Das aflições femininas: ervas, poções e sangrias

Autores

  • Maria Brigida de Miranda Udesc

DOI:

https://doi.org/10.5965/1808312904062009020

Palavras-chave:

teatro, Vinegar Tom, peça teatral, bruxaria

Resumo

Escrita em 1976 éça dramaturga inglesa Caryl Churchill em colaboração com o grupo Monstrous Regiment, Vinegar Tom é peça feminista-socialista que explora a história da bruxaria. A elaboração do texto baseou-se no estudo dos autos de julgamento do século XVII, da cidade de Essex na Inglaterra. Para Churchill, Vinegar Tom é um texto sobre bruxaria, mas onde não há bruxas. Neste artigo contextualizo e apresento aspectos gerais do texto dramatúrgico para situar a primeira montagem tatral brasileira de Vinegar Tom em 2007-2008. Proponho uma reflexão sobre a representação da curandeira (personagem Ellen) e do médico (personagem Doutor) ao discutir as opções da direção e os artifícios da encenação para realçar o antagonismo entre o conhecimento pagão e o surgimento da medicina moderna.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-11-12

Como Citar

DE MIRANDA, M. B. Das aflições femininas: ervas, poções e sangrias. DAPesquisa, Florianópolis, v. 4, n. 6, p. 020-026, 2018. DOI: 10.5965/1808312904062009020. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/dapesquisa/article/view/14141. Acesso em: 3 ago. 2021.

Edição

Seção

Artes Cênicas