A década de 1970 e a cenografia do Maranhão, uma descrição dos principais espetáculos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5965/27644669010320220401

Palavras-chave:

teatro, cenografia, Maranhão, anos 1970

Resumo

Neste estudo realizo uma descrição sucinta da cenografia dos principais espetáculos montados em São Luís do Maranhão, nos anos de 1971 a 1978 pelos grupos: Teatro de Férias do Maranhão, Armação de São Luís, Teatro Experimental do Maranhão, Mutirão e LABORARTE. A escolha desses grupos e o período histórico baseia-se em três aspectos fundamentais: o primeiro foi a minha participação em todos eles (como dramaturgo, ator e/ou diretor); o segundo é o fato de que foram espetáculos que tiveram uma cenografia mais elaborada, onde se pode vislumbrar mesmo que superficialmente as ideias de Appia, Craig e Meyerhold; o terceiro, é que uma busca em quaisquer diários da cidade não se encontra uma crítica sobre suas cenografias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tácito Freire Boralho, Federal University of Maranhão

É professor mestre em artes. Hoje é professor associado nível 1, do Departamento de Artes Cênicas (DEARTC) da UFMA e Diretor Artístico da Coteatro.

Referências

BORRALHO, Tácito Freire. O Boneco, do imaginário popular maranhense ao Teatro. São Luís: SESC, 2005.

BROOK, Peter. O Teatro e seu espaço. Petrópolis: Vozes, 1970

CRAIG, Gordon. Da Arte do Teatro. Lisboa: Ed. Arcádia, 1966

GODOY, Carlos Ernesto, “Revista Visão”. São Paulo, 10/01/1977.

LEITE, Aldo. Tempo de espera. São Luís: UFMA/Prefeitura Municipal de São Luís, 1980

PAVIS, Patrice. Dicionário de Teatro. São Paulo: Perspectiva, 1999.

TEIXEIRA, Ubiratã. Dicionário de teatro. São Luís. Ed. Instituto Geia, 2005.

Downloads

Publicado

2022-07-30

Como Citar

BORALHO, Tácito Freire. A década de 1970 e a cenografia do Maranhão, uma descrição dos principais espetáculos. A Luz em Cena: Revista de Pedagogias e Poéticas Cenográficas, Florianópolis, v. 1, n. 3, p. 1–40, 2022. DOI: 10.5965/27644669010320220401. Disponível em: https://www.revistas.udesc.br/index.php/aluzemcena/article/view/21817. Acesso em: 29 maio. 2024.