As Late plays de Tennessee Williams:

uma revolução contra o mainstream

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1808312915252020e0032

Palavras-chave:

Teatro (Literatura), Dramaturgos americanos, Williams, Tennessee, 1911-1983, Contracultura

Resumo

Este artigo apresenta as peças inéditas de Tennessee Williams no Brasil, chamadas late plays nos Estados Unidos, aquelas escritas na terceira fase de sua carreira. Discute-se sua recepção, os preconceitos e a inabilidade de compreensão de suas propostas inovadoras de forma e conteúdo, advindas da absorção, pelo dramaturgo, de sua presença constante nos circuitos off e off-off-Broadway, nas décadas de 1950 a 1970. Suas principais características são o afastamento do realismo, a mescla de gêneros e estilos e a exposição de expedientes da homossexualidade aberta, certamente uma narrativa apreendida das insurreições da contracultura. A leitura hegemônica, o culto às peças mais celebradas, a tendência contemporânea de adaptações, a ausência de traduções e as dificuldades de aquisição de direitos autorais dificultam o estudo, a leitura e a difusão destas obras no Brasil. São apresentadas as produções brasileiras e os escassos trabalhos acadêmicos sobre elas no país. Com base na análise desta dramaturgia inédita e contracultural, conclui-se, por fim, que Williams empregou uma poesia teatral de desfiguração para minar as convenções miméticas de uma dramaturgia que se exterioriza em metadrama e promove a cisão com os conteúdos ficcionais e formas realistas do teatro estadunidense.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luis Marcio Arnaut de Toledo, Universidade de São Paulo - USP

Doutor em Artes pela Escola de Comunicação e Artes - ECA -USP em Teoria e Prática do Teatro, também é especialista em Teatro-Educação, licenciado em Teatro, engenheiro e Mestre em engenharia pela UFSC.

Dramaturgista, tradutor e revisor de Not about Nightingales para a Cia Triptal em 2019 para o espetáculo Inferno – um interlúdio expressionista com direção de André Garolli.

Convidado especial do Provincetown Tennessee Williams Theater Festival na cidade de Provicetown, nos Estados Unidos, para apresentar o panorama da obra de Tennessee Williams no Brasil em 2019 e representar o Brasil no Festival.

Autor do livro Tennessee Williams: Algo não dito, 2017, editora Giostri.

Com mais cinco livros publicados, é ator, educador e dramaturgo.

Referências

BERRO, novo espetáculo do Grupo Tapa, chega ao Arena (SP). Direção teatral: Eduardo Tolentino de Araújo. São Paulo: Grupo Tapa, 2013. Website: Funarte - Portal das Artes (Notícias, 2 ago. 2013). Disponível em: https://www.funarte.gov.br/teatro/%e2%80%9cberro%e2%80%9d-novo-espetaculo-do-grupo-tapa-estreia-no-arena/ . Acesso em: 31 jan. 2018. Peça de Tennessee Williams.

BETTI, M. S. Tennessee Williams: Experimental e antirrealista. In: MALUF, S. B. ; AQUINO, S. B. de (org.). Olhares sobre textos e encenações. Salvador: EDUFBA, 2007. p. 261-274.

VIEUX Carré, de Tennessee Williams. Direção teatral: Gilberto Gawronski. Rio de Janeiro : Casa de Artes Laranjeiras, 13, 14 e 15 out. 2017. Disponível em: https://www.cal.com.br/. Acesso em: 04 dez. 2017. Peça de Tennessee Williams.

CUNHA, F. C. da. Grito d’Alma. In: CUNHA, F. C. da. Obsessões. São Paulo: Factash, 2004. p. 503-538.

DEVLIN, A. J. (ed.). Conversations with Tennessee Williams. Jackson: University Press of Mississippi, 1986. 369 p.

DORFF, L. Disfigured Stages: The Late Plays of Tennessee Williams, 1958-1983. Tese (Doctor of Philosophy) - University of New York, New York, 1997. 401 p.

FLORES, F. T. Da Depressão às raízes do macarthismo: representação de questões sócio-históricas em American Blues, de Tennessee Williams. São Paulo: Humanitas, 2015. 317 p.

GRIFFIN, A. Understanding Tennessee Williams. Columbia: University of South Caroline Press, 1998. 266 p.

GRITO d’Alma. Direção teatral: Diogo Salles. Rio de Janeiro : O Filho dos Sonhos, 2011. Disponível em: http://osfilhosdosonho.blogspot.com.br/. Acesso em: 26 ago. 2016. Peça de Tennessee Williams

GUERRA, S. R. A geração de 69 no teatro brasileiro: mudança dos ventos. Dissertação (Mestrado em Artes) - Escola de Comunicação de Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1988. 267 p.

GUILBERT, G-C. Queering and Dequeering the Text Tennessee Williams’ A Streetcar Named Desire. Cercles, France, v. 10, 2004. p. 85-116. Disponível em: http://www.cercles.com/n10/guilbert.pdf. Acesso em: 21 jan. 2018.

HELIODORA, B. Caminhos do teatro ocidental. São Paulo: Perspectiva, 2013.

HOOPER, M. S. D. Sexual Politics in the Work of Tennessee Williams: Desire Over Protest. Cambridge: Cambridge University Press, 2012. p. 1-7

KEITH, T. You Are Not the Playwright I Was Expecting: When the Reputation Tanked, Williams Kept Writing. How Many of His More Than 40 Late Plays Do You Know? American Theatre, New York, v. 28, n. 7, Sept. 2011. Disponível em: https://www.questia.com/magazine/1G1-266751215/you-are-not-the-playwright-i-was-expecting-when-his. Acesso em 31 ago. 2016.

LOPES, H, P, N. Traduzir teatro no Estado Novo: Gata em telhado de zinco quente (1959), tradução de Sérgio Guimarães, do original Cat on a Hot Tin Roof (1955), de Tennessee Williams. Dissertação (Mestrado em Tradução) - Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, 2014. Disponível em: https://run.unl.pt/handle/10362/13747. Acesso em: 21 jan. 2018.

MACHADO, B. Confira montagens estrangeiras nos palcos da cidade. Veja São Paulo, São Paulo, 14 mar. 2013. Disponível em: https://vejasp.abril.com.br/cultura-lazer/pecas-estrangeiras-sp/. Acesso em: 16 nov. 2017.

MOLER, L. B. O matadouro municipal: imagem e teatralidade em Tennessee Williams. Revista Lumen et Virtus, São Paulo, v. 4, n. 8, fev. 2013. Disponível em: http://www.jackbran.com.br/lumen_et_virtus/numero_8/lara_moler.html. Acesso em: 7 jul. 2015.

MOLER, L. B. Relatório científico final: as peças em um ato de Tennessee Williams, 2014. Pós-Doutorado (Programa de Estudos Literários e Linguísticos em Inglês) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. (digitado).

OLIVEIRA, G. P. C. de. Os limites do realismo em The Mutilated, de Tennessee Williams: Expressionismo e Verfremdungseffekt. In: Ilha do Desterro, Florianópolis, v. 70, n. 1, p. 275-285, jan/abr. 2017. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/desterro/article/view/2175-8026.2017v70n1p275. Acesso em: 20 dez. 2017.

PEREIRA, E. M. G. The Imagery of Decadence in Tennessee Williams’ Vieux Carré. Dissertação (Mestrado em Letras) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 1985. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/24341/?sequence=1. Acesso em: 10 abr. 2019.

PETTIT, A. Tennessee Williams’s “Serious Comedy:” Problems of Genre and Sexuality in (and After) Period of Adjustment. In: Philological Quarterly, Iowa, v. 91, n. 01, Winter, 2012. Disponível em: https://www.questia.com/library/journal/1G1-363103116/tennessee-williams-s-serious-comedy-problems-of. Acesso em: 6 nov. 2018.

PROSSER, W. The Late Plays of Tennessee Williams. Maryland: The Scarecrow Press, 2009.

SADDICK, A. J. The Politics of Reputation: The Critical Reception of Tennessee Williams' Later Plays. Cranbury: Associated University Presses, 1999.

SADDICK, A. J. Tennessee Williams and the Theatre of Excess: The Strange, the Crazed, the Queer. Cambridge: Cambridge University Press, 2015.

TENNESSEE Williams. New York : IBDB, 2017. Website: Internet Broadway Database. Disponível em: http://www.ibdb. https://www.ibdb.com/broadway-cast-staff/tennessee-williams-8822 . Acesso em: 29 dez. 2017.

THOMASSEAU, J.-M. O melodama. São Paulo: Perspectiva, 2005.

TOLEDO, L. M. A. O Tennessee Williams desconhecido e experimental de seis peças em um ato das décadas de 1960 a 1980: abordagem, análise e contexto das personagens femininas. 2019. Tese (Doutorado em Teoria e Prática do Teatro) - Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2019. DOI:10.11606/T.27.2019.tde-24092019-161617. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/27/27156/tde-24092019-161617/pt-br.php . Acesso em: 05 dez. 2019.

TOLEDO, L. M. A.; FLORES, F. T. O inquietante silêncio do armário em Summer at the Lake, de Tennessee Williams. In: Revista Diálogos (RevDia), Cuiabá, v. 6, n. 2, p. 32-51, mai./ago. 2018. Edição comemorativa pelo Qualis B2. Disponível em: http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/revdia/article/view/6572/html. Acesso em: 07 jan. 2019.

WILLIAMS, T. 27 wagons full of cotton and other one-act plays by Tennessee Williams. New York: New Directions, 1966.

WILLIAMS, T. Um bonde chamado Desejo. Tradução de Brutus Pedreira. São Paulo: Círculo do Livro, 1988.

WILLIAMS, T. Candles to the sun : a play in ten scenes. New York: New Directions, 2004.

WILLIAMS, T. Dragon Country. New York: New Directions, 1970.

WILLIAMS, T. The Fugitive Kind. New York: New Directions, 2001.

WILLIAMS, T. Mister Paradise and Other One-act Plays. New York: New Directions, 2005.

WILLIAMS, T. Not about Nightingales. New York: New Directions, 1998b.

WILLIAMS, T. Now the Cats with Jeweled Claws & Other One-act Plays. New York: New Directions, 2016.

WILLIAMS, T. Small Craft Warnings. New York: New Directions, 1972.

WILLIAMS, T. Spring Storm. New York: New Directions, 1999.

WILLIAMS, T. Stairs to the Roof: A Prayer for the Wilder of Heart That Are Kept in Cages. New York: New Directions, 2000a.

WILLIAMS, T. Tennessee Williams: One-act Plays. London: Methuen Drama, 2012.

WILLIAMS, T. Tennessee Williams: Plays 1957-1980. New York: The Library of America, 2000b. (Library of America Series; 120)

WILLIAMS, T. The Travelling Companion and Other Plays. New York: New Directions Books, 2008.

WILLIAMS, T. O zoológico de vidro/De repente no último verão/Doce pássaro da juventude. Tradução de Clara Carvalho e Grupo Tapa. São Paulo: É Realizações, 2014.

WILLIAMS, T, ; WINDHAM, D. You Touched Me!: A Romantic Comedy in Three Acts. New York: Samuel French, 2010.

Publicado

2020-11-12

Como Citar

TOLEDO, L. M. A. de. As Late plays de Tennessee Williams: : uma revolução contra o mainstream . DAPesquisa, Florianópolis, v. 15, p. 01-27, 2020. DOI: 10.5965/1808312915252020e0032. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/dapesquisa/article/view/16885. Acesso em: 3 ago. 2021.