Estética e filosofia das artes musicais africanas na perspectiva da educação musical na América Latina

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2525530403022018136

Palavras-chave:

educação musical, música - instrução e estudo, diáspora africana, músicos negros - Américas, música - afro-latina

Resumo

O presente artigo apresenta um diálogo com autores/as do chamado Atlântico Negro para introduzir no debate necessário sobre uma educação musical embasada nos saberes e bases filosóficas – históricos e contemporâneos – das artes musicais africanas e da diáspora africana. Aponta uma lacuna histórica nos estudos das musicalidades afro-latinas, afro-caribenhas e afro-americanas nos países da América Latina, assim como a necessidade de construir procedimentos e fundamentos metodológicos aplicados ao ensino das artes musicais (das diásporas) africanas com ênfase no contexto brasileiro. A autora procura incentivar um debate epistemológico, referenciado por vários autores dos contextos musicais e históricos da África e da Diáspora africana, e esboçar um arcabouço teórico para uma educação musical nas bases das matrizes africanas nos demais países e regiões com expressões culturais e musicais negras, que possa levar a uma educação e formação musical e performática (das diásporas) africanas.

Biografia do Autor

Katharina Döring, Universidade do Estado da Bahia

Graduação em Educação Musical (2000) e mestrado em Etnomusicologia (2002) pela Universidade Federal da
Bahia; doutorado em Educação (2011) com ênfase em Arte-Educação pela Universidade Siegen - programa
INEDD. Desde 2002 professora assistente da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) para as disciplinas Arte-
Educação, Iniciação Musical, Processos de Criação, Artes Visuais na Contemporaneidade, Referencias teóricas e
metodológicas do Ensino de Artes e Ludicidade. Pesquisadora do Samba de Roda do Reconcavo Baiano desde do
ano 2001, com vários projetos e publicações de pesquisa, extensão ate então. Trabalha na interface de
Etnomusicologia, Educação Musical e Artes, com ênfase na transdisciplinaridade em músicas, artes e culturas
populares, tradição - contemporaneidade no samba de roda/samba chula, tradições cênico-poético-musicais de
matriz africana, danças circulares. Elaborou, desenvolveu, coordenou ou contribuiu com vários projetos de
pesquisa e produção cultural com samba de roda e culturas populares na Bahia e Nordeste, buscando o diálogo
entre culturas populares, tradições orais e práticas estéticas contemporâneas, para elaborar novos caminhos,
metodologias, fundamentos teórico-práticos e epistemologias no campo do patrimônio imaterial, culturas e
musicas negras, performance, produção cultural e educação musical e cênica. Coordenadora do 1. e 2. Fórum de
Educação Musical da Bahia (FEMBA 2012 - FEMBA 2013). Membro fundadora e pesquisadora do grupo de
pesquisa Núcleo de Tradições Orais e Patrimonio Imaterial (NUTOPIA) desde de 2008. A partir do ano 2013,
professora visitante para o Mestrado Profissional em Musica (PPGPROM) da EMUS-UFBA na área de educação
musical com interfaces e olhares interdisciplinares para etnomusicologia, estudos culturais e arte-educação. A
partir de 2016, professora na Pos-Critica - UNEB, Campus II na disciplina "Culturas Populares e Tradições Orais".
Coordenadora do Dossie 48 "Musica e Educação - uma relação interdisciplinar e pluricultural" da Revista da
FAEEBA - 2017.

Referências

AGAWU, Kofi. „The communal ethos in African performance: ritual, narrative and music among the northern ewe.“ Em Trans - Revista Transcultural de Música, no. 11, 2007, p. 1-11.

AGAWU, Kofi. „Meki Nzewi and the discourse of African musicology: a 70th birthday appreciation“, em Journal of Musical Arts in Africa, vol 5, p. 1-18, 2008.

ALMEIDA, Berenice e PUCCI, Magda Dourado. Outras terras, outros sons. São Paulo: Callis Editora, 2015. 3. Ed.

AUSTERLITZ, Paul. Jazz consciousness. Music, race and humanity. Middletown: Wesleyan University Press, 2005.

BARATA, Denise. Samba e Partido Alto: As Curimbas do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2011.

BEBEY, Francis. African Music. A people’s art. New York, Laurence Hill Books, 1975.

BEHAGUE, Gerard. (edit.) Music and Black Ethnicity. Miami: North-South Center Press of University of Miami, 1992.

BEHAGUE, Gerard. “Rap, Reggae, Rock, or Samba: The Local and the Global in Brazilian Popular Music (1985-95).“ Em Latin American Music Review / Revista de Música Latinoamericana, Vol. 27, No. 1 (Spring - Summer, 2006), pp. 79-90

BERENDT, J. E.; HUESMANN, G. O livro do Jazz. De New Orleans ao século XX. São Paulo: Perspectiva: Edições SESC, 2014.

DORING, Katharina. “Uma escola de música e artes brasileiras na Bahia”. em Revista da FAEEBA: Educação e Contemporaneidade. Salvador, v. 15, n. 25, p. 173-184, jan./jun., 2006.

DORING, Katharina. “Ouvindo a diversidade musical do mundo: para uma educação musical cognitiva “além das fronteiras”. Em Revista da FAEEBA: Educação e Contemporaneidade. Salvador, v. 26, n. 48, p. 27-46, jan./abr. 2017

DU BOIS, W. E. B. The Souls of Black Folk. New York: Penguin Books, 1989.

FLOYD Jr., Samuel A. The Power of Black Music: Interpreting Its History from Africa to the United States. New York: Oxford University Press, 1995.

FLOYD Jr., Samual A.; ZECK, Melanie; RAMSEY, Guthrie. The Transformation of Black Music: The Rhythms, the Songs, and the Ships of the African Diaspora. New York: Oxford University Press, 2017.

HERBST, Anri (org.). Emerging solutions for musical arts education in Africa. Capetown: PASMAE – African Minds, 2005.

HOBSBAWM, Eric. História social do Jazz. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.

JONES, Leroi (Amiri Baraka). Black Music. New York: AkashiClassics, 2010.

KOELLREUTTER, H. J. “O ensino da Música num mundo modificado”. Em Cadernos de Estudo Educação Musical, UFMG, v. 6, p. 43-44, 1997.

KUBICK, Gerard. Africa and the Blues. Jackson: University Press of Mississippi, 1999. LARKIN Nascimento, Elisa (org.). A matriz africana no mundo. Série Sankofa: Matrizes

africanas da cultura brasileira. São Paulo: Selo Negro, 2008.

LIMA, Ari. “Do samba carioca e industrial ao samba nacional e mestiço.” Em ArtCultura, Uberlândia, v. 15, n. 26, p. 121-135, jan.-jun. 2013.

LÜHNING, Ângela. “Sustentabilidade de patrimônios musicais e políticas públicas a partir de experiências e vivências musicais em bairros populares.” em Música e Cultura: Revista da ABET, vol. 8, n. 1, 2013, p. 44-58

MAKL, Luís Ferreira. “Música, artes performáticas y el campo de las relaciones raciales.” Área de estudios de la presencia africana en américa latina. En Los estudios afroamericanos y africanos en América Latina. Cordoba: CEA-CLACSO, 2008, p. 225-250.

MAKL, Luís Ferreira. “Artes musicais na Diáspora Africana. Improvisação, chamada-e-resposta e tempo espiralar.” Em Outra Travessa no. 11, PPGL – UFSC, 2011.

MALOMALO, Bas´ilele. Repensar o multiculturalismo e o desenvolvimento no Brasil: políticas públicas de ações afirmativas para a população negra (1995-2009): vol. 1. Porto Alegre: Editora Fi, 2017.

MANUEL, Peter. Carribean Currents. Filadelphia: Temple University Press, 1995.

MOORE, Robin. “Música negra e a diáspora: Reflexões sobre o caribe hispânico.” Em Projeto História, São Paulo, n. 44, 2012, pp. 305-319.

NKETIA, Kwabena. “Cultural Diversity and Music Education in Ghana” em TRAASDAHL, J. O. (ed.). Music Education in a Multicultural Society. Copenhagen: Danish Music Council,

, p. 50-59.

NZEWI, Meki. “Reinstating the soft science of african indigenous musical arts for humanity sensed contemporary education and practice“, em Revista da FAEEBA, Educação e

Contemporaneidade, Salvador, v. 26, n. 48, 2017, p. 61-78.

NZEWI, Meki; Omolo-Ongati, Rose. “Injecting the african spirit of humanity into teaching, learning and assessment of musical arts in the modern classroom.” Em Journal of the musical arts in Africa. Vol, 11, 2014, p. 55-72.

OLIVEIRA, Eduardo. “Filosofia da ancestralidade como filosofia africana: educação e cultura afro-brasileira.” Em Revista Sul-Americana de Filosofia e Educação, No. 18, 2012, p. 28-47.

REID, George Andrews. América Afro-latina, 1800-2000. São Carlos, EdUFSCar, 2007.

SANSONE, Lívio e SANTOS, Jocélio Teles dos. Ritmos em trânsito, Sócio-antropologia da Música na Bahia. São Paulo: Dynamis, 1998.

SCHIPPERS, Huib. Facing the Music. Shaping music education from o global perspective. New York: Oxford University Press, 2010.

SIDRAN, Black Talk. Schwarze Musik – die andere Kultur im weissen Amerika. Hofheim: Wolke Verlag, 1985.

SMALL, Christopher. Music of the Common Tongue – Survival and Celebration in African American Music. Middletown: Wesleyan. University Press, 1998 (1987).

SMALL, Christopher. Musicking. The meanings of performing and listening. Middletown: Wesleyan. University Press, 1998.

STORM, Robert. Black Music of two worlds. New York: Schirmer Books, 1998.

WHITTEN, Norman; TORRES, Arlene. Blackness in Latin America and the Caribbean. Vol. I & II. Bloomington: Indiana University Press, 1998.

Downloads

Publicado

2018-12-19

Como Citar

Döring, K. (2018). Estética e filosofia das artes musicais africanas na perspectiva da educação musical na América Latina. Orfeu, 3(2), 136-163. https://doi.org/10.5965/2525530403022018136