. Traços de colonialidade na educação superior em música do Brasil: análises a partir de uma trajetória de epistemicídios musicais e exclusões. Revista da ABEM, Londrina, v.25, n.39, p. 132-159, 2017.

SOUZA, Jusamara. Cultura e diversidade na América Latina: o lugar da educação musical. Revista da ABEM, Porto Alegre, v. 18, p. 15-20, 2007.

ZANETTA, Camila Costa; BRITO, Teca Alencar de. Espaços para a Criação: a improvisação em jogos cênico-musicais. Congresso Nacional da ABEM, 21, 2013, Pirenópolis / Goiás. Anais [...] Congresso Nacional da ABEM, João Pessoa: Editora da UFPB, 2013. p. 1020- 1031.

ZUBARAN, Maria Angélica; SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves

e. Interlocuções sobre estudos afro-brasileiros: pertencimento étnico-cultural, memórias negras e patrimônio cultural afro- brasileiro. Currículo sem Fronteiras, v. 12, n. 1, p. 130-140, 2012.

Downloads

Publicado

2019-12-19

Como Citar

GONZAGA, E. C.; ROMÃO, C. E.; BEINEKE, V.; ZANETTA, C. da C. Na cartola de um mágico: práticas criativas e relações raciais em uma oficina de samba. Revista NUPEART, Florianópolis, v. 22, n. 2, p. 178-195, 2019. DOI: 10.5965/2358092521222019178. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/nupeart/article/view/2358092521222019178. Acesso em: 7 dez. 2022.

Edição

Seção

Fluxo Contínuo