Estratégias Cognitivas e a Opacidade entre o Trabalho Prescrito e o Trabalho Real

Autores

  • Nelson Ferreira Filho Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, SC
  • Leila Amaral Gontijo Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, SC

Resumo

O presente artigo tem como objeto debater um conjunto  de  conhecimentos  que  permeam  a compreensão das formas das estratégias cognitivas usadas pelos operadores na sua atividade de trabalho para regular e manter as metas produtivas estipuladas pelos  gestores  da  produção.  O  trabalhador  mobiliza uma  série  de  representações  mentais  para  cumprir a tarefa e executar sua atividade, bem como para poder lidar com as anormalidades e imprevisibilidades presentes no seu posto de trabalho. O emprego das representações mentais pelos operadores é resultante de ações que decorrem das intervenções que necessariamente eles resgatam da sua história de vida profissional para enfrentar à opacidade entre a carga de trabalho prescrita versus a carga de trabalho real. Estas ações do agir na atividade real de trabalho são demonstradas pelos operadores quando eles  realizam ou tentam eliminar o preenchimento da lacuna entre a prescrição e a sua realidade. Para execução desses artifícios   estratégicos   de   cunho   complementar   da tarefa, os operadores usam de seus valores singulares, tais como: habilidades pessoais,     experiência e competência   profissional,  estado  de  saúde  física  e mental para conviver em harmonia   com o modelo de concepção do sistema sócio-técnico. Busca-se nesta investigação o apoio da ergonomia, na qual vários estudiosos têm contribuído com suas idéias em relação às formas como são construídos e executados os atuais sistemas produtivos. Todavia, por mais que os conceptores dos processos produtivos tentam diminuir ou facilitar a distância entre atividades do prescrito e das reais atividades de trabalho, pode-se afirmar que sempre   haverá   a   necessidade   de   intervenção   do operador  para  regular  os  disfuncionamentos,  panes, incidentes, acidentes e as paradas inesperadas que normalmente ocorrem nos sistemas devido às falhas prescritivas que não são e nunca serão totalmente transcritas e transparentes o suficiente para atender e compreender a atividade real das tarefas no mundo do trabalho.

 

Downloads

Publicado

2014-12-26