Carne, queda e vôo: a Divina Comédia de Paulo Gaiad

Autores

  • Priscilla Menezes de Faria Universidade do Estado de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.5965/1808312906082011323

Palavras-chave:

Paulo Gaiad, Divina Comédia, narrativa

Resumo

Investigação acerca das noções de queda e vôo, como movimentos narrativos, na obra Divina Comédia de Paulo Gaiad. A partir de algumas semelhanças poéticas, relaciona-se a obra de Gaiad com a Divina Comédia de Dante Alighieri e Nadja de André Breton e, através destas relações, busca-se compreender algumas singularidades da obra de Gaiad. Trabalhando com os conceitos de sedução em Baudrillard, de carne em Bataille e a imagem da esfinge proposta por Moraes; compreende-se que, enquanto, em Dante, o corpo empreende um vôo partindo do inferno em direção ao céu e em Nadja o corpo errante da narrativa surrelista se projeta em queda na direção de ambientes infernais, na Divina Comédia de Gaiad cair e voar coincidem e se tornam movimentos indistintos a partir de um corpo em êxtase para o qual perdição e salvação se dão como um mesmo destino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-10-25

Como Citar

FARIA, P. M. de. Carne, queda e vôo: a Divina Comédia de Paulo Gaiad. DAPesquisa, Florianópolis, v. 6, n. 8, p. 323-333, 2018. DOI: 10.5965/1808312906082011323. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/dapesquisa/article/view/14019. Acesso em: 18 set. 2021.

Edição

Seção

Artes Visuais