Uma Análise Crítica das Condições de Trabalho na Indústria Têxtil desde a Industrialização do Setor até os dias atuais

Autores

  • Tatiana Castro Longhi Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC
  • Flávio Anthero Nunes Vianna dos Santos Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

DOI:

https://doi.org/10.5965/2316796305102016073

Resumo

As atividades ligadas à indústria têxtil foram parte do processo que levou à Revolução industrial na Inglaterra e no mundo. Porém, as condições de trabalho dos operários (a maioria mulheres e crianças) eram penosas, e a segurança no trabalho não era uma preocupação dos empregadores. Atualmente, através da Ergonomia, que adapta o trabalho ao homem, há uma série de normas para garantir a integridade do trabalhador. Entretanto, ainda hoje existem empresas que utilizam mão de obra infantil, jornadas exaustivas, pagamentos irrisórios e ambientes insalubres. Esse artigo apresenta uma visão crítica acerca das condições de trabalho especialmente na confecção do vestuário na atualidade.

Biografia do Autor

Tatiana Castro Longhi, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

Mestranda em Design pela UDESC. Graduada em Moda pela UDESC. Desenvolve estudos nas áreas de ergonomia, antropometria e modelagem do vestuário.

Flávio Anthero Nunes Vianna dos Santos, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

Desenhista Industrial (ESDI-UERJ), Mestre (COPPE-UFRJ) e Doutor (EPS-UFSC) em Engenharia, professor associado e pesquisador na UDESC (PPGDesign)

Downloads

Publicado

2016-12-01

Como Citar

LONGHI, T. C.; SANTOS, F. A. N. V. dos. Uma Análise Crítica das Condições de Trabalho na Indústria Têxtil desde a Industrialização do Setor até os dias atuais. Human Factors in Design, Florianópolis, v. 5, n. 10, p. 073-090, 2016. DOI: 10.5965/2316796305102016073. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/hfd/article/view/8832. Acesso em: 3 dez. 2021.

Edição

Seção

Artigos