Teatro como elo entre culturas: a experiência do corpo como narrador de histórias na aldeia Jaguapiru em Dourados - MS

Autores

  • Marco Aurélio Poli Dolci Professor de Teatro/Arte no ensino fundamental II e médio nas escolas estaduais de Araraquara e Boa Esperança do Sul/São Paulo.
  • Flávia Janiaski Vale Professora Adjunta da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) no Curso de Licenciatura e Bacharelado em Artes Cênicas, onde já atuou como Coordenadora Pedagógica do Curso. É presidente da Comissão de Estágio Supervisionado do Curso de Artes Cênicas ? COES/Artes Cênicas e coordena o SubProjeto de Teatro do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID)/UFGD. https://orcid.org/0000-0003-0325-739X

DOI:

https://doi.org/10.5965/2358092521232020102

Palavras-chave:

sistema do movimento, teatro comunidade, construção de narrativas.

Resumo

É possível pensar em um teatro comunidade em que não são ouvidas as vozes dos integrantes pertencentes a este espaço? Acreditamos que não. Para se trabalhar em comunidade é preciso escolher o caminho da troca e do respeito, delineando um projeto que esteja alicerçado no reconhecimento de que ambas as partes possuem cultura e conhecimentos prévios e distintos. Partindo dessa perspectiva, o presente artigo - escrito a quatro mãos - apresenta uma reflexão sobre a oficina realizada no ano de 2019 na Aldeia Jaguapiru (Dourados/MS), com um grupo de 10 crianças entre 6 e 12 anos. A oficina fez parte da disciplina de estágio curricular supervisionado da Graduação de Artes Cênicas da Universidade Federal da Grande Dourados - UFGD. O Sistema do Movimento de Rudolf Laban como propulsor para a expressividade do corpo que narra foi a metodologia utilizada para auxiliar no compartilhamento da dramatização entre culturas distintas. Os apontamentos e as descobertas aqui expostos visam inspirar outros trabalhos em comunidade que reflitam o fazer democrático do teatro e o respeito aos sujeitos.

Biografia do Autor

Marco Aurélio Poli Dolci, Professor de Teatro/Arte no ensino fundamental II e médio nas escolas estaduais de Araraquara e Boa Esperança do Sul/São Paulo.

Ator, Dramaturgo, Diretor e Professor de Teatro.

Bacharel (2014-2017) e Licenciado (2018-2019) em Artes Cênicas pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Com pesquisa artística na área de dramaturgia, preparação de corpo/voz, ator, diretor e como arte-educador, baseia-se sua bagagem através do Sistema do Movimento de Rudolf Laban. Iniciou os estudos em teatro com um curso Técnico em Arte Dramática pelo SENAC Araraquara (2012) e fez parte do Núcleo de Artes Cênicas do SESI Araraquara (2013). Entre 2011-2013 trabalhou como ator no Museu do Espaço do Boneco da Cia. Polichinelo Teatro de Bonecos (Araraquara).

Flávia Janiaski Vale, Professora Adjunta da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) no Curso de Licenciatura e Bacharelado em Artes Cênicas, onde já atuou como Coordenadora Pedagógica do Curso. É presidente da Comissão de Estágio Supervisionado do Curso de Artes Cênicas ? COES/Artes Cênicas e coordena o SubProjeto de Teatro do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID)/UFGD.

Doutora em Artes Cênicas pela UFBA, com bolsa de doutorado sanduiche pela CAPES na University of Massachusetts/Boston no programa de Early Childhood Education. Mestre em Teatro pela Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC e Graduada em Artes Cênicas pela mesma universidade. Trabalhou como Professora Colaboradora na mesma instituição na área de Teatro Educação e Produção Cultural. Atualmente é Professora Adjunta da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) no Curso de Licenciatura e Bacharelado em Artes Cênicas, onde já atuou como Coordenadora Pedagógica do Curso. É presidente da Comissão de Estágio Supervisionado do Curso de Artes Cênicas ? COES/Artes Cênicas e coordena o SubProjeto de Teatro do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID)/UFGD.

Downloads

Publicado

2020-08-14

Como Citar

DOLCI, M. A. P.; VALE, F. J. Teatro como elo entre culturas: a experiência do corpo como narrador de histórias na aldeia Jaguapiru em Dourados - MS. Revista NUPEART, Florianópolis, v. 23, p. 102-120, 2020. DOI: 10.5965/2358092521232020102. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/nupeart/article/view/17478. Acesso em: 4 dez. 2021.