Desenvolvimento sustentável, inovação e gestão de design

uma reflexão multidisciplinar para o desenvolvimento social sustentável

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1808312915252020e0007

Palavras-chave:

Abordagem interdisciplinar do conhecimento na educação, Design, Inovações disruptivas, Desenvolvimento sustentável

Resumo

A complexidade dos problemas emergentes demanda das organizações uma visão holística das dimensões que as envolvem. Apesar das disciplinas, desenvolvimento sustentável, inovação e gestão de design, tratarem de questões complexas e dinâmicas, suas interações ainda não são claras, mesmo com elos comuns. Assim, objetiva-se conhecer a relação multidisciplinar para o desenvolvimento social sustentável entre desenvolvimento sustentável, inovação e gestão de design. Para tanto, procede-se à pesquisa exploratória, de caráter qualitativo e o uso da pesquisa bibliográfica como método de levantamento de dados. A etapa de pesquisa bibliográfica foi realizada por meio de uma revisão narrativa de literatura que envolveu as três disciplinas a serem tratadas: desenvolvimento sustentável, inovação e gestão de design. Com base nisso, observou-se a articulação estratégica da gestão de design e da inovação em torno do desenvolvimento sustentável, em que a gestão de design orientada à inovação pode contribuir criativamente na resolução de problemas reais e gerar mudanças disruptivas na sociedade, o que permite concluir convergência entre as disciplinas tratadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maicon Douglas Livramento Nishimura, Universidade Federal de Santa Catarina/Doutorando

Bacharel em Administração Empresarial e Moda pela Universidade do Estado de Santa Catarina, mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina. Atualmente é doutorando em Design na Universidade Federal de Santa Catarina.

Giselle Schmidt Alves Díaz Merino, Universidade do Estado de Santa Catarina/Professora adjunta

Bacharel em Desenho pela Universidade do Estado de Santa Catarina, mestre em Design pela Universidade Federal de Santa Catarina e doutora em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina. Atualmente é professora adjunta na Universidade do Estado de Santa Catarina.

Eugenio Andrés Díaz Merino, Universidade Federal de Santa Catarina/Professor titular

Bacharel em Desenho Industrial pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina e doutor em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina. Atualmente é professor titular na Universidade Federal de Santa Catarina.

Referências

ACCELERATE2030 seleciona negócios que impactam ODS. UNDP, 2019. Disponível em: https://www.br.undp.org/content/brazil/pt/home/presscenter/articles/2019/accelerate2030-seleciona-negocios-que-impactam-ods.html. Acesso em: 02 mai. 2020.

ALBACH, D. M. Design para sustentabilidade em cenários futuros no setor de embalagens de alimentos em autosserviço. 20017. Tese (Doutorado em Design) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Artes, Comunicação e Design, Programa de Pós-Graduação em Design, Curitiba, 2017.

ANTHONY, S. D. The little black book of innovation: how it works, how to do it. Boston: Harvard Business Review Press, 2012a.

ANTHONY, S. D. The new corporate garage. Harvard Business Review, Boston, v. 90, n. 9, p. 44-53, set. 2012b.

BAREGHEH, A.; ROWLEY, J.; SAMBROOK, S. Towards a multidisciplinary definition of innovation. Management Decision, Somerville, v. 47, n. 8, p. 1323-1339, 2009.

BELLEN, H. M. V. Indicadores de sustentabilidade: uma análise comparativa. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.

CONHEÇA a Agenda 2030: conheça o plano de ação global para mudar o mundo até 2030. Plataforma Agenda 2030, 2020. Disponível em: http://www.agenda2030.com.br/sobre/. Acesso em: 02 mai. 2020.

CORDEIRO, A. M., OLIVEIRA, G.M., RENTERÍA, J.M. Revisão sistemática: uma revisão narrativa. Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, Rio de Janeiro, v. 34, n. 6, p. 428-431, 2007.

DALY, H. E.; FARLEY, J. Ecological economics: principles and applications. Washington DC: Island Press, 2004.

DIAMOND, J. Colapso: como as sociedades escolhem os fracassos ou o sucesso. 5. ed. São Paulo: Editora Record, 2007. 348p.

EIZENBERG, E.; JABAREEN, Y. Social sustainability: a new conceptual framework. Sustainability, Switzerland, v. 9, n. 1, p.68-84, 2017.

ELKINGTON, J. Cannibals with forks: the triple bottom line of 21st century business. Oxford: Capstone, 1997.

FURLANI, T. Z. Engajamento de corporações com startups na quarta era da inovação: recomendações e sugestões. 2018. Dissertação (Mestrado em Engenharia e Gestão do Conhecimento) – Centro Tecnológico, Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2018.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

HARPER, C. L. Environment and society: human perspectives on environmental issues. 2. ed. New Jersey: Prentice Hall, 2001.

KAZAZIAN, T. Haverá a idade das coisas leves: design e desenvolvimento sustentável. São Paulo: Editora Senac, 2005.

KELLEY, T.; LITTMAN, J. The art of innovation: lessons in creativity from iDEO, America’s leading design firm. New York: Doubleday, 2011.

LEIS, H. R. A modernidade insustentável: as críticas do ambientalismo à sociedade contemporânea. 2. ed. Montevideo: Coscoroba, 2004.

MAGIS, K.; SHINN, C. Emergent principles of social sustainability. In: DILLARD, J.; DUJON, V.; KING, M.C. (ed.). Understanding the social dimension of sustainability. New York: Taylor & Francis, 2009. p.15-44

MARTINS, R. F. F.; MERINO, E. A. D. A gestão de design como estratégia organizacional. 2. ed. Rio de Janeiro: Rio Books, 2011.

MCPHEE, C.; BLIEMEL, M.; BIJL-BROUWE, M. Editorial: transdisciplinary innovation. Technology Innovation Management Review, Ottawa, v. 8, n. 8, p. 03-06, 2018.

MOZOTA, B. B.; KLÖPSCH, C.; COSTA, F. C. X. Gestão do design: Usando o design para construir valor de marca e inovação corporativa. Porto Alegre: Bookman, 2011.

MYHRÉN, P. et al. Incremental and radical open service innovation. Journal of Services Marketing, Somerville, v. 32, n. 2, p.101-112, 09 abr. 2018.

NEDER, R. et al. Relações entre inovação e sustentabilidade: termos e tendências na produção científica mundial. Gestão & Regionalidade, São Paulo, v. 35, n. 104, p.182-200, mai-ago. 2019.

OSTROM, E. Governing the commons: the evolution of institutions for collective action. Cambridge: Cambridge University Press, 1990.

QIN, Y.; HARRISON, J.; CHEN, L. A framework for the practice of corporate environmental responsibility in China. Journal of Cleaner Production, Holanda, v. 235, p.426-452, 2019.

SACHS, I. Caminhos para o desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro: Garamond, 2009.

SCHUMPETER, J. A. The explanation of the business cycle. Economica, Londres, v. 21, n. 21, p. 286-311, dez. 1927. Disponível em: www.jstor.org/stable/2548401. Acesso 14 abr. 2020

SILVESTRE, B. S.; ȚÎRCĂ, D. M. Innovations for sustainable development: moving toward a sustainable future. Journal of Cleaner Production, Holanda, v. 208, p. 325-332, 2019.

VEZZOLI, C.; MANZINI, E. Design for environmental sustainability. London: Springer, 2007.

VEZZOLI, C.; MANZINI, E. Review: design for sustainable consumption and production systems. In: TUKKER, A. et al. System Innovation for Sustainability 1: Perspectives on radical changes to sustainable consumption and production. Sheffield: Greenleaf Publishing, 2008.

WORLD Design Organization. WDO. 2020. Disponível em: https://wdo.org. Acesso em: 02 maio 2020.

Publicado

2020-09-22

Como Citar

NISHIMURA, M. D. L.; MERINO, G. S. A. D.; MERINO, E. A. D. Desenvolvimento sustentável, inovação e gestão de design: uma reflexão multidisciplinar para o desenvolvimento social sustentável. DAPesquisa, Florianópolis, v. 15, p. 01-19, 2020. DOI: 10.5965/1808312915252020e0007. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/dapesquisa/article/view/15773. Acesso em: 18 jun. 2021.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)