Teatro e Inclusão Social na periferia de Brumadinho/MG: aproximação com futuros usuários da praça do centro de artes e esportes unificados

Autores

  • Ricardo Carvalho de Figueiredo Universidade Federal de Minas Gerais

Palavras-chave:

Pedagogia do Teatro, Praça CEU, Contação de histórias, Patrimônio imaterial,

Resumo

O presente artigo parte de um dado biográfico do autor, quando foi autuado por crime ambiental não cometido. A partir da sua atuação como formador de professores de teatro na Universidade Federal de Minas Gerais, propôs o pagamento do valor em serviço, como forma de incluir-se na comunidade onde vive e desenvolver uma iniciação teatral à comunidade. Desse modo, criou um projeto para capacitar agentes culturais para o Centro de Artes e Esportes Unificado (CEU) que seria inaugurado na cidade de Brumadinho / MG e pode, através de oficinas de contação de histórias, estabelecer a inclusão social da comunidade pertencente ao bairro onde encontra-se o equipamento cultural e dialogar sobre o campo do patrimônio imaterial. Sua ação repercutiu na conscientização das participantes na importância e reconhecimento do uso e apropriação do equipamento cultural, além de ampliar o campo das artes cênicas. Como continuidade da proposta foi elaborado um projeto de extensão, onde o autor é docente a fim de aproximar universidade e comunidade em prol de novas conquistas culturais e troca de saberes.

Biografia do Autor

Ricardo Carvalho de Figueiredo, Universidade Federal de Minas Gerais

Professor do curso de graduação em Teatro e da Pós-Graduação em Artes da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Referências

AGENDA 21 DA CULTURA. Disponível em www.agenda21culture.net. Acessado em 06/05/2016.

BENJAMIM, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. 7ª. ed. São Paulo: Brasiliense, 1994.

BOAL, Augusto. Jogos para atores e não-atores. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1998.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado, 1988.

BRASIL. Cartilha de orientação para ações de mobilização social nos Centros de Artes e Esportes Unificados – CEUs. Governo Federal. Brasília, 2014.

CABRAL, Beatriz. Drama como método de ensino. SP: Hucitec: Edições Mandacaru, 2006.

FÓRUM DE PRÓ-REITORES DE EXTENSÃO DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS BRASILEIRAS. Indissociabilidade ensino-pesquisa-extensão e a flexibilização curricular: uma visão da extensão. Porto Alegre: UFRGS; Brasília: MEC/SESu, 2006.

INHOTIM. Disponível em http://www.inhotim.org.br. Acessado em 01/12/2017.

MENESES, Ulpiano Toledo Bezerra de. O campo do patrimônio cultural: uma revisão de premissas. In: I Fórum Nacional do Patrimônio Cultural: Sistema Nacional de Patrimônio Cultural: desafios, estratégias e experiências para uma nova gestão, Ouro Preto/MG, 2009 / Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional; coordenação,Weber Sutti. –Brasília, DF: Iphan, 2012. (p.20 – 31)

NARRADORES de Javé. Rio de Janeiro: Riofilmes, 2003. 1 DVD (85 min): son, color.; (Riofilmes, Nacional)

MINISTÉRIO DA CULTURA. Disponível em: http://ceus.cultura.gov.br Acessado em 01/12/2017.

PASCUAL, Jordi. Ideias-chave sobre a agenda 21 da cultura. In: COELHO, Teixeira (Org.). A cultura pela cidade. São Paulo: Iluminuras: Itaú Cultural, 2008. (p. 49 – 62)

SPERBER, Suzi. Ficção e razão: uma retomada das formas simples. SP: Hucitec, 2009.

TEIXEIRA COELHO. Dicionário crítico de política cultural. São Paulo: Iluminuras, 1997.

SPOLIN, Viola. Improvisação para o teatro. 4ª ed. São Paulo: Perspectiva, 2003.

Downloads

Publicado

2018-10-01