Educação inclusiva e formação continuada de professores de artes visuais no município de Cabedelo, Paraíba

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1808312914232019002

Palavras-chave:

Artes Visuais, Educação Inclusiva, Escola pública

Resumo

O estudo surgiu da necessidade de identificar o papel da Diretoria de Educação Inclusiva (DEI), da Secretaria de Educação do Município de Cabedelo (SEMC), Paraíba, na formação continuada do professor de Artes Visuais. Objetiva investigar se a formação continuada oferecida, no ano de 2015, pela DEI e pela SEMC para os professores de Artes Visuais, abordou temas sobre Educação Inclusiva, aplicados ao Ensino da Arte. Esta pesquisa foi realizada na DEI/SEMC; na Coordenação de Artes; na EMEF Elizabeth Ferreira da Silva e na EMEF Vereador Pedro Américo, as quais possuem Salas de Recursos Multifuncionais (SRM). Os dados foram obtidos por meio da observação direta, aplicação de questionários semiestruturados com os gestores e professores das instituições selecionadas e análise documental. O marco teórico envolve saberes do campo do Ensino da Arte, da formação do professor de Artes Visuais e da Educação Inclusiva. Os resultados obtidos destacaram que os professores de Artes Visuais pesquisados, começaram a se envolver com os conteúdos relativos à Inclusão Escolar por meio das ações promovidas pela DEI/SEMC.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Robson Xavier da Costa, Universidade Federal da Paraíba

Dr. em Arquitetura e Urbanismo, Mestre em História, Licenciado em Artes Plásticas. Docente do Departamento de Artes Visuais da UFPB e Coordenador do PPGAV UFPB.

Marinês Salviano Alves, Secretaria de Educação do Município de Cabedelo, Paraíba

Mestre em Artes Visuais (PPGAV UFPB); Licenciada em Educação Artística - Artes Plásticas (UFPB). Professora de Artes Visuais das Secretarias de Educação dos Municípios de João Pessoa e de Cabedelo.

Referências

ALVES, Marines Salviano. O ensino de arte e a educação inclusiva: um estudo de caso com os professores na rede municipal de Cabedelo – PB. 2016. Dissertação (Mestrado em Artes Visuais) – Centro de Comunicação, Turismo e Artes, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2016. Disponível em: https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/123456789/11529. Acesso em: 16 jul. 2019.

ARRUDA (org.). Educação inclusiva: do sonho à realidade. Cabedelo: Secretaria de Educação, 2012.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, [2016]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 10 jul. 2019.

BRASIL. Decreto n° 7.611, 17 de novembro de 2011. Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Brasília, DF, 17 nov. 2011. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/decreto/d7611.htm. Acesso em: 10 jul. 2019.

BRASIL. Documento orientador Programa Implantação de Salas de Recursos Multifuncionais. Brasília: MEC, 2012. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php? option=com_docman&view=download&alias=11037-doc-orientador-multifuncionais-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 12 jul. 2019.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF, 20 dez. 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 10 jul. 2019.

BRASIL. Resolução CNE/CEB nº 4/2009 - CNE/MEC. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/rceb004_09.pdf. Acesso em: 03 set. 2017.

CARDOSO, Marlene da Silva. Aspectos históricos da educação especial: da exclusão à inclusão – uma longa caminhada. In: MOSQUERA, Juan José Mouriño; STOBAÜS, Claus Dieter (org.). Educação especial: em direção à educação inclusiva. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2003.

COSTA, Robson Xavier (Org.). Arteterapia & educação inclusiva: diálogos multidisciplinares. Rio de Janeiro: WAK, 2010.

DECLARAÇÃO de Salamanca: Sobre princípios políticas e práticas na área das necessidades educativas especiais. Salamanca, 1994. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/salamanca.pdf. Acesso em: 10 jul. 2019.

FEITOSA, Socorro. Entrevista cedida pela Coordenadora do Centro de Arte da Secretaria Municipal de Educação de Cabedelo. Cabedelo, PB: não publicada, 2015.

MANTOAN, Maria Teresa Egler. Todas as crianças são bem-vindas à escola. Revista Profissão Docente, Uberaba, v. 1, n. 1, p. 1-19, maio./ago. 2001. Disponível em: http://www.revistas.uniube.br/index.php/rpd/article/view/32/515. Acesso em: 10 jul. 2019.

PARAÍBA. Senso escolar de 2015 da Prefeitura Municipal de Cabedelo. Cabedelo: Secretaria Municipal de Educação. Cabedelo, PB, 2015.

SATO, Carlos; CARDOSO, Ana Maria; TOLOCKA, Rute Estanislava. A inclusão de pessoas com necessidades educativas especiais nas escolas regulares: receio ou coragem? In: VENÂNCIO, Silvana; AUGUSTO, Dulce Inês L. S. Pedagogia do movimento: coletânea de textos. Campinas: Unicamp/FEF/DEM, 2002.

UNESCO. Declaração mundial sobre educação para todos: satisfação das necessidades básicas de aprendizagem. Jomtien, 1998. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000086291_por. Acesso em: 10 jul. 2019.

Downloads

Publicado

2019-08-05

Como Citar

XAVIER DA COSTA, R.; SALVIANO ALVES, M. Educação inclusiva e formação continuada de professores de artes visuais no município de Cabedelo, Paraíba. DAPesquisa, Florianópolis, v. 14, n. 23, p. 002-019, 2019. DOI: 10.5965/1808312914232019002. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/dapesquisa/article/view/1808312914232019002. Acesso em: 16 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos