Henry van de Velde, o art nouveau e a utopia da reconciliação

Autores

  • Alice de Oliveira Viana Universidade do Estado de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5965/1808312906082011176

Palavras-chave:

Henri van de Velde, Art Nouveau, técnica, natureza

Resumo

O presente artigo apresenta parte do pensamento e da obra do arquiteto e designer belga Henri van de Velde, entendido como um dos precursores da linguagem art nouveau, cujas produções práticas recorrentemente apresentaram certa referência formal à natureza, assim como seu pensamento teórico se fundamentou em uma explícita associação aos processos naturais. Em seguida, a partir da análise de algumas imagens de suas produçõese entendendo que a imagem pode operar oscilando em termos de visível-invisível, procura-se demonstrar que esta aparente confiança na natureza e em seus processos em grande medida traveste-se, de modo velado, de uma problemática da época, a inelutável separação entre arte e técnica, a tentativa irresoluta de unir novamente homem e natureza. Pretende-se, com este estudo, trazer contribuições para a área da Teoria e História das Artes Visuais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-10-25

Como Citar

VIANA, A. de O. Henry van de Velde, o art nouveau e a utopia da reconciliação. DAPesquisa, Florianópolis, v. 6, n. 8, p. 176-195, 2018. DOI: 10.5965/1808312906082011176. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/dapesquisa/article/view/14005. Acesso em: 30 jul. 2021.

Edição

Seção

Artes Visuais