Manifesto dos Pioneiros e perspectiva de gênero: Noemy, Cecília e Armanda, as mulheres que impactaram a Educação na década de 1930

Autores

Resumo

O propósito deste estudo é refletir a respeito do Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova de 1932, analisando a papel feminino na cena histórica proposta à reflexão. A pesquisa bibliográfica norteia-se por duas questões: Em que contexto histórico o Manifesto dos Pioneiros foi produzido? Quem foram as três mulheres signatárias de tão importante documento? Os resultados indicam que o Manifesto esteve presente e ajudou a desenhar as iniciativas, as escritas, os desejos das signatárias, que conseguiram transpor as barreiras de serem apenas esposas, mães e senhoras do lar, quer seja por necessidade ou decisão própria, e foram conquistando um espaço maior, passando a ser tratadas politicamente, ocupando cargos que somente homens haviam ocupado na esfera pública e deixando seu legado para a História.

Palavras-chave: Educação Nova. Educação-Brasil. Mulheres.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Maria Correa-Silva, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Mestranda em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Campus do Pantanal
(UFMS/CPAN). Graduada em Pedagogia pela UFMS. Bolsista CAPES.

Josiane Peres Gonçalves, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Professora Permanente do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Campus do Pantanal (CPAN/UFMS) e Professora Colaboradora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação (FAED/UFMS). Líder do Grupo de Estudo e Pesquisa em Desenvolvimento, Gênero e Educação (GEPDGE).

Downloads

Publicado

2019-05-30

Como Citar

CORREA-SILVA, A. M.; PERES GONÇALVES, J. Manifesto dos Pioneiros e perspectiva de gênero: Noemy, Cecília e Armanda, as mulheres que impactaram a Educação na década de 1930. Revista Linhas, Florianópolis, v. 20, n. 43, p. 272 - 289, 2019. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/linhas/article/view/1984723820432019272. Acesso em: 5 fev. 2023.