Entre as margens dos rios e as marchas da história: espaço e sociedade ribeirinha na Amazônia

Autores

  • João Santos Nahum Universidade Federal do Pará.
  • Denison da Silva Ferreira

DOI:

https://doi.org/10.5965/19847246204320198039

Resumo

O artigo expõe em largos traços o processo histórico de constituição da sociedade e do espaço ribeirinho da Amazônia. Partimos do entendimento que as sociedades ribeirinhas expressam as primeiras formas de produção do espaço amazônico edificadas sobre o contexto mercantil a partir da chegada dos colonizadores. Ressaltamos que suas condições de vida emergem da inserção desses grupos no contexto de formação espacial da Amazônia, desde a chegada do colonizador perpassando por diversas outras fases de ocupação da região. É nessa circunstância que vislumbramos a resistência dos modos de vida destas populações manifesta na criação e recriação de saberes, fazeres e estratégias que remontam à sabedoria de seus antepassados, aprimorada por gerações. Contribuímos num campo de pesquisa que busca analisar a trajetória destes grupos tendo como foco o diálogo entre espaço e sociedade. Inicialmente, refletimos sobre o processo de inserção dos povos ribeirinhos na constituição da sociedade colonial mercantil tendo em vista o delineamento das primeiras bases de formação do meio natural amazônico. Em seguida mostramos a reverberação desse processo sobre a constituição da sociedade ribeirinha em fases posteriores de formação espacial da região, especialmente no período de desenvolvimento da economia da borracha. 

Palavras-chave: Amazônia. Ribeirinhos. Colonização. Economia da borracha.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Santos Nahum, Universidade Federal do Pará.

Sou canceriano do município de Abaetetuba (PA), onde me graduei em Licenciatura em Geografia (1992) pela Universidade Federal do Pará, na primeira turma do Projeto de Interiorização. Em 1992 tornei-me professor do então Núcleo Pedagógico Integrado da UFPA (NPI/UFPA), que me ensinou a educar pela pesquisa. Em 1995 findei o curso de bacharel em Ciências Sociais (1995) pela UFPA e aqui também cursei especialização em Estado e Fronteira (1996) e mestrado em Planejamento do Desenvolvimento no Núcleo de Altos Estudos Amazônicos (2000). Na PUC-MG, em 1995, cursei especialização em Geografia e Planejamento Ambiental e na Unesp-Rio Claro obtive em maio de 2006 o doutorado em geografia na área de organização do espaço. Em 2008 tornei-me professor da Faculdade de Geografia e Cartografia e do Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFPA. Adoro pesquisar na área de Geografia rural da Amazônia e de Filosofia e Epistemologia da Geografia. Amo minha sina e faço da geografia uma ponte para liberdade.

Denison da Silva Ferreira

PENTRE AS MARGENS DOS RIOS E AS MARCHAS DA HISTÓRIA: espaço e sociedade ribeirinha na Amazôniaossui graduação em GEOGRAFIA pela Universidade Federal do Pará (2011) e Mestrado em Geografia pela Universidade Federal do Pará (2014). Atualmente é Professor substituto da Universidade Estadual do Pará, na área de Geografia Humana. Tem experiência na área de Geografia, com Pesquisa de Dissertação na Área de Geografia Agrária, mais especificamente com a temática Dinâmica socioespacial de Populações Ribeirinhas da Amazônia.

Downloads

Publicado

2019-11-21

Como Citar

NAHUM, J. S.; FERREIRA, D. da S. Entre as margens dos rios e as marchas da história: espaço e sociedade ribeirinha na Amazônia. PerCursos, Florianópolis, v. 20, n. 43, p. 39 - 65, 2019. DOI: 10.5965/19847246204320198039. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/percursos/article/view/1984724620422019039. Acesso em: 6 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos Dossiê