Hélio Oiticica, Propositor de Práticas: Teoria Crítica sobre o Parangolé, Nova Objetividade e Tropicália

Edvana Albuquerque, Flávia Pedroso, Zimaldo Melo

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo compreender as teorias que nortearam a produção do artista Hélio Oiticica. De acordo com os textos que foram escritos entre 1959 a 1969, Hélio Oiticica foi um dos poucos artistas que teorizou, conceituou, a própria arte. A ideia do artista era fixar questões essenciais no campo da arte. Quanto mais escrevia, mais potencializava sua teoria que irá acompanhar cada obra e invenção. A partir deste estudo, foram levantados pontos teóricos da obra de Hélio Oiticica, notando-se o potencial teórico que foi criado para conceber o que era uma obra de arte. Parangolé, Nova Objetividade e Tropicália foram os textos utilizados para extrair os conceitos filóficos adotados pelo artista. Já do texto de Anne Cauquelin são retirados as possíveis teorias utilizadas por Hélio. São análises do discurso de um artista com a orientação da teoria crítica.

 

Palavras-chave
Teoria crítica, Hélio Oiticica, Parangolé, Nova Objeividade, Tropicália, Práticas.


Texto completo:

PDF


Direitos autorais



Indexadores, diretórios e bases de dados

      


Revista Palíndromo - Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC - Centro de Artes - CEART

Endereço: Av. Madre Benvenuta, 1907 - Itacorubi - Florianópolis - SC - CEP: 88035-001

ISSN 2175-2346



A Revista Palíndromo está disponível sob a Licença
Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.