Especificidades do ensino da performance nas Artes Visuais

Autores

  • Juliana Martins Rodrigues Moraes Centro Universitário Belas Artes de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.5965/1808312910142015024

Resumo

A arte da performance, apesar de híbrida, levanta questões distintas nos campos das artes visuais e das artes cênicas. Nas artes visuais, um dos maiores focos de ansiedade nos estudos e criações em performance está na relação entre evento e registro. Se, quando alicerçou-se como linguagem inovadora, nos anos 60 e 70, a performance questionava o sistema da arte por ser efêmera e resistir à objetificação, atualmente documentos de ações são comercializados sem constrangimentos. Ademais, surgem questionamentos a respeito do papel do registro, que pode ser coadjuvante do ato ao vivo ou adquirir vida própria pela interferência posterior do artista ou pelo cuidado na captura das imagens. Livros, vídeos, fotografias, desenhos e instalações derivados ou complementares de ações são frequentemente incluídos em exposições de performance. Em meio a essa realidade reflete-se sobre o ensino da linguagem, recentemente integrada a alguns currículos de graduação e pós graduação em artes visuais no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Martins Rodrigues Moraes, Centro Universitário Belas Artes de São Paulo

Departamento de Artes Visuais do Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. Professora de Performance.

Downloads

Publicado

2015-12-14

Como Citar

MORAES, J. M. R. Especificidades do ensino da performance nas Artes Visuais. DAPesquisa, Florianópolis, v. 10, n. 14, p. 024-037, 2015. DOI: 10.5965/1808312910142015024. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/dapesquisa/article/view/6524. Acesso em: 7 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos