Matrizes históricas da inspeção escolar no Brasil: mecanismo de controle do trabalho docente em Alagoas nos Oitocentos

Autores

  • Elione Maria Nogueira Diógenes
  • Nezilda do Nascimento Silva Pauferro

Resumo

Neste artigo encontram-se os resultados de uma pesquisa sobre as matrizes históricas da inspeção escolar no Brasil, e, também, em Alagoas (1840/1889). O estudo alicerçou-se nas ideias de Gondra e Schuler (2008), Veiga (2007), Bloch (2001), Verçosa (2001), Moacyr Primitivo (1939) e Costa (1931). A partir da investigação em fontes primárias no Arquivo Público de Alagoas, têm-se as conclusões: 1) em Alagoas os inspetores fiscalizavam as escolas e prestavam contas ao Inspetor Geral de Estudos; 2) os professores informavam sobre o funcionamento das aulas, do material didático, da frequência escolar e do aproveitamento da aprendizagem; 3) o inspetor escolar foi o responsável pela articulação entre os professores e o Inspetor Geral de estudos. O controle realizado pela Inspeção Escolar delineou traços da educação de Alagoas no Império.                          

Palavras-chave: Inspeção Escolar; Império; Educação Escolarizada; Professores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-04-27

Como Citar

DIÓGENES, Elione Maria Nogueira; PAUFERRO, Nezilda do Nascimento Silva. Matrizes históricas da inspeção escolar no Brasil: mecanismo de controle do trabalho docente em Alagoas nos Oitocentos. Revista Linhas, Florianópolis, v. 18, n. 36, p. 121–151, 2017. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/linhas/article/view/1984723818362017121. Acesso em: 29 fev. 2024.