Teatro Oficina em anos de repressão entrevista com José Celso Martinez Corrêa

Autores

  • José Gustavo Bononi Universidade Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.5965/1808312906082011072

Palavras-chave:

entrevista, Teatro Oficina, teatro - 1960,

Resumo

José Celso Martinez Corrêa é dramaturgo, diretor, produtor, ator e fundador do grupo teatral Teatro Oficina (instituição teatral fundada em 1958 em São Paulo) – indivíduo que se fez referência nas artes cênicas do Brasil da segunda metade do século XX até os dias atuais. Nasceu em Araraquara - SP, em 30 de março de 1937 e se dirigiu para São Paulo – SP, na década de 1950 para fazer faculdade de Direito na Universidade de São Paulo - USP. Foi no Centro Acadêmico desta faculdade (XI de Agosto) que José Celso fundou o grupo Teatro Oficina, grupo este que também se tornaria referência para o teatro nacional na década de 1960 devido à repercussão das críticas teatral nacional e internacional. Mas, foi a partir de 1967, com a encenação de O Rei da Vela de Oswald de Andrade, sob direção de José Celso, que o Teatro Oficina ganhou maior notoriedade e se consagrou na crítica especializada, encabeçando o antropofagismo de Oswald de Andrade na cultura teatral na década de 1960 e configurando o grupo como uma das principais instituições teatrais do país. Esta publicação é parte dos resultados de uma entrevista realizada pelo autor por ocasião de sua pesquisa de Pós-Graduação relacionada a esta temática e a este grupo, entrevista esta que fora realizada no dia 23 de maio de 2011 as 16 h: 00 min. com duração total de 68 minutos - gravada de forma digital, fotografada e transcrita sob os preceitos metodológicos da história oral - na sede do Teatro Oficina no bairro Bexiga, Rua: Jaceguai, n° 520, São Paulo - SP.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-10-25

Como Citar

BONONI, J. G. Teatro Oficina em anos de repressão entrevista com José Celso Martinez Corrêa. DAPesquisa, Florianópolis, v. 6, n. 8, p. 072-080, 2018. DOI: 10.5965/1808312906082011072. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/dapesquisa/article/view/13993. Acesso em: 22 set. 2021.

Edição

Seção

Artes Cênicas