Ensino de Arte e os processos criativos na adolescência

Autores

  • Suzana Rocha de Souza Secretaria Municipal de Educação - SEMED Ji-Paraná/Rondônia
  • Elizabeth Antonia Leonel Moraes Martines Fundação Universidade Federal de Rondônia - UNIR
  • Sonia Mari Shima Barroco Universidade Estadual de Maringá

Palavras-chave:

Ensino de Arte, Atividade criadora, Adolescência.

Resumo

O Ensino da Arte e os Processos Criativos na Adolescência é resultado de um estudo bibliográfico que tem como objetivo refletir sobre o Ensino da Arte no contexto escolar e como os processos criativos impactam no desenvolvimento humano na adolescência, momento em que acontece a formação de conceitos. À luz do referencial teórico da Psicologia Histórico-Cultural, sobretudo o conceito de Atividade Criadora desenvolvido por Vigotski em sua obra Imaginação e criação na infância, os dispositivos legais do Brasil que embasam o ensino da arte, bem como a busca na plataforma tecnológica Scientific Electronic Library Online (SciELO). Ressalta-se a importância da Arte na escola e da potencialização dos processos criativos à formação estética, crítica e social do indivíduo, na busca de transformações sociais coletivas refletidas nas relações humanas. Por meio da educação o indivíduo se apropria do conhecimento adquirido que a humanidade produziu, socializando para as novas gerações. Nos processos de criação artística, o ser humano é capaz de criar, recriar, significar e ressignificar sua realidade de vida e seus contextos, bem como sua visão de mundo.

Biografia do Autor

Suzana Rocha de Souza, Secretaria Municipal de Educação - SEMED Ji-Paraná/Rondônia

Mestra em Psicologia Processos Educativos pelo Programa de Mestrado em Psicologia (MAPSI) da Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR).

Supervisora Escolar e Coordenadora de Cultura nas escolas da Secretaria Municipal de Educação (SEMED) em Ji-Paraná, RO.

Elizabeth Antonia Leonel Moraes Martines, Fundação Universidade Federal de Rondônia - UNIR

Docente aposentada da Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR).
Doutorado em Psicologia pelo Programa de Pós Graduação em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano (Instituto de Psicologia - USP).

Sonia Mari Shima Barroco, Universidade Estadual de Maringá

Docente do Departamento de Psicologia e do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Estadual de Maringá (PPI-UEM).

Pós-doutorado pelo Programa de Pós Graduação em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano (Instituto de Psicologia - USP) e doutorado em Educação Escolar (UNESP/Araraquara). 

Referências

ABERASTURY, Arminda. Adolescência. Porto Alegre: Artes Médicas, 1980.

ALMEIDA, Célia Maria de Castro. Concepções e práticas artísticas na escola. In: FERREIRA. Sueli (Org.). O ensino das Artes: Construindo caminhos. 2. ed. p. 11-38. Campinas, SP: Papirus, 2003.

ASBAHR, Flávia Silva Ferreira; NASCIMENTO, Carolina Picchetti. Criança não é manga, não amadurece: conceito de maturação na teoria histórico-cultural. Psicologia: Ciência e Profissão, 33(2), p. 414-427. 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141498932013000200012&lng=en&tlng=pt. 10.1590/S1414-98932013000200012. Acesso em: 10 out. 2014.

BARBOSA, Ana Mae. (Org.). Arte-Educação no Brasil: realidade hoje e expectativas futuras. Estudos Avançados, 3(7), p. 170-182. 1989. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010340141989000300010&lng=en&tlng=pt. 10.1590/S0103-40141989000300010. Acesso em: 08 out. 2014.

BARBOSA, Ana Mae. (Org.). Inquietações e Mudanças no ensino da Arte. São Paulo: Cortez. 2003.

BARROCO, Sonia Mari Shima. Psicologia Educacional e Arte - uma leitura histórico-cultural da figura humana. Maringá: Eduem, 2007.

_____. Sonia Mari Shima; Superti, Tatiane. Vigotski e o estudo da psicologia da arte: contribuições para o desenvolvimento humano. Psicologia & Sociedade, 26(1), p. 22-31. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/psoc/v26n1/04.pdf. Acesso em: 08 out. 2014.

_____. Sonia Mari Shima; TULESKI, Silvana Calvo. Vigotski: o homem cultural e seus processos criativos. Psicologia da Educação, (24), p. 15-33. 2007. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141469752007000100003&lng=pt&tlng=pt. Acesso em: 15 out. 2014.

BERNARDES, Maria Eliza Mattosinho. Atividade educativa, pensamento e linguagem: contribuições da psicologia histórico-cultural. Psicologia Escolar e Educacional, 15(2), p. 323-332. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-85572011000200014&lng=en&tlng=pt. 10.1590/S1413-85572011000200014. Acesso em: 09 out. 2014.

BOCK. Ana Mercês Bahia. A adolescência como construção social: estudo sobre livros destinados a pais e educadores. Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE). v. II, n. 1, p. 63-76, jan./jun. 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pee/v11n1/v11n1a07. Acesso em: 07 out. 2014.

BOURDIEU, Pierre. "A 'Juventude' é apenas uma palavra", in idem, Questões de sociologia, Rio de Janeiro: Marco Zero, p. 112-121. 1983.

BRASIL. Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996.

______. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais – Arte. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC, 1997.

BRUNER, Jerome Seymour. A Cultura da Educação. Porto Alegre: ArtMed Editora, 2001.

CALLIGARIS, Contardo. A adolescência. Coleção Folha Explica. São Paulo: Publifolha, 2000.

DAYRELL, Juarez. Múltiplos Olhares sobre educação e cultura. Belo Horizonte: UFMG. 2006.

ELKONIN, Daniil Borissowitsch. Sobre el problema de la periodización del desarrollo psíquico en la infancia. In: DAVIDOV, Vasili; SHUARE, Marta. (Org.). La psicología evolutiva y pedagógica en la URSS (antologia). p. 104-125. Moscú: Editorial Progresso, 1987.

ERICKSON, Erik Homburger. Identidade: Juventude e Crise. Rio de Janeiro: Zahar, 1976.

GRUMAN, Marcelo. Caminhos da cidadania cultural: o ensino de artes no Brasil. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. 45, p. 199-211, jul/set. 2012. Editora UFPR. Disponível em: www.scielo.br/pdf/er/n45/14.pdf. Acesso em: 13 out. 2014.

HOUAISS, Antônio; VILLAR, Mauro Salles. Minidicionário Houaiss da língua portuguesa. 3 ed. Rio de Janeiro: Objetiva/Moderna, 2009.

KNOBEL, Maurício. A síndrome da adolescência normal. In: ABERASTURY, Arminda; KNOBEL, Maurício. Adolescência normal: Um enfoque psicanalítico. p. 24-59. Porto Alegre: Artes Médicas, 1981.

LEAL, Zaira de Fatima de Rezende Gonzalez. Educação escolar e constituição da consciência: um estudo com adolescentes a partir da psicologia histórico-cultural. São Paulo, SP, 2010. 371f. Tese (Doutorado Programa de Pós-Graduação em Psicologia), Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

MAHEIRIE, Kátia et al. Processos de criação em educadoras: uma experiência e suas implicações. Revista do Departamento de Psicologia. UFF, 19(1), p. 145-154. 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010480232007000100011&lng=en&tlng=pt. 10.1590/S0104-80232007000100011. Acesso em: 08 out. 2014.

MEAD, Margaret. Adolescencia y cultura en Samoa. Buenos Aires: Paidós. 1951.

NARDIN, Heliana Ometto; FERRARO, Mara Rosângela. Artes visuais na contemporaneidade marcando presença na escola. In: FERREIRA, Sueli. (Org.). (Ed) O ensino das artes: construindo caminhos. (Coleção Ágere). p 181-222. Campinas, SP: Papirus. 2001.

REGO, Teresa Cristina. Vygotsky: uma perspectiva histórico-cultural da educação. 7 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1999.

ROUSSEAU, Jean Jacques. Emílio ou da Educação. RJ: Bertrand Brasil, 1992.

OSTROWER, Fayga. Criatividade e processos de criação. 30 ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

OZELLA, Sérgio. (org.) Adolescências construídas: a visão da psicologia sócio-histórica. São Paulo: Cortez, 2003.

PERALVA, Angelita Teixeira. O jovem como modelo cultural. Revista Brasileira de Educação. São Paulo, ANPED, n 5/6, 1997.

PÉREZ GOMEZ, Ángelo Ignácio. As funções sociais da escola: da reprodução à reconstrução crítica do conhecimento e da experiência. In: SACRISTAN, José Gimeno; PÉREZ GOMEZ, Ángelo Ignácio (Eds) Compreender e Transformar o Ensino. 4 ed. p. 13-26. Porto Alegre: Artmed. 2000.

VIGOTSKI, Liev Semiónovich. La imaginación y el arte en la infancia. Madrid-Espanha: Akal, [1930], 1986.

______. Liev Semiónovich. Psicologia da arte. Tradução Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes [1925], 1999.

______. Liev Semiónovich. Imaginação e criação na infância: ensaio psicológico. Tradução Zoia Prestes. São Paulo: Ática. 2009.

______. Liev Semiónovich. Obras escogidas IV. Madrid: Visor Distribuciones S. A., 1996.

______. Liev Semiónovich. A Construção do Pensamento e da Linguagem. Tradução Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, [1934], 2001.

ZANELLA, Andrea Vieira. Atividade criadora, produção de conhecimentos e formação de pesquisadores: algumas reflexões. Psicologia & Sociedade, 16(1), p. 135-145. 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010271822004000100011&lng=en&tlng=pt. 10.1590/S0102-71822004000100011. Acesso em: 07 out. 2014.

______. Andrea Vieira et al. Movimento de objetivação e subjetivação mediado pela criação artística. Psico-USF, v. 10, n. 2, p. 191-199, jul./dez. 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-82712005000200011. Acesso em 07 out. 2014.

______. Andréa Vieira et al. Relações estéticas, atividade criadora e constituição do sujeito: algumas reflexões sobre a formação de professores (as). Cadernos de psicopedagia, São Paulo. v. 6, n. 10, 2006. Disponível em <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1676-10492006000100002&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em 10 out. 2014.

______. Andrea Vieira; WEDEKIN, Luana Maribele. Arte e vida em Vigotski e o Modernismo Russo. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 18, n. 4, p. 689-699, out./dez. 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pe/v18n4/11.pdf. Acesso em 07 de out. 2014.

Downloads

Publicado

2018-07-01