Ler livros sem palavras, ler imagens e mundos

Autores

  • Daniela Segabinazi Daniela Segabinazi (UFPB)

Resumo

A escola que objetiva a formação do leitor literário deve ter como princípio o ensino de literatura, especialmente, através de leituras prazerosas em que o aluno sinta-se motivado a ler. A leitura prazerosa não exclui o processo de aquisição do conhecimento, pelo contrário, o leitor é estimulado à curiosidade e absorve novas informações, construindo assim novos conhecimentos. É importante que a escola priorize a diversidade e a qualidade do material que as crianças vão utilizar e que as metodologias adotadas pelos professores mediadores do conhecimento da leitura literária sejam variadas e propositivas ao pensamento, à imaginação e à criatividade. Neste caso, a literatura infantil oferece ao leitor a diversidade cultural, social e estética que ele, possivelmente, ainda não conhece, ampliando seu horizonte no encontro com o universo da ficção, da fantasia, do imaginário e de sua própria identidade, cercado de informações e características de uma determinada cultura. Sendo assim, abordamos nesse artigo questões a respeito da leitura literária nos anos iniciais, do ensino fundamental, a partir da perspectiva da educação literária, da alfabetização e do letramento literário, tendo como centro a leitura de livros de imagens ou livros de ilustração. O objetivo é apresentar discussões a respeito da formação do leitor e a presença da literatura infantil no processo de alfabetização e letramento, bem como mostrar a importância dos livros de imagens/ilustração na sala de aula dos anos iniciais e suas possíveis abordagens teórico-metodológicas.

Palavras-chave: Literatura Infantojuvenil. Leitura. Livros de Imagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela Segabinazi, Daniela Segabinazi (UFPB)

Tem experiência na área de Educação e Letras. Professora na UFPB

Downloads

Publicado

2017-07-21

Como Citar

SEGABINAZI, D. Ler livros sem palavras, ler imagens e mundos. Revista Linhas, Florianópolis, v. 18, n. 37, p. 22 - 45, 2017. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/linhas/article/view/1984723818372017022. Acesso em: 28 jan. 2023.