Educação financeira na perspectiva da educação matemática crítica uma reflexão teórica à luz dos ambientes de aprendizagem de Ole Skovsmose

Autores

  • Laís Thalita Bezerra dos Santos Universidade Federal de Pernambuco
  • Cristiane Azevêdo dos Santos Pessoa Universidade Federal de Pernambuco

Resumo

O presente artigo, tratando-se de um estudo teórico, objetiva discutir a Educação Financeira (EF) na perspectiva dos ambientes de aprendizagem (matemática pura, semi-realidade e realidade, em paradigmas de exercício ou de cenários para investigação) propostos por Skovsmose (2000). Apresenta-se, inicialmente, uma discussão sobre EF, bem como sobre a Estratégia Nacional de Educação Financeira (ENEF) para, posteriormente, discutir a Educação Matemática Crítica (EMC) e as possíveis relações que podem ser feitas entre ela e a EF, no âmbito de uma formação crítica e reflexiva. Como resultados, aponta-se que, para pensar em uma EF que promova a criticidade e a reflexão, é importante a existência de ambientes propícios, nos quais os alunos possam ser questionados e levantar soluções diversas para um mesmo problema. Além disso, destaca-se a necessidade de que os professores estejam capacitados para o trabalho com a EF, de modo que possam, sempre que preciso, fazer os ajustes necessários nas atividades propostas. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-12-09

Como Citar

SANTOS, L. T. B. dos; PESSOA, C. A. dos S. Educação financeira na perspectiva da educação matemática crítica uma reflexão teórica à luz dos ambientes de aprendizagem de Ole Skovsmose. Revista BOEM, Florianópolis, v. 4, n. 7, p. 23-45, 2016. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/boem/article/view/8540. Acesso em: 6 out. 2022.