Os movimentos sucessivos em oitavas em Haydn e Mozart

Autores

  • Eusiel Rego Universidade de São Paulo
  • Edelton Gloeden Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.5965/1808312905072010259

Palavras-chave:

oitavas, uníssonos, contraponto, retórica musical

Resumo

Este artigo visa abordar um procedimento composicional que utiliza o recurso dos movimentos sucessivos em oitavas no contexto do período clássico – último quartel do século XVIII –, especialmente na obra de compositores como Haydn e Mozart. Nossa abordagem procura trazer à luz, simultaneamente, possíveis equívocos que possam levar ao uso incorreto da terminologia contrapontística em tais contextos e trata de obter uma forma mais adequada de nomear esses movimentos. Esta averiguação resulta de um natural e histórico confronto de ideias entre uma abordagem técnico-constitutiva da música daquele período e de uma inquietação hermenêutica geralmente postulada elas retóricas musicais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-10-31

Como Citar

REGO, E.; GLOEDEN, E. Os movimentos sucessivos em oitavas em Haydn e Mozart. DAPesquisa, Florianópolis, v. 5, n. 7, p. 259-280, 2018. DOI: 10.5965/1808312905072010259. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/dapesquisa/article/view/14091. Acesso em: 1 dez. 2021.

Edição

Seção

Música