Game-Art: considerações sobre a presença de grafitti em games digitais.

Autores

  • Jordi Angelo Timón Frias, Antonio Carlos Vargas Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

DOI:

https://doi.org/10.5965/1808312909122014058

Palavras-chave:

Ontologia, Game digital, Estética

Resumo

 

Resumo:

O artigo apresenta algumas considerações sobre as relações entre arte e game digital, fazendo para tal uma observação sobre a presença  do graffiti em games de ação.  O estudo é parte de uma investigação sobre as relações ontológicas entre arte e games digitais e busca compreender  como o grafitti opera dentro de alguns jogos, e se aquele é capaz de potencializar a imersão visual dentro da paisagem virtual. A pesquisa adota uma abordagem fenomenológica e toma o conceito de flâneur para estabelecer uma conexão entre a proposta conceitual dos games e o comportamento do jogador. Para isso são considerados autores que pensam tanto o graffiti  como o game enquanto linguagens próprias com forte propensão artística. O estudo relaciona e analisa tanto modalidades mais descompromissadas como pichações e jogos casuais, quanto as mais elaboradas como grafittis com influencia muralista e games narrativistas que compartilham de elementos da cinematografia.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jordi Angelo Timón Frias, Antonio Carlos Vargas, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, SC

Professor do PPGAV 

artigo escrito em conjunto como bolsista de IC-CNPq

Downloads

Publicado

2014-12-09

Como Citar

VARGAS, J. A. T. F. A. C. Game-Art: considerações sobre a presença de grafitti em games digitais. DAPesquisa, Florianópolis, v. 9, n. 12, p. 58 - 74, 2014. DOI: 10.5965/1808312909122014058. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/dapesquisa/article/view/5054. Acesso em: 24 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos