Inacomodações do indivíduo órfão – a subjetividade na arte, da modernidade à pós-modernidade

Autores

  • Camila Yassuda Universidade do Estado de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5965/1808312906082011196

Palavras-chave:

pós-modernidade, anti-racionalismo, ausência de finalidade, ficção

Resumo

Trazendo referências das Artes Visuais e unindo-as a alguns “achados” da Literatura, procuro, por meio deste artigo, elaborar uma reflexão, com embasamentos filosóficos e históricos, acerca de aspectos da subjetividade contemporânea relacionados à crise existencial, e seus efeitos na produção artística. O indivíduo pós-moderno quer reafirmar o propósito de sua existência depois que este foi extinto. Dito indivíduo encontra-se, portanto, numa errância labiríntica, desde que fora desprovido das certezas absolutas e da crença em sua finalidade de existir, que delatam a ausência do progresso humano. Essa é a emboscada e o ponto de partida que nos impele à invenção do “depois”, ou seja, á pós-modernidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-10-25

Como Citar

YASSUDA, C. Inacomodações do indivíduo órfão – a subjetividade na arte, da modernidade à pós-modernidade. DAPesquisa, Florianópolis, v. 6, n. 8, p. 196-211, 2018. DOI: 10.5965/1808312906082011196. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/dapesquisa/article/view/14006. Acesso em: 22 set. 2021.

Edição

Seção

Artes Visuais