Figurinos imorais

Autores

  • Heloísa Helena Pacheco de Sousa Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.5965/25944630532021218

Palavras-chave:

Figurino, Moralidade, Gênero

Resumo

Este artigo elabora reflexões sobre os trajes da performance “A Public Cervix Announcement” (1990) de Annie Sprinkle (EUA) e os figurinos das encenações “Manga Rosa” (2015) de Lua Menezes para a Bololô Cia. Cênica (RN/Brasil) e “Stabat Mater” (2019) de Janaína Leite (SP/Brasil), pensando em como se apresentam as aparências desses corpos em cena e como elas dialogam e tensionam os julgamentos e violências sobre corpos de mulheres, a partir de vigilâncias moralistas. A escolha dessas obras ocorre pelas semelhanças estéticas que existem na concepção de seus figurinos, a partir das peças de roupas, da exposição de partes do corpo e de um diálogo com a temática do erotismo, do íntimo e da autobiografia. Além disso, é importante destacar que as três artistas em cena são mulheres brancas, cisgêneras e ocidentais, dessa forma, o modo como elaboram o corpo de mulher se relaciona com suas experiências subjetivas e sociais e não universaliza a experiência de ser mulher em uma sociedade.

Referências

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão das identidades. Trad. Renato

Aguiar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

PRECIADO, Paul B. Cartografias ‘queer’: O ‘flâneur’ perverso, a lésbica topofóbica e a puta multicartográfica, ou como fazer uma cartografia ‘zorra’ com Annie Sprinkle. Trad. de Davi Giordano e Helder Thiago Maia. eRevista Performatus, Inhumas, ano 5, n. 17, jan. 2017. ISSN: 2316-8102. Disponível em: https://performatus.com.br/traducoes/cartografias-queer/. Acesso em: 24 jul. 2021.

RIBEIRO, Aileen. Dress and morality. Oxford: Berg Publishers, 2003.

SPRINKLE, Annie; VERA, Veronica [et al.]. O manifesto pós-pornográfico modernista (Estados Unidos, 1989). Trad. de Julia Pelison. eRevista Performatus, Inhumas, ano 5, n. 17, jan. 2017. ISSN: 2316-8102. Disponível em: https://performatus.com.br/traducoes/manifesto/ Acesso em: 24 jul. 2021.

WILLIAMS, Linda. “Uma agente provocadora: a pornografia e a arte da performance de Annie Sprinkle”. Trad. de Leonardo Soares. eRevista Performatus, Inhumas, ano 5, n. 17, jan. 2017. ISSN: 2316-8102. Disponível em: https://performatus.com.br/traducoes/annie-sprinkle/ Acesso em: 24 jul. 2021.

Downloads

Publicado

2021-09-08

Como Citar

PACHECO DE SOUSA, H. H. Figurinos imorais. Revista de Ensino em Artes, Moda e Design, Florianópolis, v. 5, n. 3, p. 218 - 230, 2021. DOI: 10.5965/25944630532021218. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/ensinarmode/article/view/20145. Acesso em: 7 dez. 2021.