Reflexões acerca da violência simbólica no contexto pedagógico do Curso Técnico de Produção de Moda do IF-SC Araranguá

Autores

  • Lucas Boeira Michels UNESC
  • Gildo Volpato UNESC

Resumo

Para Bourdieu, a dominação econômica e as desigualdades sociais são reproduzidas, primeiramente pela dominação cultural, que é realizada através da violência simbólica (re)produzida pela escola, quando naturaliza e impõe a cultura dominante como universal e superior. A partir deste entendimento o estudo teve como objetivo compreender a violência simbólica no contexto pedagógico dos Cursos Técnicos profissionalizantes. A pesquisa foi caracterizada como um estudo de caso e contou com a participação de uma turma do curso Técnico de Produção de Moda, do Instituto Federal de Santa Catarina, da cidade de Araranguá. Percebeu-se que as Instituições de Ensino Técnico (re)produzem a violência simbólica, isto é, conseguem impor seu arbitrário cultural como algo neutro e universal, de forma dissimulada, reforçando, com isso, seu poder de imposição e a dominação cultural.

 

Biografia do Autor

Lucas Boeira Michels, UNESC

Gradução Tecnologia em Eletromecânica 

Especialização em PROEJA (IF-SC)

Mestrado em Educação (UNESC)

Docente da área de Mecânica no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina (IF-SC)

Gildo Volpato, UNESC

Doutor em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS. Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação – Mestrado em Educação - da Universidade do Extremo Sul Catarinense - UNESC.

Downloads

Publicado

2012-06-03