Os gêneros literários e a industria cultural no século XX: relações críticas entre o teatro épico, arte e política

Autores

  • Bruno Policani Filippo Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

DOI:

https://doi.org/10.5965/1808312910142015003

Resumo

O ensaio aborda a taxionomia dos gêneros literários desde a antiguidade, nas formulações de Platão e Aristóteles, e como a industrial cultural do século XX apropriou-os, dando-lhes novas formas de manifestações artísticas, o que permitiu outras formas de pensar a transformação da realidade social e política por meio da arte. Com embasamento na Teoria Literária, estudam-se os gêneros épico, lírico e dramático e o entrelaçamento entre eles, de que resultou o teatro épico. O recurso às teorias de Walter Benjamin ilumina o papel do teatro épico como uma das expressões mais significativas, a partir da segunda metade do século XX, de manifestar inconformismo social e político em plena era de massificação – na qual a indústria cultural parecia condenar o gênero épico ao esquecimento

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-12-14

Como Citar

FILIPPO, B. P. Os gêneros literários e a industria cultural no século XX: relações críticas entre o teatro épico, arte e política. DAPesquisa, Florianópolis, v. 10, n. 14, p. 003-011, 2015. DOI: 10.5965/1808312910142015003. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/dapesquisa/article/view/6063. Acesso em: 7 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos