Cartilhas, pré-livros, livros de alfabetização, livros para o ensino inicial da leitura e da escrita: guardá-los e estudá-los, para quê?

Autores

Resumo

Este artigo tem como objetivo principal discutir a importância da constituição de acervos de livros para o ensino inicial da leitura e da escrita, historicamente denominados de Cartas ABC, cartilhas, livros de leitura, pré-livros, livros de alfabetização, entre outros. Além disso, o intuito é discorrer sobre as possibilidades de pesquisas sobre e com esse artefato cultural, que é parte importante da vida escolar e, portanto, da cultura material da escola. A referência para a discussão dos aspectos mencionados é a experiência do grupo de pesquisa História da Alfabetização, Leitura e dos Livros Escolares (Hisales), vinculado à Faculdade de Educação da Universidade Federal de Pelotas (FaE/UFPel), desenvolvida desde o ano de 2006. Atualmente, com um acervo de 1488 livros didáticos para o ensino inicial da leitura e da escrita – assim denominado para justamente abarcar as diferentes denominações que tal suporte foi tendo ao longo da história –, algumas pesquisas já foram realizadas e algumas delas são aqui referidas. Desses livros, 1254 exemplares são nacionais; outros 65 exemplares são de autoria e/ou de editoras gaúchas, que estão armazenados separadamente pela natureza das pesquisas desenvolvidas no referido grupo; 43 deles são “artesanais”, ou seja, feitos por professoras ou por um grupo de docente; e, finalmente, 126 livros são estrangeiros (produzidos em diferentes países e várias línguas). Acredita-se que com ações deste tipo, de guarda, preservação e pesquisa, é possível colaborar com a história da educação regional e nacional, em especial ao que se refere à história da alfabetização, da leitura e da escrita.

Palavras-chave: Acervos. Cartilhas. Pré-Livros. Livros de Alfabetização. Leitura e Escrita.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliane Teresinha Peres, Faculdade de Educação (FaE) / Programa de Pós-Graduação (PPGE) / Universidade Federal de Pelotas (UFPel)

Professora Titular da Faculdade de Educação da UFPel. Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual de Londrina (1989), Especialização em Educação pela Universidade Federal de Pelotas (1992), Mestrado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1995) e Doutorado em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais (2000), com Estágio no Exterior (PDEE) na Universidade de Lisboa ("doutorado-sanduíche"). Realizou estágio de pós-doutorado (com bolsa CAPES) na University of Illinois at Urbana-Champaign (USA) em 2011-2012. Desde 1991 é professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Pelotas, e desde 2001 atua no PPGE dessa mesma instituição. Foi tutora do Grupo PET/Educação (Programa de Educação Tutorial-MEC/SESU) entre 2007 e 2009. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em História da Alfabetização, Alfabetização e Letramento, atuando principalmente nos seguintes temas: história da alfabetização, história da cultura escrita, práticas de leitura e escrita, alfabetização e letramento, livros escolares e formação de professores. No PPGE atua na linha de pesquisa "Cultura Escrita, Linguagens e Aprendizagem". É líder do grupo de pesquisa HISALES (História da Alfabetização, Leitura, Escrita e dos Livros Escolares, CNPq) desde 2006. Coordenadora do GT 10 - Alfabetização, Leitura e Escrita, da ANPED (2017-2019).

Chris de Azevedo Ramil

Doutora em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Pelotas (PPGE/FaE/UFPel) (04/2018), com Bolsa CAPES de 2014 a 2018. Bolsista CAPES de Doutorado-Sanduíche (PDSE) em Madri/Espanha, no Centro de Investigación MANES (Manuales Escolares)/Facultad de Educación - UNED (de 04 a 07/2017), com estância de pesquisa também em outras instituições nesse período, tais como o CEINCE (Centro Internacional de la Cultura Escolar), em Berlanga del Duero/Sória. Mestre em Educação pelo PPGE/FaE/UFPel (03/2013), com Bolsa CAPES de 2011 a 2013, Bacharel em Artes Visuais - Hab. em Design Gráfico pela Universidade Federal de Pelotas (2002), Licenciada em Artes - Hab. em Artes Visuais pela Universidade Federal de Pelotas (2002) e Técnica em Desenho Industrial pela Escola Técnica Federal de Pelotas (1996). Tem experiência nas áreas de Design Gráfico e Artes Visuais, com ênfase em Design Editorial, atuando profissionalmente nas cidades de Pelotas/RS e Barcelona/Espanha. Foi professora substituta do Curso de Artes Visuais - Hab. em Design Gráfico do Instituto de Artes e Design da UFPel no 2º semestre de 2008. De 08/2009 a 03/2011 atuou como diagramadora na equipe de Editoria de Arte do Jornal Diário Popular de Pelotas/RS. Foi professora-pesquisadora da equipe muldisciplinar do NPTE-UAB/IFSul, na equipe de design gráfico, de 2013 a 2014. Integrante dos projetos/grupos de pesquisa: a) HISALES - História da Alfabetização, Leitura, Escrita e dos Livros Escolares (PPGE/FaE/UFPel), desde 2011; b) Memória Gráfica de Pelotas: um século de Design (CA/UFPel), de 2009 a 2014; c) Modernidade e escolarização: o uso de cartilhas e livros de leituras na Escola Elementar Gaúcha (1832 ? 1930) (PPGE/FaE/UFPel), desde 2012, entre outros. Integrante da Comissão Editorial e Editora da Revista História da Educação (ASPHE-RS) desde outubro de 2016.

Downloads

Publicado

2018-09-14

Como Citar

PERES, Eliane Teresinha; DE AZEVEDO RAMIL, Chris. Cartilhas, pré-livros, livros de alfabetização, livros para o ensino inicial da leitura e da escrita: guardá-los e estudá-los, para quê?. Revista Linhas, Florianópolis, v. 19, n. 41, p. 34–64, 2018. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/linhas/article/view/1984723819412018034. Acesso em: 14 abr. 2024.