Tecnociência, governamentalidade neoliberal e educação análise de enunciações de egressos de um curso técnico

Autores

  • Neila Toledo Instituto Federal Catarinense campus Rio do Sul

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984723823512022358

Palavras-chave:

curso técnico agrícola, entrevista, tecnociência, governamentalidade neoliberal, neoliberalismo

Resumo

O artigo problematiza os efeitos da tecnociência vinculada à governamentalidade neoliberal na formação do Técnico Agrícola do IFRS-Sertão. O material de pesquisa é constituído por entrevistas realizadas com quatro egressos do Curso Técnico em Agropecuária Integrado ao Ensino Médio da referida instituição. Em termos metodológicos foi realizada uma pesquisa qualitativa, sendo os dados escrutinados na perspectiva da análise do discurso, como proposta por Michel Foucault. O exame das entrevistas mostrou que a tecnociência: a) é uma forma de exercício da governamentalidade neoliberal; b) sustentada por determinadas verdades, governa os estudantes a admitir que é o que pode levá-los a conseguir excelentes colocações no mercado de trabalho agrícola. Conclui-se, por fim, que o referido Curso Técnico conduz os alunos a admitir que a tecnociência é o que pode levá-los ao sucesso em sua vida profissional e que, para isso, a continuidade nos estudos é importante.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Neila Toledo, Instituto Federal Catarinense campus Rio do Sul

Professora a 10 anos drede EBTT, doutora em Educação, mestre em Modelagem Matemática e licanciada em Matemática.

Referências

AVELINO, Nildo. Foucault e a anarqueologia dos saberes. In: FOUCAULT, Michel. Do governo dos vivos: curso no Collège de France, 1979-1980 (excertos). São Paulo: Centro de Cultura Social; Rio de Janeiro: Achiamé, 2011. p. 17-37.

BOCASANTA, Daiane Martins; KNIJNIK, Gelsa. Dispositivo da tecnocientificidade e iniciação científica na educação básica. Currículo sem Fronteiras, s.l. [sine loco], v. 16, n. 1, p. 139-158, jan./abr. 2016.

BOCASANTA, Daiane Martins. Dispositivo da tecnocientificidade: a iniciação científica ao alcance de todos. 2014. 233 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), São Leopoldo, 2014.

CASTELFRANCHI, Juri. As serpentes e o bastão: tecnociência, neoliberalismo einexorabilidade. 2008. Tese (Doutorado em Filosofia) – Programa de Pós-Graduação em Filosofia, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008.

CUPANI, Alberto. A racionalidade tecnocientífica e o seu desafio à filosofia da ciência. Revista Dois Pontos, [s.l.], v. 12, n. 1, p. 171-183, abr. 2015.

DÍAZ, Esther. Entre la tecnociência y el deseo: la construcción de una epistemologia ampliada. Buenos Aires: Biblos, 2007.

DESUÓ, Naê Prada Rodrigues; PUCCI, Bruno. As novas tecnologias, o capitalismo global e seus desdobramentos para o processo de(des)subjetivação humana. Piracicaba: [s.n.], 2007. Disponível em: http://www.unimep.br/~bpucci/nae-anpedinha-2007.pdf. Disponível em:. Acesso em: 12 jan. 2016.

FISCHER, Rosa Maria Bueno. Trabalhar com Foucault: arqueologia de uma paixão. Belo Horizonte: Autêntica, 2012.

FOUCAULT, Michel. O grande internamento. In: FOUCAULT, Michel. Ditos & escritos I. problematização do sujeito: psicologia, psiquiatria e psicanálise. 3. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014, p. 80-120.

FOUCAULT, Michel. Arqueologia do saber. 8. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2013.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. São Paulo: Loyola, 2012.

FOUCAULT, Michel. Eu sou um pirotécnico. In: POL-DROIT, Roger. Michel Foucault: entrevistas. São Paulo: Grall, 2006. p. 50-71.

FOUCAULT, Michel. Do governo dos vivos: curso no Collège de France, 1979-1980: excertos. 2. ed. Rio de Janeiro: Achiamé, 2011.

FOUCAULT, Michel. Segurança, território, população: curso dado no Collège de France. São Paulo: Martins Fontes, 2008a.

FOUCAULT, Michel. Nascimento da biopolítica. São Paulo: Martins Fontes, 2008b.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1999.

GADELHA, Sílvio. Biopolítica, governamentalidade e educação: introdução e conexões a partir de Michel Foucault. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

LAGASNERIE, Geoffrey de. A última lição de Foucault. São Paulo: Três Estrelas, 2013.

LATOUR, Bruno. Ciência em ação: como seguir cientistas e engenheiros sociedade afora. São Paulo: Unesp, 2011.

LOCKMANN, Kamila. A proliferação das políticas de assistência social na educação escolarizada: estratégias da governamentalidade neoliberal. 2013. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

LOPES, Maura Corcini. Políticas de inclusão e governamentalidade. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 34, n. 2, p. 153-170, maio/ago. 2009.

MORGENSTERN, Juliane Marschall. Práticas de correção e aprendizagem: produção de subjetividades na contemporaneidade. 2016. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2016.

PEREIRA, Marcelo Farid. Evolução da fronteira tecnológica múltipla e da produtividade total dos fatores do setor agropecuário brasileiro de 1970 a 1996. 1999. Tese (Doutorado em Engenharia) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1999.

POPKEWITZ, Thomas; OLSSON, Ulf; PETERSSON, Kenneth. Sociedade da aprendizagem, cosmopolitismo, saúde pública e prevenção à criminalidade. Educação & Realidade: Governamentalidade e Educação, Porto Alegre, v. 1, n. 1, p. 73-96, maio/ago. 2009.

SARAIVA, Karla; LOPES, Maura Corcini. Educação, inclusão e reclusão. Currículo sem Fronteiras, [s.l.], v. 11, n. 1, p. 14-33, jan./jun. 2011.

SILVA, Roberto Rafael Dias da. A constituição da docência no ensino médio no Brasil contemporâneo: uma analítica de governo. 2011. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2011.

SOUZA, Deise Maria Xavier de Barros. Narrativas de uma professora de matemática: uma construção de significados sobre avaliação. 2015. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Mato Grasso do Sul, 2015.

TOLEDO, Neila de Toledo e. Educação matemática e formação do técnico agrícola: entre o “aprender pela pesquisa” e o “aprender a fazer fazendo”. 2017. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2017.

VEIGA-NETO, Alfredo. Estudos biopolíticos e educação na América Latina: avaliação e perspectivas. In: COLÓQUIO LATINOAMERICANO DE BIOPOLÍTICA – CLAB, 4; COLÓQUIO INTERNACIONAL DE BIOPOLÍTICA Y EDUCACIÓN – CIBE, 2., 2013, Bogotá. Anais [...]. Disponível em: http://docplayer.com.br/16640096-Estudos-de-biopolitica-e-educacao-na-america-latina-avaliacao-e-perspectivas.html. Acesso em: 12 jan. 2015.

VEIGA-NETO, Alfredo; SARAIVA, Karla. Educar como arte de governar. Currículo sem Fronteiras, [s.l.], v. 11, n. 1, p. 5-13, jan./jun. 2011.

VEIGA-NETO, Alfredo; TRAVERSINI, Clarice. Por que governamentalidade e educação? Revista Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 34, n. 2, p. 13-19, maio/ago. 2009.

VEIGA-NETO, Alfredo. Foucault & a educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

Downloads

Publicado

2022-05-05

Como Citar

TOLEDO, N. . Tecnociência, governamentalidade neoliberal e educação análise de enunciações de egressos de um curso técnico. Revista Linhas, Florianópolis, v. 23, n. 51, p. 358 - 380, 2022. DOI: 10.5965/1984723823512022358. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/linhas/article/view/17787. Acesso em: 4 jul. 2022.