Intuitividade de um produto assistivo de uso doméstico e influência das affordances na percepção

Autores

  • Melissa Marin Vasquez FAAC-UNESP BAURU Mestrado em Design
  • Jamille Noretza De Lima Lanutti UNESP
  • Sergio Tosi Rodrigues UNESP
  • Fausto Orsi Medola UNESP
  • Luis Carlos Paschoarelli UNESP

Resumo

A Interação homem-objeto tem sido foco de pesquisa na área do design. No entanto, as affordances influenciam na percepção e intuição de uso de um objeto e possibilitam diferentes formas de interação com os artefatos. Este estudo investigou o uso intuitivo de um produto doméstico e assistivo - Girador em T para botões de eletrodomésticos - com base nos procedimentos propostos por Silva e Okimoto (2011). Os resultados demostram que as affordances influenciam na percepção e interação com o produto, portanto, testes desta natureza são uma ferramenta importante porque contribuem significativamente ao analise da intuitividade e os estímulos ambientais, além de permitir reflexão importante acerca de questões histórico-culturais dos sujeitos e quem influenciam no uso.A Interação homem-objeto tem sido foco de pesquisa na área do design. No entanto, as affordances influenciam na percepção e intuição de uso de um objeto e possibilitam diferentes formas de interação com os artefatos. Este estudo investigou o uso intuitivo de um produto doméstico e assistivo - Girador em T para botões de eletrodomésticos - com base nos procedimentos propostos por Silva e Okimoto (2011). Os resultados demostram que as affordances influenciam na percepção e interação com o produto, portanto, testes desta natureza são uma ferramenta importante porque contribuem significativamente ao analise da intuitividade e os estímulos ambientais, além de permitir reflexão importante acerca de questões histórico-culturais dos sujeitos e quem influenciam no uso.

Biografia do Autor

Melissa Marin Vasquez, FAAC-UNESP BAURU Mestrado em Design

Designer industrial e especialista em ergonomía da Universidad Nacional de Colombia. Atualmente mestranda em design do programa de Pós-graduação da FAAC UNESP Bauru na linha da ergonomía. Realiza pesquisa no Laboratorio de Ergonomia e Interfaces da UNESP-Bauru.

Jamille Noretza De Lima Lanutti, UNESP

Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Design pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho na linha de pesquisa Ergonomia. Possui graduação em Design pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2010) e mestrado em Design pela mesma instituição (2013). Realiza pesquisa junto ao Laboratório de Ergonomia e interfaces da Unesp - Bauru desde 2006. 

Sergio Tosi Rodrigues, UNESP

Licenciado em Educação Física e Técnico Desportivo pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1989), Mestre em Ciência do Movimento Humano pela Universidade Federal de Santa Maria (1994), Doutor (Ph.D.) em Psicologia, na área de Percepção e Cognição, pela Universidade de Calgary, Canadá (2000) e Livre Docente em Aprendizagem Motora pela Universidade Estadual Paulista (2015). É Professor Adjunto (MS5.1) da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP) - Campus de Bauru, onde coordena o Laboratório de Informação, Visão e Ação (LIVIA). Atua nos programas de pós-graduação em Design (área de Ergonomia) da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação e de Ciências da Motricidade (área de Controle e Coordenação de Habildades) da Faculdade de Ciências. Tem experiência em Educação Física, com ênfase em Comportamento Motor, atuando principalmente nos seguintes temas: controle visual de ações, percepção visual, aprendizagem motora, movimento dos olhos, controle postural, biomecânica, informação de tempo para contato, condução simulada de veículos.

Fausto Orsi Medola, UNESP

Professor Assistente Doutor - FAAC/UNESP - Departamento de Design - Campus Bauru, e do Programa de Pós-graduação em Design - FAAC/UNESP. Doutor em Ciências (área de concentração: Bioengenharia) pelo Programa de Pós-graduação Interunidades Bioengenharia - EESC/FMRP/IQSC - USP (2013), com estágio de doutorado sanduíche na Georgia Institute of Technology, Atlanta, EUA. Mestrado em Bioengenharia pelo Programa de Pós-graduação Interunidades em Bioengenharia - EESC/FMRP/IQSC - USP, e graduação em Fisioterapia pela Universidade Estadual de Londrina (2003). É co-líder do Grupo de Pesquisa Design e Tecnologia Assistiva, e membro pesquisador no Grupo de Pesquisa Desenho Industrial: Projeto e Interfaces. Realiza pesquisas na área de Desenho Industrial, Design de Produto e Ergonomia, atuando principalmente nos temas: pesquisa e desenvolvimento de equipamentos de tecnologia assistiva, design ergonômico, biomecânica, cadeira de rodas, acessibilidade e design inclusivo.

Luis Carlos Paschoarelli, UNESP

É Livre-Docente em Design Ergonômico pela Universidade Estadual Paulista (2009); possui pós-doutorado em Ergonomia (2008) pela Universidade Técnica de Lisboa; doutorado em Engenharia de Produção (2003) pela UFSCar; Mestrado em Projeto, Arte e Sociedade - Desenho Industrial (1997) e graduação em Desenho Industrial (1994) pela UNESP. É co-lider no Grupo de Pesquisa Design Ergonômico: Projeto e Interfaces onde coordena os projetos de pesquisa: Design Ergonômico: avaliação e intervenção ergonômica no projeto, Design Ergonômico: metodologias para a avaliação de instrumentos manuais na interface homem X tecnologia e Contribuições do Design Ergonômico na pesquisa e projeto de equipamentos para a reabilitação de pessoas com capacidades específicas. Está lotado no Laboratório de Ergonomia e Interfaces - Departamento de Design, onde atua como docente no curso de graduação em Design e do Programa de Pós-graduação em Design da UNESP. Tem experiência na área do design, ergonomia, design ergonômico, design de produto e design gráfico. Atualmente é o coordenador do Programa de Pós-graduação em Design - Mestrado e Doutorado - da UNESP ;Ergonomista Sênior; da ABERGO - Associação Brasileira de Ergonomia.

Downloads

Publicado

2016-08-04

Como Citar

MARIN VASQUEZ, M.; DE LIMA LANUTTI, J. N.; TOSI RODRIGUES, S.; ORSI MEDOLA, F.; PASCHOARELLI, L. C. Intuitividade de um produto assistivo de uso doméstico e influência das affordances na percepção. Human Factors in Design, Florianópolis, v. 5, n. 9, p. 003-017, 2016. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/hfd/article/view/7705. Acesso em: 3 dez. 2021.