Múltiplas linguagens na infância: protagonismo compartilhado entre adultos e crianças nos contextos de educação infantil

Autores

  • Altino José Martins Filho Prefeitura Municipal de Florianópolis – PMF
  • Lourival José Martins Filho Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984723823512022259

Palavras-chave:

múltiplas linguagens, protagonismo compartilhado, contextos de educação infantil

Resumo

As relações sociais engendradas no interior de uma instituição educacional são tecidas por muitos relacionamentos e diferentes matizes e, com esta compreensão, objetivou-se neste trabalho, apresentar algumas considerações analíticas e propositivas a respeito das múltiplas linguagens das crianças pequenas. Parte-se de uma ancoragem teórica e metodológica que dialoga com as pedagogias culturais, construcionismo social, ciência interpretativa, hermenêutica e a fenomenologia. Entende-se que é preciso descobrir a complexidade das infâncias, para conhecer as crianças, isto é, para a problematização das vivências e experiências infantis. Apostamos que as crianças entre si e com os adultos, não somente são socializadas, mas produzem processos inovadores e genuínas formas de socialização, protagonizam um jeito de ser e estar no mundo para além do nosso adultocentrismo. Por isso, temos que conhecer a gramática das crianças em suas múltiplas linguagens. É neste sentido que afirmamos a importância da intensidade dos relacionamentos pelo viés do protagonismo compartilhado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de filosofia. Tradução por Alfredo Bosi. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998. 224 p.

ÁVILA, Maria José Figueiredo. As professoras de crianças pequenininhas e o cuidar e educar: um estudo sobre as práticas educativas em um CEMEI de Campinas/SP. 2002. 239p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2002.

BAKHTIN, Mikhail Mikhailovich. Para uma filosofia do ato responsável. Organizado por Augusto Ponzio e Grupo de Estudos dos Gêneros do Discurso – GEGE/UFSCAR. Tradução de Valdemir Miotello e Carlos Alberto Faraco. São Carlos: Pedro & João Editores, 2010.

BECCHI, Egle. Retórica da infância. Perspectiva, Revista do Centro de Ciências da Educação, Florianópolis, n. 22, p.63-95, ago./dez. 1994.

BECCHI, Egle; BONDIOLI, Anna (orgs.). Avaliando a pré-escola: uma trajetória de formação de professoras. Campinas: Autores Associados, 2003.

BRUGÉRE, Gilles. Brinquedo e cultura. São Paulo: Cortez, 1995.

BONDIOLI, Anna; MANTOVANI, Susanna. Introdução. In: MANUAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL: de zero à três anos: uma abordagem reflexiva. 9. ed. Porto Alegre: ArtMed, 1998. p. 77-87.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da república federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988. 48 p.

BRASIL. Lei de diretrizes e bases da educação nacional: Lei nº 9394/96 de 20 de dezembro de 1996. Brasília, DF: MEC, 1996.

BRASIL. Estatuto da criança e do adolescente. Lei Federal 8.069. Promulgada em 13 de julho de 1990. Porto Alegre: Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, 2000.

CORSARO, William A. A reprodução interpretativa no brincar ao “faz-de-conta” das Crianças. Educação, Sociedade e Culturas, Porto: Edições Afrontamento, n. 17, p. 113-134, 2011.

DELGADO, Ana Cristina; MÜLHER, Fernanda. Sociologia da infância: pesquisas com crianças. Educação e Sociedade: Revista de Ciências da Educação, São Paulo: Cortez, v. 26, p. 34, 2005.

DELGADO, Ana Cristina Coll. Estudos socioantropológicos da infância no Brasil: caminhos, problematizações e diálogos. In: MARTINS FILHO, Altino José; PRADO, Patricia Dias Prado (orgs.). Das pesquisas com crianças a complexidade da infância. São Paulo: Autores Associados, 2020.

FERREIRA, Maria Manuela Martinho. A gente aqui o que gosta mais é de brincar com os outros meninos: as crianças como actores sociais e a (re)organização social do grupo de pares no quotidiano de um Jardim de Infância. 2002. Dissertação (Doutorado em Ciências da Educação) – Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação, Universidade do Porto, Porto, 2002.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 16.ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GANDINI, Lelle; EDWARDS, Carolyn (orgs.). Bambini: a abordagem italiana à educação infantil. Porto Alegre: ArtMed, 2002.

KUHLMANN JR., Moysés. Infância e educação infantil: uma abordagem histórica. Porto Alegre: Mediação, 1998.

LAHIRE, Bernard. O homem plural: as molas da ação. Lisboa: Instituto Piaget, 2002.

MARTINS FILHO, Altino José (org.). Criança pede respeito: temas em educação infantil. Porto Alegre: Mediação, 2015.

MARTINS FILHO, Altino José. A vez e a voz das crianças: uma reflexão sobre as produções culturais na infância. Presença Pedagógica, Belo Horizonte, n. 61, p. 35-45, jan./fev. 2005.

MARTINS FILHO, Altino José et al. Infância Plural: crianças do nosso tempo. Porto Alegre: Mediação, 2006.

MARTINS FILHO, Altino José. Jeitos de ser criança: pesquisas com crianças nos trabalhos apresentados na ANPEd de (1999-2009). In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 32, out. 2010, Caxambu. Anais Reunião ANPEd, Editora ANPEd, ano, 2010.

MARTINS FILHO, Altino José; PRADO, Patricia Dias Prado (orgs.). Das pesquisas com crianças a complexidade da infância. 2. ed. São Paulo: Autores Associados, 2020.

MARTINS FILHO, Altino José; DELGADO, Ana Cristina Col (orgs.). Dossiê “Bebês e crianças bem pequenas em contextos coletivos de educação”. Pro-Posições, São Paulo: Unicamp, v. 24, n. 3, p. 21-113, set./dez. 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pp/v24n3/02. Acesso em 12/01/2015.

MARTINS FILHO, Altino José; DELGADO, Ana Cristina Coll. A participação dos bebês e das crianças bem pequenas e a prática da docência no contexto da Educação Infantil. Saber & Educar, Cidade, Porto, v. 1, p. 108-117, 2016.

MARTINS FILHO, Altino José; LENI, Vieira Dorneles (orgs.). Lugar da criança na escola e na família: a participação e o protagonismo infantil. 1. ed. Porto Alegre: Mediação, 2018.

MARTINS FILHO, Altino José; MARTINS FILHO, Lourival José. Uma Agenda de Estudos sobre as Crianças e a Experiência de Viver a Infância em um Contexto de Educação Coletiva. Revista Humanidades e Inovação, Cidade, v.6, n.15, p. 30-49, 2019. Disponível em: https://revista.unitins.br/index.php/humanidadeseinovacao/issue/view/59. Acesso em: 29/03/2020.

MARTINS FILHO, Altino José; MARTINS FILHO, Lourival José. Educação infantil: especificidades da docência. Florianópolis: UDESC, 2013.

MARTINS FILHO, Altino José; MARTINS FILHO, Lourival José. Formação de professores e trabalho na educação infantil: considerações prepositivas. In: SOUZA, Alba Regina Battisti de; SARTORI, Ademilde Silveira; NORONHA, Elisiane Cristina de Souza de Freitas (orgs.). Formação docentes e práticas pedagógicas: cenários e trajetórias. Florianópolis: UDESC, 2010. p. 34-50.

MELLO, Suely Amaral. Enfoque histórico cultural: em busca de suas implicações pedagógicas para a educação de 0 a 10 anos. In: CONFERÊNCIA INTERNACIONAL, 1, 2006, Cidade. Anais [...]. Cidade: São Paulo. Editora, USP ano 2006. Tema: O enfoque histórico cultural em questão.

ONGARI, Bárbara; MOLINA, Paola. A educadora de creche: construindo suas identidades. São Paulo: ed Porto, 2003.

PRADO, Patrícia Dias. Educação e cultura infantil em creche: um estudo sobre as brincadeiras de crianças pequenininhas em um CEMEI de Campinas/SP. 1998. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, 1998.

PLAISANCE, Eric. Socialização: modelo de inclusão ou modelo de interação? Percursos: revista do Centro de Ciências da Educação, Florianópolis, v. 1, n. 1, p. 30-45, out. 2000.

ROCHA, Eloisa A. Candal. A pesquisa em educação infantil no Brasil: trajetória recente e perspectiva de consolidação de uma pedagogia da educação infantil. Florianópolis: Centro de Ciências da Educação, Núcleo de Publicações, 1999. 290 p.

ROCHA, Eloisa A. Candal. Pedagogia e a educação infantil. Revista Brasileira de Educação, Porto Alegre, n. 16, p. 27-34, jan./abr. 2010.

SARMENTO, Manuel Jacinto; PINTO, Manuel. As crianças e a Infância: definindo conceitos delimitando o campo. In: PINTO, Manuel; SARMENTO, Manuel J. (coords.). As crianças: contextos e identidades. Braga, Portugal: Centro de Estudos da Criança, 1997.

SARMENTO, Manuel Jacinto. As culturas da infância nas encruzilhadas da 2ª modernidade. In: SARMENTO, Manuel Jacinto; CERISARA, Ana Beatriz. Crianças e miúdos: perspectivas sociopedagógicas da infância e educação. Porto: Edições ASA, 2004. p. 50-120.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petropólis: Vozes, 2002.

VYGOTSKY, Lev Semionovich. Obras Escogidas: vol. III. Madrid: Centro de publicaciones del MEC y Visor Distribuiciones, 1995.

Downloads

Publicado

2022-05-05

Como Citar

MARTINS FILHO, A. J. .; MARTINS FILHO, L. J. . Múltiplas linguagens na infância: protagonismo compartilhado entre adultos e crianças nos contextos de educação infantil. Revista Linhas, Florianópolis, v. 23, n. 51, p. 259 - 280, 2022. DOI: 10.5965/1984723823512022259. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/linhas/article/view/22031. Acesso em: 28 set. 2022.