CORPO-BRINCA: O ATO DE BRINCAR E A EXPERIÊNCIA CRIATIVA JUNTO AOS PROCESSOS ARTE-EDUCATIVOS.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/2358092517172017107

Palavras-chave:

exepriência criativa , brincadeira , dança

Resumo

O presente artigo aborda as relações entre o ato de brincar e a experiência criativa dando destaque a brincadeira como fonte de experiência estética no processo de criação, segundo as concepções de autores como Isabel Marques, Paulo Freire, Tizuko M. kishimoto, Winnicott . Descrevo aqui, o processo metodológico da pesquisa de caráter qualitativo realizada no período 2014 a 2015, com o Grupo de Banda Percussiva Meninos do São João, da cidade de Palmas-To. Este estudo teve como objetivo investigar e registrar quais sentidos o “corpo” assume durante a experiência artística e estética vivenciada para a criação do Espetáculo “DuCampo”, a partir da brincadeira como tema gerador. Os resultados obtidos trazem as falas dos alunos e professores, levantadas nas rodas de conversa, e revelam as diversas significações assumidas pelo corpo na criação do espetáculo passando de corpo-instrumento de experiência para “corpo-expressivo”, “corpo-sensível”, “corpo-ação”, “corpo-brinca”. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Liubliana Moreira Siqueira, Universidade de Brasília-DF

Mestre em Artes pelo programa PROF-ARTES (Stricto sensu) na Universidade de Brasília-DF/Brasil. Pós-graduada em Gestão de Projetos Sociais e Captação de Recursos pela Faculdade de Guaraí - To (2011). Bacharel e Licenciada em Dança pela Universidade Federal de Viçosa (2009). Atualmente é Professora de Cursos de Capacitação de Professores de dança no Estado do Tocantins, professora efetiva da rede Municipal de Ensino de Palmas-To, onde atua com projetos interdisciplinares.

Referências

DIAS, M. C. M. Metáfora e pensamento: considerações sobre a importância do jogo na aquisição do conhecimento e implicações para a educação pré-escolar. In: KISHIMOTO, Tizuko Morchida (org). Jogo, Brinquedo, Brincadeira e a Educação. 14 ed. São Paulo: Cortez, 2011. p. 15-48.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 11. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. Jogo e a educação infantil. In: KISHIMOTO, Tizuko Morchida (org). Jogo, Brinquedo, Brincadeira e a Educação. 14 ed. São Paulo: Cortez, 2011. p. 15-48.

. Bruner e a brincadeira. In: KISHIMOTO, Tizuko Morchida (org). Brincar e suas teorias. São Paulo: Cengage Learning, 2014. p. 139-153.

MARQUES, I. A Linguagem da dança: arte e ensino. São Paulo: Digitexto, 2010.

. Ensino de dança hoje: textos e contextos. São Paulo: Cortez, 2011a.

. Notas sobre o corpo e o ensino da dança. Caderno pedagógico, Lajeado, v. 8, n. 1, p. 31-36, 2011b.

. A. Dançando na escola. São Paulo: Cortez, 2012.

OSTROWER, F. Criatividade e processos de criação. Petrópolis: Vozes, 2014.

PEREIRA, E. T. Práticas lúdicas na formação do teatro. 2012. 245f. Tese (Doutorado em artes cênicas). Departamento de Artes Cênicas. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

RAMOS, E. Angel Vianna: a pedagogia do corpo. São Paulo: Summus, 2007.

WINNICOTT, D. W. O brincar e a Realidade. Rio de Janeiro: Imago editora LTDA.

Downloads

Publicado

2017-12-26

Como Citar

SIQUEIRA, Liubliana Moreira. CORPO-BRINCA: O ATO DE BRINCAR E A EXPERIÊNCIA CRIATIVA JUNTO AOS PROCESSOS ARTE-EDUCATIVOS. Revista NUPEART, Florianópolis, v. 17, n. 1, p. 107–122, 2017. DOI: 10.5965/2358092517172017107. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/nupeart/article/view/9985. Acesso em: 26 maio. 2024.