Vestígios da dança em Florianópolis: uma relação histórica entre dança, Epistemologias do Sul e Capitalismo

Autores

  • Charlene Simão

DOI:

https://doi.org/10.5965/1808312908102013066

Resumo

O presente artigo traz alguns apontamentos a respeito da história de Florianópolis, com ênfase no desenvolvimento de sua dança. Esta se iniciou por meio de professores estrangeiros que ensinavam balé. Discute alguns aspectos do surgimento da dança florianopolitana, os relaciona com os conceitos de linhas abissais e Epistemologias do Sul, trazidos por Boaventura de Souza Santos (2010). E, a relação entre indústria cultural e capitalismo, pesquisados por Rosana Moura (2007). Explica como outras danças ficaram apagadas por não fazerem parte dos modelos advindos da Europa como, por exemplo, a dança dos escravos africanos e as danças desenvolvidas pelos índios Carijós, primeiros habitantes da ilha. Aponta a importância de um novo olhar para a história da dança florianopolitana. E, encerra questionando a abrangência dos modelos europeus e americanos em diversas esferas da capital e, sobretudo indaga quais seriam hoje os principais referenciais utilizados por sua dança contemporânea.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-12-15

Como Citar

SIMÃO, C. Vestígios da dança em Florianópolis: uma relação histórica entre dança, Epistemologias do Sul e Capitalismo. DAPesquisa, Florianópolis, v. 8, n. 10, p. 066-076, 2013. DOI: 10.5965/1808312908102013066. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/dapesquisa/article/view/8079. Acesso em: 8 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos