A LIDERANÇA E A GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS NAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Nadiessa Cappellari
Silvio Roberto Stefano
Léo Raifur
Dayanne Marciane Gonçalves Szczepanik

Resumo

A temática da liderança tem sido objeto de inúmeros estudos e pesquisas, notadamente quando o crescimento e a expansão das organizações passam a requerer, cada vez mais, estratégias diferenciadas para a conquista e adesão das pessoas aos objetivos corporativos. Essa configuração elege a liderança como diferencial competitivo em um cenário que visa alcançar metas e resultados. A gestão de pessoas, apoiada pelas lideranças, desempenha uma função estratégica nas organizações, alinhando as pessoas à estratégia da organização. Está pesquisa tem como propósito analisar os estilos de liderança, a orientação para resultados e as praticas de gestão estratégica de pessoas utilizadas pelas Instituições Financeiras públicas e privadas. O estudo possui corte temporal transversal e é de natureza exploratória, com revisão em periódicos científicos. A pesquisa foi baseada em questionários estruturados que procuram medir as Políticas de Recursos Humanos (14 questões) e as Características de Liderança (13 questões). Os dados foram coletados no mês de Março de 2013, em 13 agencias bancárias com uma amostra de 124 bancários escolhidos aleatoriamente. Com uso da Análise Fatorial, as 27 questões iniciais foram resumidas em três fatores (dimensões): 1) Políticas de Recursos Humanos; 2) Liderança: Motivação e Eficiência em Resultados, e; 3) Liderança: Foco em Resultados. Nos três fatores identificados, as frequências concentraram-se substancialmente no último quartil, demonstrando avaliação elevada dos aspectos relacionados às Políticas de Recursos Humanos e características de Liderança. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
Cappellari, N., Stefano, S. R., Raifur, L., & Szczepanik, D. M. G. (2016). A LIDERANÇA E A GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS NAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS. Revista Brasileira De Contabilidade E Gestão, 4(8), 014-027. Recuperado de https://www.revistas.udesc.br/index.php/reavi/article/view/2316419004062015014
Seção
Artigos

Referências

ALBUQUERQUE, L. G. A gestão estratégica de pessoas. In: FLEURY, M. T. L (Org.). As pessoas na organização. São Paulo: Editora Gente, 2002.

ALBUQUERQUE, L. G. Estratégias de recursos humanos e competitividade. In: VIEIRA,

M. M. F.; OLIVEIRA, L. M. B. (orgs.). Administração contemporânea: perspectivas estratégicas. São Paulo: Atlas, 1999.

ALVES, J. E. D. As taxas de atividade de homens e mulheres no mercado de trabalho no brasil. Disponível em: https://demografiaunicamp.wordpress.com/2014/01/04/as-taxas-de-atividade-de-homens-e-mulheres-no-mercado-de-trabalho-no-brasil-artigo-de-jose-eustaquio-diniz-alves/. Acesso em 25 de março de 2016.

ANDRADE, S. M.; LOPES. E.; STEFANO, S. F. Do Controle ao Comprometimento: Uma Análise da Gestão Estratégica de Pessoas em Empresas Prestadoras de Serviços de Grande Porte, no Interior do Paraná. REUNA, Belo Horizonte - MG, Brasil, v.18, n.3, p.91-110, Jul. – Set.. 2013 - ISSN 2179-8834.

ARMSTRONG, M. Strategic Human Resource Management: A Guide to Action. Philadelphia: Kogan Page, 2008.

AROMA, W.; DA SILVA, A. C. A Influência dos Líderes na Melhoria dos Serviços de Atendimento em Agências Bancárias Atuando no Processo de Aprendizagem dos Atendentes. In: Anais... ENANPAD, 2003, Atibaia, 2003. s.n.

BANCARIOSRIO. Discriminação das mulheres nos bancos aumenta com ascensão e escolarização. Disponível em: http://www.bancariosrio.org.br/2013/opiniao/item/26149-discriminacao-das-mulheres-nos-bancos-aumenta-com-ascensao-e-escolarizacao. Acesso em 08 de maio de 2014.

BERNARDIN, M. L.; STEFANO, S. R.; ZAMPIER, M. A Gestão de Talentos. Editora Unicentro, 2011.

BOWDITCH, J. L.; BUONO, A. F. Elementos do comportamento organizacional. São Paulo: Pioneira Thomson, 2002.

COOPER, D. R.; SCHINDLER, P. S. Business Reserch Methods. Irwin: McGraw-Hill, 2003. CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

DIEESE. Desigualdade de gênero nos bancos. Disponível em: http://www.contrafcut.org.br/download/Arquivo/13124161922.pdf. Acesso em 08 de maio de 2014.

DIJK, R. V.; EIGENHUIS, A. P. HR Strategy for the High Performing Business. Philadelphia: Kogan Page, 2008.

DRUCKER, P. F. Administrando em Tempos de Grandes Mudanças. São Paulo: Pioneira, 1999.

DUTRA, J. S. Competências: conceitos e instrumentos para a gestão de pessoas na empresa moderna. São Paulo: Atlas, 2013.

EXCELENCIA EM GESTAO. Perfil dos Operários da Construção civil. Disponível em: http://www.excelenciaemgestao.org/Portals/2/documents/cneg4/anais/T7_0049_0404.pdf. Acesso em 08 de maio de 2014.

FEBRABAN. A Febraban. Disponível em: http://www.febraban.org.br/Febraban.asp/. Acesso em 30 de setembro de 2013.

FIELD, A. Descobrindo a estatística usando o SPSS. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FISHER, A.L. Um resgate conceitual e histórico dos modelos de gestão de pessoas. In: FLEURY, M.T. et al., As Pessoas na Organização. São Paulo: Ed. Gente. 2002.

FOLEY, Jeff; SMITH, Perry. Rules & Tools for Leaders. USA: Penguin, 2010.

FRAGOSO, Samarina de Araújo. Gestão estratégica de pessoas como fonte de vantagens competitivas nas organizações.

REBRAE. Revista Brasileira de Estratégia, Curitiba, v. 2, n. 3, p. 307-315, set./dez. 2009.

LIMONGI-FRANÇA, A. C.; ARELLANO, E. B. Liderança, poder e comportamento organizacional. In: FLEURY, M. T. L (Org.). São Paulo: Editora Gente, 2002. p. 259-269.

MALHOTRA, N. K. Pesquisa de Marketing: Uma orientação aplicada. 4ª ed. Trad. Laula Bocco. Porte Alegre: Bookman, 2006.

MASCARENHAS, A. O. Gestão estratégica de pessoas: evolução, teoria e crítica. São Paulo: Cengage Learning, 2008.

MAXIMIANO, A. C. A. Administração de projetos. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2009. MONTANA, J. P.; CHARNOV, H. B. Administração. São Paulo: Saraiva, 2003.

RAIFUR, Léo. Fatores determinantes do desempenho de pequenas e médias empresas da região centro-sul do estado do Paraná. Tese (doutorado) Universidade de São Paulo, 2013.

ROBBINS, S. P. Administração. São Paulo: Saraiva, 2011.

SCHUMACKER, R. E.; LOMAX, R. G. A Beginner’s Guide to Structural Equation Modeling. Lawrence Erlbaum Associates. Mahwah, New Jersey, 1996.

STEFANO, Silvio Roberto. Liderança e suas relações com a estratégia de gestão de pessoas e o bem-estar organizacional: um estudo comparativo em duas instituições financeiras internacionais. Tese (doutorado) Universidade de São Paulo, 2008.

ULRICH, D.; ZENGER, J.; SMALLWOOD, N. Liderança orientada para resultados. São Paulo: Campus, 2000.