Desenvolvimento e meio ambiente: a construção do município de Rio Grande (RS/Brasil) como uma zona de sacrifício

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/1984724619412018050

Resumo

O presente artigo debate o processo de imposição da desigualdade ambiental no município do Rio Grande, extremo sul do Brasil. Utiliza-se de revisão bibliográfica e demonstra como as comunidades vizinhas ao Porto do Rio Grande e ao Distrito Industrial sofrem com a imposição dos impactos ambientais negativos que geram danos à saúde e ao ambiente (ar, água e solo). Ainda se evidencia a existência de incentivos (fiscais e outros) por parte do Estado para a instalação de empreendimentos com alto potencial poluidor no município ao longo de sua história. Defende-se que essa situação impulsionou a criação de uma zona de sacrifício que se complexifica a cada ano, tendo como principal marca a injustiça ambiental.

Palavras-chave: Desenvolvimento Econômico. Desigualdade Ambiental.  Saúde. Meio Ambiente. Aspectos Ambientais. Rio Grande. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caio Floriano dos Santos, Universidade Federal do Rio Grande

Oceanógrafo (UNIVALI). Mestre em Planejamento Territorial e Desenvolvimento Socioambiental (UDESC). Doutor em Educação Ambiental (FURG). Professor Substituto na Universidade Federal do Rio Grande. Pesquisador do Observatório dos Conflitos do Extremo Sul do Brasil.

Downloads

Publicado

2019-03-11

Como Citar

SANTOS, C. F. dos. Desenvolvimento e meio ambiente: a construção do município de Rio Grande (RS/Brasil) como uma zona de sacrifício. PerCursos, Florianópolis, v. 19, n. 41, p. 50 - 78, 2019. DOI: 10.5965/1984724619412018050. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/percursos/article/view/1984724619412018050. Acesso em: 4 fev. 2023.