Fragmentos de tempos e espaços

um estudo comparativo entre as obras de Gordon Matta-Clark e Michael Wesely

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/18083129152021e0012

Palavras-chave:

Fotografia - Processamento, Percepção de imagens-Fotomontagem, Matta-Clark, Gordon, 1943-1978, Wesely, Michael

Resumo

Neste artigo, analisamos as obras de Gordon Matta-Clark e Michael Wesely a partir de uma visualidade fragmentada que teve início na relação do sujeito com a câmera escura. Com base nessa visão descontínua e instável do observador, conceituada e relatada por Jonathan Crary, investigamos de que maneira os dois artistas se utilizam da fotografia como uma forma de desagregação dos limites que se estabelecem entre passado e presente, de modo que espaço e tempo tornam-se indeterminados. Utilizamo-nos, assim, das leituras de Walter Benjamin, Maurice Blanchot e Jacques Derrida sobre a ruína, para estudar como a imagem fotográfica se afirma como configurações dilaceradas, ao se oferecer, por meio de sobreposições, ramificações e excessos, como representações obliteradas e incompletas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marília Fiúza Queiroz, Universidade do Estado de Minas Gerais

Graduação em Artes Plásticas com ênfase em fotografia e xilogravura, pela Escola Guignard - Universidade do Estado de Minas Gerais (2002), Master of Arts in Photographic Studies pela University of Westminster - Londres (2006) e mestrado com indicação para publicação em Artes pela Universidade do Estado de Minas Gerais (2018), com a dissertação "Olhares Simultâneos: apropriação de tempos e espaço nas obras de Gordon Matta-Clark e Michael Wesely". Tem experiência como docente na área de Artes, em disciplinas de fotografia, xilogravura, desenho, ilustração (à mão livre e digital) e História da Arte, e na área de Línguas, com ensino da língua inglesa. Também trabalha com tradução inglês/português e inglês/português desde 2008

Alexandre Rodrigues da Costa, Universidade do Estado de Minas Gerais

Graduação em Letras pela Universidade Federal de Minas Gerais (1997), mestrado em Letras pela Universidade Federal de Minas Gerais (2001), com a dissertação "A construção do silêncio: um estudo da obra poética de Orides Fontela", e doutorado em Letras pela Universidade Federal de Minas Gerais (2005), com a tese "A transfiguração do olhar: um estudo das relações entre literatura e artes plásticas em Rainer Maria Rilke e Clarice Lispector". Em 2010 e 2011, desenvolveu pesquisa sobre as obras poéticas de Georges Bataille e Samuel Beckett como aluno de pós-doutorado junto ao Curso de Pós-Graduação em Estudos Literários da Faculdade de Letras da UFMG, financiado pela bolsa de pesquisa oferecida pela FAPEMIG. Publicou o livro ?Corpos Labirínticos: Textos de Hans Bellmer?, financiado pela Demanda Universal FAPEMIG 2016, com traduções dos textos escritos pelo artista alemão e um estudo de sua obra a partir do verbete informe, concebido por Georges Bataille, na revista Documents. Atualmente, desenvolve pesquisas sobre o cinema experimental (found footage), séries de TV, animes e mangás, mais especificamente o ero guro nansensu, com projeto voltado para a obra de Shintaro Kago. É Professor de Educação Superior da Escola Guignard da Universidade Estadual do Estado de Minas Gerais e do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Artes da Universidade do Estado de Minas Gerais.

Referências

UMONT, Jacques. O olho interminável [cinema e pintura]. Tradução de Eloisa Araújo Ribeiro. São Paulo: Cosac Naify, 2004.

BENJAMIN, Walter. Origem do drama barroco alemão. Tradução de Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1984.

BLANCHOT, Maurice. L’écriture du désastre. Paris: Gallimard, 1980.

BOIS, Yve-Alain; KRAUSS, Rosalind. Formless: a user’s guide. Nova York: Zone Books, 1999.

CARTIER-BRESSON, Henri. The Decisive Moment. New York: Simon and Schuster. 1952.

CRARY, Jonathan. Técnicas do observador: visão e modernidade no século XIX. Tradução de Verrah Chamma. Rio de Janeiro: Contraponto. 2012.

DERRIDA, Jacques. Memórias de Cego: o autorretrato e outras ruínas. Tradução de Fernanda Bernardo: Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2010.

JAY, Martin. Downcast eyes: the denigration of vision in the Twentieth-Century French thought. Berkeley, Los Angeles and London: University of California Press, 1994.

SIMMEL, Georg. The Ruin. In: DILLON, Brian (org.). Ruins – Documents of Contemporary Art. London: Whitechapel Gallery; Cambridge, Massachusetts: The MIT Press, 2011.

SONTAG, Susan. Sobre fotografia. Tradução de Rubens Figueiredo. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

WALKER, Stephen. Gordon Matta-Clark: art, architecture and the attack on modernism. London, New York: I.B.Tauris, 2009.

WESELY, Michael. Interview. In: MEISTER, Sarah Hermanson (org.). Michael Wisely Open Shutter. New York: The Museum of Modern Art, 2004.

Publicado

2021-03-22

Como Citar

QUEIROZ, M. F.; COSTA, A. R. da. Fragmentos de tempos e espaços: um estudo comparativo entre as obras de Gordon Matta-Clark e Michael Wesely. DAPesquisa, Florianópolis, v. 16, p. 01-18, 2021. DOI: 10.5965/18083129152021e0012. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/dapesquisa/article/view/18242. Acesso em: 14 jun. 2021.