A formação escolar secundária de agentes intelectuais no sul do Mato Grosso (1931-1961)

Autores

  • Heloise Vargas de Andrade Universidade Federal de Mato Grosso de Sul
  • Jacira Helena do Valle Pereira Assis Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984724621452020232

Resumo

Este artigo tem como objetivo compreender como agentes intelectuais no sul do Mato Grosso representam em suas memórias a formação no ensino secundário no período de 1931 a 1961. Utilizaram-se como fontes de pesquisa, obras memorialísticas e relatos orais, cruzados com documentos de instituições escolares de ensino secundário da cidade de Campo Grande e Corumbá. Foram investigadas as trajetórias dos autores Abílio Leite de Barros, estudante do Colégio Santa Teresa; Pierre Adri e José Corrêa Barbosa, estudantes do Colégio Dom Bosco, por meio de suas produções memorialísticas. Tais fontes foram analisadas a partir da teoria de Pierre Bourdieu (2004, 2012), em diálogo principalmente com as noções de campo, habitus e capitais. Foram identificados no campo educacional, intensas disputas entre defensores da pedagogia tradicional e da escolanovista. O ensino secundário, com um currículo literário, conformava-se como reduto de formação das elites intelectuais. No sul de Mato Grosso, as instituições de ensino secundário que haviam sido recentemente instaladas ofereceram às classes economicamente favorecidas um ensino tradicional, com currículo predominantemente literário, que proporcionava acúmulo de capitais – social, cultural e simbólico – que mais tarde auxiliaram a inserção dos estudantes no campo intelectual. Tal inserção foi legitimada pelas disposições incorporadas nas instituições por meio de práticas culturais, escolares, sociais e religiosas. Em que pese as fragilidades das instituições do sul de Mato Grosso nesse período de implantação e organização do ensino secundário, elas alcançaram renome e cumpriram a função de reprodução das desigualdades sociais.

Palavras-chave: Ensino secundário – História. Memória. Intelectuais. Mato Grosso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Heloise Vargas de Andrade, Universidade Federal de Mato Grosso de Sul

Mestre em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2017). Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2014). Atuou como tutora do Curso de Especialização em Educação, Pobreza e Desigualdade Social da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: estado laico, ensino secundário, ensino religioso, memória e formação intelectual. Atualmente é professora educação básica na Prefeitura Municipal de Campo Grande.

Jacira Helena do Valle Pereira Assis, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (1988), mestrado em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (1997) e doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo (2002). Atualmente é Professora Titular da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e atua no quadro permanente do Programa de Pós-graduação em Educação - (cursos de Mestrado e Doutorado). Atuou (01.03.2017 a 01.08.19) como professora do quadro permanente do Programa de Antropologia Social/UFMS (curso de Mestrado). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Sociologia e Antropologia da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: memória, biografia e memorialistas; fronteira e diversidade cultural, famílias, escolas e estado laico.

Downloads

Publicado

2020-07-02

Como Citar

ANDRADE, H. V. de; ASSIS, J. H. do V. P. A formação escolar secundária de agentes intelectuais no sul do Mato Grosso (1931-1961). PerCursos, Florianópolis, v. 21, n. 45, p. 232 - 255, 2020. DOI: 10.5965/1984724621452020232. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/percursos/article/view/1984724621452020232. Acesso em: 5 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos Demanda Contínua