Big Data, Psicopolítica e Infoética: repercussões na cultura e na educação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984724621452020050

Resumo

 

Tendo por base as reflexões teóricas de Manuel Castells, Lucia Santaella, Byung-Chul Han, Luciano Floridi e Derrick de Kerckhove, o presente ensaio problematiza a dimensão ética da cultura digital, bem como os desafios de governos, academia e sociedade civil organizada diante das novas técnicas de poder instauradas como a sofisticação tecnológica que se convencionou chamar de ‘Big Data’. Diante das transformações profundas que as tecnologias ubíquas vêm provocando na vida contemporânea, conclui-se que a ética da informação é essencial para discutirmos o bom uso das tecnologias digitais, bem como refletir os impactos no avanço exponencial da inteligência artificial e da governança cibernética sobre a vigilância dos algoritmos.

Palavras-chave: Comunicações digitais. Ética. Participação social - Vigilância eletrônica - Privacidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Valdeci Reis, Instituto Federal de Santa Catarina

Doutor em Educação pela UDESC. Servidor do IFSC

Roberta Fantin Schnell, Prefeitura Municipal de Florianópolis

Doutoranda em Educação pela UDESC. Mestre em Educação. Professora da Rede Municipal de Florianópolis

Ademilde Silveira Sartori, Universidade do Estado de Santa Catarina

Professora Titular da UDESC. Doutora em Comunicação pela USP. Professora permanente do PPGE.

Downloads

Publicado

2020-07-02

Como Citar

REIS, V.; SCHNELL, R. F.; SARTORI, A. S. Big Data, Psicopolítica e Infoética: repercussões na cultura e na educação. PerCursos, Florianópolis, v. 21, n. 45, p. 50 - 79, 2020. DOI: 10.5965/1984724621452020050. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/percursos/article/view/1984724621452020050. Acesso em: 5 fev. 2023.