[1]
H. B. Vertchenko, “Dos paratextos como ‘protocolos de leitura’ na tradução de clássicos: o caso de Romeu e Julieta (1940)”, Urdimento, vol. 2, nº 35, p. 149-162, set. 2019.